quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

O homem supermisseginado e multiétinico


Meu trisavô por parte d pai. Era alemão d cabelo loiro e liso q tinha 1,80m; d olhos verdes e judeu cabalista. Q se casou com uma sueca cristã ortodoxa filha d cigana, q tinha os cabelos pretos ondulados e olhos azuis, com altura d 1,70m. Eles tiveram 2 filhos. Um deles era meu bisavô. Q tinha os cabelos castanhos claros, levemente ondulados e olhos d cor verdes azulados e 1,85m. Q foi morar no Líbano. Lá se casou com uma mulçumana sufista filha d mulçumano sunita com uma hinduísta da India. Ela era morena, de cabelos lisos e olhos cor d mel e media 1,60m.

Eles tiveram 3 fihos e uma filha q é minha avó. Cabelos lisos, olhos verdes meio cor d mel, 1,68m. Uma mulher q virou sick quando foi morar na India e lá se encontrou com um chinês budista d cabelos lisos e 1,75m olhos bem pretos. Se casaram. E tiveram meu pai. Q é um homem d olhos cor d mel, 1,79m; e cabelos castanhos escuros lisos e é espirita. Q hoje é casado com minha mãe.

Da família da parte d minha mãe. Meu trisavô era um negro d 1,90m da Nigéria q era shamã d olhos castanhos, ele se casou com uma italiana católica cabelos ruivos ondulados e olhos verdes d 1,67m. Tveram 3 filhas, entre elas, uma filha q era mulata dos cabelos encarcolados e ruivos, 1,72m d altura. Q era minha bisavó, q veio morar no Brasil onde virou camdomblista e se casou com um indio d 1,70m do Xingu. Eles tiveram 3 filhos e 4 filhas.

Uma dessas filhas virou minha avó. Uma mulata d pele morena mais clara e olhos puxados e cabelos castanhos claros com 1,76m d altura q virou umbandista. Ela foi morar na Espanha conheceu um espanhol d 1,80m; branco, cabelos lisos e castanhos escuro e olhos cinzas q usava cavanhaque e era maçom. Lá eles se casarão e depois voltaram pro Brasil. E tiveram um filho e uma filha, essa filha era minha mãe. Q era uma branca com traços d mulata e olhos d feição espanhola meio puxados e cabelo lisos e pretos d 1,77m d altura virou wicam e finalmente conheceu meu pai.

Foi então q eles tiveram 3 filhos. Eu e meus irmãos. Um deles tem 1,78m o outro 1,95m e eu q tenho 1,83m e sou essa mistura estranha d gerações multiétnicas e raciais. Tenhos os cabelos ruivos meio pretos com mexas loiras naturais e lisos, olhos puxados com um olho verde azulado e o outro cinza meio cor d mel. E lábios carnudos como os d um negro e sou deísta. E pra variar me casei com uma japonesa d 1,70m taoista filha d um português ateu com uma outra japonesa filha d um americano protestante q serviu na guerra do Iraque. Q era filho d uma negra haitiana d olhos q tinha se casado om um ex-nazista q era... Tá bom. Poraqui chega... Agora imagina q tipo d filhos eu e minha mulher vamos ter?

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Receitas bizarras d magia do caos d uma seita chamada Satânica


Em outros termos, vou passar pra você umas macumbas básicas e bizarras d magia do caos.(Lá vem o besteirol)

Manginga pra botar na merda quem você odeia:

Pegue um líquidificador. Ponha leite azedo e ponha a foto d quem você odeia nele e bata tudo! Você pode adicionar alguns outros alimentos podres, como ovo podre e ou o pedaço d pizza mofado da semana passada. Mas onde entra a merda? Vc tem q fazer isso antes d você sentar no trono,(cagar) d preferência depois d ter comido aquela feijoada ou a lasanha da sua avó. Ok. Você pega o conteúdo do liquidificador e despeje todo ele no trono(vaso) e depois você descarrega(caga) nele! Descarrega com vontade! E descarrega no trono ainda levantando as duas mãos pra cima fazendo um sinal d chifim com as mãos e fale Meia, Meia, Meia, merda tem poder! Quaisquer eventos infortuosos q aconeteçam a essas pessoaa q você odeia. Não será mera coincidência... Não mesmo. Com certeza não. Pense bem na sua lista. A ex-namorada q t chutou ou sua sogra q t pentelha.

Manginga pra você pegar todas mulheres:

Bata 6 punhetas por dia durante 3 dias seguidos. A cada gozada esfregue a porra pelo seu corpo. E fica esses 3 dias sem tomar banho! Só no quarto dia q tem q ser sábado q vc vai fazer isso. Elas vão avançar em você como tigresas no cio em qualquer festa q tu for!

Manginga pra você ter proteção contra todos os males:

Pegue uma foto sua do tamanho 6 por 6,6; enrole ela como um pergaminho. Escreva 666 atrás da foto. Em seguida pegue uma camisinha nova. Enfie a foto enrolada dentro dela. Amarre a entrada da camisinha e enfia no TOB@! Em qualquer lugar q vc for sair. Seja ele o mais perigoso possível. Tipo o Iraque ou as favelas Alemão antes delas terem sido invadidas. C vai ta mais protegido q segredo da Area 51! Isso vai t proteger d todos o males da Terra! Eu t agarantio! Essa é infalível! Martelada na testa não t leva queda! Não t deixa nenhum arranhão!


Manginga pra amarrar um amor em você:


Pegue 6 barras d chocolate grandes, 3 d chocolate preto, 3 d chocolate branco. Entalhe seu nome e... E entalhe o nome da pretendente também. O seu nome no chocolate branco o dela no chocolate preto. Coma as 6 barras grandes d chocolate. Faça isso durante 3 dias seguidos. É q tem q dar o numero mágico 666 mesmo. Vai fortalecer a manginga. Você vai ter também uma baita diarreia. Mas isso é um bom sinal. Significa q você está jogando fora qualquer merda q venha a atrapalhar a você se juntar com seu (vítima)amor.

Receita mágica pra ficar rico:

Pra ter muito ouro na sua vida. Durante 3 dias seguidos, vá no no banheiro 6 vezes cada dia. Cada vez q você for mijar aquela sua urina dourada beba ela durante as 6 vezes q você for no banheiro. Faça isso sempre tomando café. Não é pra tirar o gosto da urina da boca, mas porque o café vai deixar ela sempre dourada como ouro. Mas tome ela olhando no espelho. E a cada vez q você virar o copo. Levante sua mão esquerda fazendo sinal d chifrim e diga. 666 é o Poder!!! Metal é o Poder!

Manginga pra adivinhar os numeros da mega sena:

Essa não falha nunca! Passei pra todos os ganhadores fazerem antes da ganhar! Tome aquele laxante durante 6 dias seguidos antes da meia noite. Fique a noite inteira acordado e segurando pra não cagar. E depois das 6 horas e 6 minutos comece a contar quantas vezes você vai no banheiro cagar. Se não fora laxante pode sevrir também o salgadinho estragado da festa do seu sobrinho. Se você foi 3, 5,9 ou 2 vezes. Você anota os 6 números. Eles vão ser os números premiados! E faça esse jogo numa sexta feira do sexto mês do ano a 6 horas da noite!

Mandinga pra curar pau broxa:

As 6 horas e 6 minutos d uma noite d sexta feira. Pegue uma garrafa d iorgute. Certifiquese q seja uma garrafa d iorgute com gargalo largo. Pegue uma garrafa d iorgute d gargalo largo e enfie seu pênis! Depois do c enfiar seu pênis na garrafa d iorgute. D preferência um Activia da Danone. C conta 666 segundos! Depois. Toma tudo num gole! Assim q você sair direto pro banheiro com aquela diarreia e descarregar. Você vai ficar d pau duro por 666 horas direto! Você deve aproveitar essas 666 horas d pau duro e comer uma mulher ou bater uma punheta. Pois se não fizer isso... Você infelizmente vai ficar broxa pra sempre... Só uma correção. Por esse tempo tem q ser 666 punehtas ou uma trepada. Ia me esquecendo. Assim q você descarregar no trono aquela diaerréia fale alto. Meia, Meia, Meia merda é o Poder! Ia me esquecendo também. Tem q tá com os dois braços levantado pra cima fazendo sinal d chifrim também quando falar as palavras mágicas.


Essas sãos as receitas mágicas d magia do caos d um cara q faz parte d uma seita chamada Satânica! SIx! Six! Six! The number of the beast!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

VIAGEM A C204-Por Tylor Tompson


Obs: Q fique claro q não sou o autor desse livro. Mas sim Tylor Tompson, o viajante do futuro. A leitura q você vai ter a seguir, é surreal e emocionante. Tylor me passou o direito autoral do livro e quem também quizésse na sua comunidade do orkut. Dede q nenhum d nós lucrase com o livro, o livro só podera ter lucros obtidos pra beneficiar instituições d caridade. Pois bem... Tenha uma exelente leitura.

VIAGEM A C204.

Quero convidá-lo a embarcar comigo em uma viagem da qual jamais irá se esquecer, desprenda-se dessa prisão a qual chamamos de corpo e liberte-se através da mente.
Meu nome é Tylor Tompson, descendente da família Norte Americana Tompson.
Nasci em 3 de Janeiro de 2217 às 22 horas e 14 minutos, minha mãe Marta Henrry Tompson conheceu meu pai, atual Joel Felix Tompson em uma viagem que o mesmo fez a América do Norte, uma região de muitos problemas, doenças, miséria, guerras e precariedades.
Lembro-lhes que quaisquer fatos aqui citados poderão ou não ter rumos diferentes no seu espaço tempo, devendo acontecer de maneira igual, semelhante ou completamente diferente aos fatos que me ocorreram.
Meu pai logo jovem como todos aqui começou a trabalhar muito cedo, aos 22 anos iniciou-se como entregador de componentes ressonânticos de uma empresa chamada General Electric que fabricava principalmente armas para o batalhão de operações especiais do Bope e o exército brasileiro situado no Rio de Janeiro, cidade onde nasci e fui criado.
Em uma de suas viagens a América do Norte conheceu minha mãe, uma mulher muito bonita e oito anos mais nova que ele, ela como todos naquela nação, estava ansiosa em encontrar um estrangeiro para tirá-la daquele local que mais parecia um inferno, cheirava a enxofre, tinha densas chuvas ácidas que constantemente recaiam sobre a população, minha mãe dizia que via isso como uma punição a uma nação que recriminara o antigo terceiro mundo por séculos de história passada, mares e mares de líquido radioativo dominavam suas praias e encostas, a camada de ozônio naquela área quase não existia, raios gama e intensas luzes solares caiam diretamente sobre a população queimando seus habitantes que se arriscassem a ficar mais que poucos minutos ao ar livre fora de suas cidades subterrâneas.
Meu pai diz que se apaixonou assim que pos seus olhos nela, na época minha mãe era responsável por receber carregamentos vindos do Brasil, era uma novata em seu primeiro dia de trabalho quando recebeu o carregamento de ressonância nuclear vindo do Rio de Janeiro, assim que foi abrir os portões dos subterrâneos de Salt Lake City se deparou com ele que ao cruzarem seus olhares traçariam a história de suas vidas.
Minha mãe engravidou de mim logo, mesmo solteira, tinha dúvidas em estar realmente apaixonada por meu pai que estava cegamente louco de paixão por ela e vivia a pressionando em tirá-la daquele lugar obscuro e levá-la para o Brasil onde ainda existia uma camada de ozônio ativa e ar suportável para se respirar por mais que alguns poucos minutos, foi então que ela chega ao Rio de Janeiro casada com meu pai, uma vez que estrangeiros só poderiam embarcar em território brasileiro por meio do casamento ou parentesco direto afim de evitar a inundação de pessoas no país que era o sonho de consumo de todos os humanos ainda vivos em todo o mundo.
Chegando em território brasileiro, grávida e cheia de dúvidas logo entrou em uma profunda depressão com saudades da família deixada na América, pensou em abortar mas foi impedida pelas leis daquela época, meu pai já estressado e dotado de profundo sentimento de posse e ciúmes obsessivo por ela, torna de sua vida um verdadeiro inferno ainda maior do que aquele deixado para trás, não permitia que ela saísse pelas ruas da cidade alegando não estar acostumada com a vida ao ar livre podendo acarretar em futuros problemas respiratórios e cardiovasculares em um corpo que a vida toda viveu em cidades subterrâneas, mas isso era só uma maneira de deixá-la sob seu domínio e longe dos olhos masculinos do Rio de Janeiro.
Meu pai sempre foi uma pessoa muito insegura e desacreditada em si mesmo desde que nunca conseguiu passar nas provas de aptidão para o serviço militar que era seu sonho. As vezes chegava a altas horas da madrugada dopado de substâncias alucinógenas permitidas no Brasil e em grande parte do mundo nesse período e espancava a minha mãe ainda grávida, tratando-a como uma empregada pessoal de serviços domésticos, não demorou muito para que em uma dessas brigas minha mãe sentisse entesas contrações pré parto e fosse levada as pressas ao hospital onde daria a luz a um frágil e prematuro filho.
Lembro de minha mãe dizer que mesmo ele um homem rude e revoltado perante a vida chorou ao ver seu filho vir ao mundo, jurando nunca mais se dopar e agredir minha mãe, fato que não demoraria muito a se repetir. Quando criança me lembro de muitos momentos felizes aos quais sempre prevaleceram os tristes devido a turbulência comportamental e instável de meu pai. Sempre fui uma criança muito tímida e reprimida com vergonha de vizinhos e amigos que viviam presenciando as brigas de meus pais. Por volta de meus 8 à 9 anos de idade fui levado por meu pai a uma instituição chamada Titanium Tecnologi, fundada ainda no século XXI por um jovem empreendedor que a princípio a nomeou de Ben-Hur SoftWares de maneira amadora em redes sócias pela internet, nome advindo do programador de softwares Ben-Hur que mais tarde seria rebatizada por seu filho de Titanium Tecnologi, nome este pertinente a linguagem de programação comprada pela empresa que revolucionaria a tecnologia mundial, chegando a uma dessas filiais me submeti ao que seria uma das experiências mais traumáticas da minha vida, fomos atendidos por uma secretária que conferiu o meu nome em uma lista confirmando algo que ao meu parecer aparentava já estar marcado. Esperamos por alguns minutos em uma fila onde vi vários pais e mães com crianças da mesma idade que eu, ao chegar na nossa vez entrei em uma sala com uma cadeira parecida com a de um dentista, fui pegado no colo por um senhor de cabelos grisalhos que aparentava ter muita experiência no que estava fazendo, colocou-me sobre a cadeira prendeu meus braços e pernas e disse, relaxe, vai doer só um pouquinho, relaxei e senti que algo simetricamente fino e quente envolvido por uma espécie de gel anestésico atravessava a minha nuca até o centro do meu cérebro, causando um dor atordoante e emitindo pequenos choques elétricos diretamente ao meu cérebro, comecei imediatamente a chorar e ter alucinações a minha volta, minha vista ficou embaçada, meu corpo soava frio, tremia dos pés a cabeça gritando para aquilo parar, cerca de trinta segundos depois, já de corpo inexplicavelmente sem forças e tremulo ouvi uma voz serena que me dizia, terminou garoto, não foi tão ruim assim foi?! Logo imediatamente me levaram a uma sala ao lado onde tirariam fotos internas da minha cabeça, ao imprimi-las percebi que se tratava de um chip Titanium implantado diretamente dentro do meu cérebro próximo ao cerebelo. Mais tarde em uma experiência quase que utópica perceberia o quão importante seria aquilo em minha vida, chegando em casa meu pai desempacotou uma pequena caixa com um cartucho semelhante a um cartão de memória, sentou-me em uma cadeira parecida a que tinha sentado no momento do implante, cadeira essa distribuída de graça pelo próprio governo, sentei e novamente uma espécie de agulha conecta-se a minha cabeça, ele insere o cartucho em um compartimento por trás da cadeira e liga alguns comandos na tela sensível ao toque posicionada ao lado da poltrona, instantaneamente começo a ter novas alucinações que dessa vez me pareciam prazerosas como uma espécie de droga conhecida como o vício do conhecimento induzido, recebia cargas de conhecimento inexplicáveis em minha mente que jamais esqueci, a primeira coisa que aprendi através dessas alucinações e imagens com relatos e acontecimentos tão reais quanto terríveis foi uma data que ao meu ver foi como uma transição de épocas, aprendi que em um passado muito distante por volta de 2050 uma nação conhecida como Coréia do Norte teria quebrado um acordo entre as nações mundiais e realizado testes de bombas nucleares e armas bélicas do exército Norte Coreano em mares estrangeiros, tais testes perduraram por meses em seu território marítimo se estendendo por anos até o Mar do Leste, Estados Unidos e Rússia convocam uma reunião no conselho de segurança da ONU para que tomem as devidas providências quanto a tais acontecimentos que seriam um afronto a paz mundial, os testes permanecem e são captados por satélites Americanos e Russos, a Rússia cansa de tais afrontas e passa como uma maneira de revida a testar suas armas que por décadas ficaram em estática militar, a desordem mundial se dá quando Americanos indignados com tais atitudes tanto Norte Coreanas quanto Russas passam a cortar relações econômicas com os mesmos, países do mundo todo tomam partido dos dois lado, sendo a China uma das poderosas nações e cobrir o Exército Norte Coreano, é lançada a terceira grande guerra, fato que seria inevitável desde a invenção da primeira bomba atômica.
Países do mundo inteiro se envolvem mesmo que indiretamente, os mais afetados são os possuidores de armamento bélico nuclear que disparam ataques uns contra os outros sendo ambos dizimados, a destruição é total tanto humanamente quanto ambientalmente e espiritualmente. Eu acordo daquela que seria a primeira de muitas alucinações do conhecimento induzido de minha vida até a fase adulta. A sensação que tive era de estar a cada instante mais inteligente e são da verdade absoluta.
Por volta de meus 11 anos lembro-me de acordar na madrugada com gritos de meus pais e vendo minha mãe vindo em minha direção com o nariz sangrando depois de uma das constantes agressões de meu pai, tentava defendê-la mas era muito pequeno e frágil na época. Costumava brincar com meus amigos e primos em um jogo surreal da Titanium chamado Virtual Space ou Espaço Virtual, ao qual eram agregadas diferentes realidades virtuais a nossa volta quando éramos sentados nas cadeiras do conhecimento que também serviam de injeção escolar, as alucinações virtuais são tão fortes que sentimos tanto o que tocamos quanto o que somos tocados, salvo as dores que são proibidas em jogos de realidade virtual, nos deparamos a mundos inimagináveis e esplendidos que nos parecem tão reais quanto absurdos, somos navegantes em realidades que somos pilotos de carros de corrida do século XXI, de naves de nosso próprio futuro, nos deparamos em situações no corpo de lutadores em jogos de treinamento marcial, militares em guerras de mundos hostis dentre uma infinidade de jogos que mais parecem uma viagem em nossa própria mente, as vezes jogávamos em tempo real com pessoas do mundo inteiro que tinham suas aparências reais nesses mundos de realidade criada e assistida. Costumava a criar aparelhos eletrônicos para testar os conhecimentos obtidos nas cadeiras de aprendizado e a desferir golpes no ar para testar as habilidades em artes marciais. Lembro-me que certo dia ao chegar em casa logo ao chegar ao túnel principal que ligava a minha portaria residencial, escutei os gritos de minha mãe novamente apanhando de meu pai ecoarem pelos corredores, muita genti estava na porta ouvindo, minha vergonha foi tanta que queria desaparecer dali naquele instante, as cidade são como verdadeiras estações gigantes de metrô em sua grande maioria, com escadas rolantes e níveis de acesso onde o som ecoa facilmente por todos os lados, entrei e em um surto de ódio e raiva aos meus 13 para 14 anos fui para cima de meu pai que me dominou facilmente me espancando com um dos fios de transmissão do receptor ressonântico do veículo que ele transportava as peças da General Electric que para meu azar estava próximo a ele que tentava o concertar minutos antes, até hoje tenho as cicatrizes daquela agressão. Na adolescência costumava a freqüentar bailes de música eletrônica e rock pelas madrugadas com amigos, para aliviar e esquecer das humilhações que meu pai me submetia usava drogas com meus amigos quase todas as noites, saía por volta das 22 horas para pegar o transporte coletivo que era o único meio de transporte para longas distâncias na época, um veículo semelhante aos ônibus do século XXI que se locomovem silenciosamente pelo ar usando de propulsão por ressonância, são transportes de graça para toda a população que se predisponha a locomover-se por eles, há ainda aqueles que constroem seus próprios veículos usando sucatas da guerra, é comum encontrar por exemplo veículos semelhantes a motos sem rodas que atingem altas velocidades pelos céus, são equipamentos feitos pelos próprios donos, já que a política é, se quer ter algo que seja só seu, terá que construir, por que não encontrará para comprar, ao desembarcar nos transportes coletivos que eram de minha preferência, já que sempre fui muito preguiçoso para andar pelos cenários pós apocalípticos do Rio de Janeiro em busca de componentes eletrônicos para montar meus veículos, me deparava com vários outros jovens nas filas das boates lotadas de um povo tão agitado que beirava a loucura insana, era comum ter várias relações sexuais em uma noite se não fosse de sangue tipo O+ já que haveria uma vacina contra a AIDS e doenças sexualmente transmissíveis para os demais, eu como sempre muito tímido não costumava a ter muitas parceiras, gays e lésbicas são comuns por toda a parte não causando nenhum tipo de espanto ou descriminação pelos demais que cerca de 40% são bissexuais assumidos, caso ao qual não me enquadro. Pessoas que nascessem com o sangue O+ ainda usavam de um avanço na medicina que trocava as polaridades do sangue geneticamente através de um coquetel de drogas transformando O+ em O- receptíveis as vacinas contra a AIDS e DSTs. Em uma dessas festas aos meus já 19 anos conheci uma garota que me pareceu ser a mulher mais bonita do mundo, um corpo perfeito, pele clara, cabelos negros e lisos, lindos olhos azuis e uma simpatia radiante, ela trabalhava como atendente em uma das boates as quais eu freqüentava, apesar de minha notável timidez me aproximei e e soando frio com medo de ser rejeitado iniciei uma conversa que marcaria para sempre a minha vida, saímos de lá e fomos para minha casa, que no momento eu já morava sozinho em uma moradia cedida pelo governo comunista do Brasil a todo brasileiro ao completar a maior idade, nos beijamos e passamos a noite juntos, não demorou muito para que nos apaixonássemos, lembro como se fosse ontem dela com um olhar triste e desesperançoso me dizer que seu pai teria abandonado a sua mãe e fugido com outra quando ela ainda era criança, eu então disse a ela que ela deveria dar graças a Deus já que eu preferiria mil vezes que meu pai tivesse feito o mesmo com minha mãe, contei toda a minha história a ela, que meu pai jamais aceitou o divorcio, ameaçava matar a mim e minha mãe caso isso acontecesse e vivia nos espancando durante a minha infância e boa parte da adolescência, percebi que com isso a deixei um tanto quanto conformada e nos demos muito bem, saíamos durante a noite juntos, dormíamos no chão da minha sala em um colchão velho já que eu não tinha condições de ter mobília, mas foi uma época muito feliz, a mais feliz da minha vida, sentia que ela realmente me amava, lembro-me que uma vez dissemos que morreríamos um pelo outro se assim fosse preciso, ela era uma garota extremamente carinhosa e fiel, sempre tive problemas para dormir, minha mente é muito ativa, quando deitava logo começava a pensar em tudo o que me fosse possível, o que me tirava o sono da noite, nessa época eu vivia do salário de mecânico de veículos ressonânticos, profissão que aprendi sozinho através de chips de conhecimento induzido que eu havia adquirido clandestinamente de um grupo de crackers mentais, gangue de rebeldes que se predispõem a zerar chips que a eles parecem inúteis e alterá-los com conhecimentos que lhes agradam, geralmente no setor de tecnologia secreta do governo, muitos deles conseguem hackear mentes de mebros da política e governo público acessando com softwares criados pelos mesmos os implantes cerebrais dessas pessoas, fato que não me espanta já que o governo sempre fez isso quando bem entendeu nas mentes da população, esses grupos de rebeldes conseguem fechar o código binário contido nesses chips, bloqueando o acesso do governo a seus pensamentos, por conta disso vivem em regiões escondidas a fim de não serem capturados já que esse tipo de uso da tecnologia é considerada crime. Devido aos obscuros clubes da noite fiz muitas amizades com membros de forças rebeldes. Trabalhava o dia todo pensando em Fernanda, minha namorada que todos os dias sem faltar ia a meu encontro na saída de minha oficina improvisada nos corredores subterrâneos do Rio de Janeiro, passávamos em um lanchonete na esquina todos os dias para comer, e passeávamos todas as noites pelas praças de recreação subterrâneas da cidade, em casa como nunca tive talento para cozinhar ela fazia o nosso jantar, nossa vida era de praticamente casados. Em um Sábado enquanto assistíamos um programa sobre astronomia e vida extraterrestre na tv, o meu aparelhos de telefonia móvel ressonântica toca, era meu primo que de uma chamada de vídeo conferência holográfica me dizia que minha mãe estava muito mau no hospital depois de mais uma surra de meu pai, nunca tive coragem de agredi-lo ou denunciá-lo as autoridades por pedido de minha mãe que sempre foi uma pessoa muito boa e caridosa, freqüentava mesmo com as implicâncias de meu pai instituições de caridade e reuniões de ciêntologia espírita, crença unificada em nossa época sendo a única religião a ser seguida, com fundamentos baseados na ciência e kardecismo Francês, com todos os seus dogmas comprovados cientificamente com base na matéria escura, cheguei com Fernanda ao hospital e a situação era deprimente, cai em lágrimas nos braços de Fernanda que tentava me confortar, minha mãe em coma sem poder falar respirava com a ajuda de aparelhos, ela e minha namorada foram as únicas pessoas que sempre estiveram ao meu lado e por elas faria qualquer coisa, me dirigi ao encontro daquele ser desprazível ao qual um dia chamei de pai deixando minha namorada para trás, arrombei a porta e parti para cima dele que começou a me ameaçar dizendo me denunciar as autoridades caso eu o agredisse, uma pessoa que sempre nos agrediu a vida inteira agora em uma situação nojenta e desprazível me ameaça com algo que nunca fiz a ele mesmo tendo todas as razões para isso, foi então que pensei em Fernanda que sempre me ensinou a ter calma e aturar de cabeça baixa aquilo que nos é dirigido por seres inferiores, apenas escutei ele me dizer que eu sou um fracassado, não sou homem, jamais teria uma família e que meu emprego era vergonhoso, tentando me provocar para que eu o agredisse e ele tivesse assim motivos de me mandar para a cadeia, abaixei a cabeça e fui embora com aqueles insultos, a partir desse momento pensei comigo que iria dar o melhor de mim para ser um militar do exército brasileiro, algo que ele sempre tentou na juventude e jamais conseguiu, só para fazê-lo engolir garganta abaixo tudo o que me disse, comecei a injetar caragas e mais cargas até minha mente não agüentar mais as injeções de conhecimento, minha namorada que sempre me incentivou passava noites e noites me ajudando com o controle da cadeira eletrônica da Titanium, meu sonho passou a ser seu sonho, com o poder de um militar poderia por meu pais na cadeia e forçá-lo a divorciar-se de minha mãe de forma pacífica, com os bônus do exército providenciaria uma nova casa para minha mãe e o melhor, faria de uma vez por todas meu pai engolir tudo o que me disse, mostraria a ele que não sou um fracassado e que posso ser o que ele sempre quis ser e nunca conseguiu. As palavras de Fernanda dizendo que me ama e que estaria comigo em todos os momentos difíceis me dava forças para continuar, eu realmente a amava, uma semana antes do teste de aptidão do exército a pedi em casamento e ficamos noivos, nos casaríamos assim que eu passasse no concurso, estava atordoado, tendo alucinações e pesadelos constantes devido as injeções de conhecimentos consecutivos que recebi, algo que é medicamente não aconselhável podendo levar até a loucura, esquizofrenia e até mesmo a morte, estava exausto, as injeções não cansam só a mente mas todo o corpo e psicológico quando feitas por períodos concecutivos. Minha mãe que ainda morava com meu pai continuava a ser agredida, por volta das seis da manhã, acordei com Fernanda me abraçando e me beijando delicadamente para me acordar por que estava no horário do teste, levantei e comi o café da manhã que ela preparou para mim, namoramos um pouco e fomos para a estação pegar o veículo coletivo voador, chegamos no exército e ela me deixou no portão dizendo, vai com Deus, eu te amo independente do resultado, não se esqueça nunca disso, eu respondi, eu também te amo, entrei e passei por vários testes físicos e psicológicos, fiquei das oito da manhã as onze da noite realizando cansativos testes de aptidão e conhecimento, incluindo apresentações de artes marciais, conhecimentos científicos, domínios de aparelhos tecnológico e testes de destreza mental e de raciocínio lógico, concorri a 129 vagas com 9800 concorrentes. No dia seguinte logo pela manhã enquanto estava na oficina chega Fernanda pulando em cima de mim e me abraçando de alegria com um documento nas mão dizendo, você foi aprovado, você conseguiu, eu te amo, eu disse a ela com lágrimas nos olhos, eu não consegui, nós conseguimos, sem você eu jamais teria passado, foi um dos momentos mais marcantes da minha vida ver Fernanda sorrindo e chorando ao mesmo tempo de felicidade por uma vitória minha que consegui graças a ela, foi naquele instante que descobri que ela era a mulher da minha vida e que só queria ela pra sempre ao meu lado pelo resto de minha existência. A partir de minha entrada no exército como militar do setor de tecnologia a minha vida mudou, me tornei uma pessoal responsável, nunca mais me envolvi com drogas ou com a companhia de rebeldes e desordeiros, me afastei das noites, deixei de ser tão revoltado com minha infância roubada e traumas familiares, parei de me envolver em arruaças destrutivas pelas ruas por más amizades e tudo o que eu queria era ter um filho e uma família com Fernanda para provar a mim mesmo que poderia ser um pais diferente do que eu tive, dois dias depois tirei a minha mãe pra bem longe de meu pai, dele nunca mais tive notícias, não sei o que se tornou, sei que ele descobriu que consegui passar na prova das forças militares por intermédio de uma de minhas tias que disse que ele comentou estar orgulhoso de mim, não sei se ele está vivo, morto ou que fim tomou, minha mãe agora é mais feliz e estou prestes a me casar, adiamos nosso casamento para o mês seguinte até eu me estabilizar na função militar e em minha nova moradia. Nesse período fui designado para uma missão pacificadora entre os povos rebeldes da região que faziam uso de armas letais o que era terminantemente proibido, as armas do exercido e da polícia eram patrocinadas pala GE(General Electric) e não usavam de força letal o que foi proibido após a grande catástrofe nuclear, além de tudo eles dominavam a linguagem de programação Titanium 13.1 como ninguém, conseguiam atordoar a polícia e o exército invadindo e hackeando suas mentes, um de meus superiores, Josef Ferreira por admirar meus altos conhecimentos na tecnologia Titanium dos rebeldes, fato que aprendi graças a ter convivido muito tenpo entre os mesmos na adolescência, logo quando chegamos ao que no século XXI era o bairro Bangu no Rio de Janeiro nos deparamos com uma frota de rebeldes críticos ao governo e ao mundo que acarretou a grande guerra nuclear de 2050, cerca de 200 rebeldes nos cercaram com homens vestidos com trajes robóticos de exoesqueleto, equipamentos mecatrônicos muito comuns em nossa dimensão “C204”, que possuem várias utilidades no trabalho levantando pesos impossíveis para o corpo humano, esses exoesqueletos contam ainda com propulsores ressonânticos que os permitem voar a grandes velocidades e altitudes, alguns personalizados com quites adquiridos separadamente que podem variar desde acessórios bélicos até poderes de invisibilidade, os exoesqueletos de grupos rebeldes fogem totalmente a essa regra, são muito evoluídos e incrementados, possuem armas que emitem ondas cerebrais atordoantes, tiros de plasma letais, alguns com cerras mecânicas que giram nas extremidades afim de decapitar membros humanos, visão noturna e reconhecimento de face que procuram nos bancos de dados governamentais em tempo de execução por registros e fixas históricas descobrindo a exata patente de cada oponente militar, nós só contávamos com nossos corpos e nossas armas de choque tranqüilizante, o que era ridículo para a situação, o cenário se tornou um campo de batalha com tiros e explosões por todos os lados, era a minha primeira missão e estava apavorado, tentávamos nos esconder atrás de ruínas e sucatas metálicas pelo caminho que levantavam-se rumo ao céu com as explosões dos tiros dos exoesqueletos rebeldes. Foi então que tive uma idéia, em meio a meus companheiros caindo mortos a minha frente peguei meu radio transmissor o desmontei e transmiti seus sinais ressonânticos reversos para os exoesqueletos que me lembrei serem frágeis e entrarem em pane na presença de ondas reversas, ensinamento que aprendi dos próprios rebeldes na adolescência, os que conseguiram fugir a tempo, escaparam pelo ar com seus exoesqueletos ainda em pane, os que não conseguiram por que tiveram seus trajes robóticos desligados e em curto circuito advento das ondas reversas que os desligaram fazendo com que abrissem sozinhos e deixassem cair para fora seus guias interiores foram presos e levados a julgamento, e eu receberia a minha primeira menção honrosa como soldado das forças armadas brasileiras do Rio de Janeiro. Fui recebido com empolgação entre os membros do quartel que jamais haviam conseguido derrotar os rebeldes do território de Bangu, naquele mesmo dia fui convidado junto a amigos do batalhão a ir a um bar nas partes superiores da cidade, estávamos no final da tarde e o sol já estava bem fraco, não representando riscos naquele momento, ao sair do quartel pegamos um ônibus aéreo logo abaixo das enormes escadarias que levavam até as bases militares, fomos conversando muito pelo caminho, fiz amizade com um dos militares chamado Tomas, ao qual me perguntava sobre minha família, filhos e demais assuntos enquanto atravessávamos a cidade pelas vias aéreas, disse a ele que não tinha filhos mas que sonhava muito em ter algum dia, que estava noivo e completamente apaixonado por Fernanda, a mulher da minha vida e futura mãe de meus filhos, enquanto trocávamos palavras eu olhava pelas janelas e observava a cidade do Rio de Janeiro que ainda era uma das poucos a possuir praias com águas de H2O ativas e próprias para banho, um céu azul admirado por todo o mundo pós apocalíptico, haviam construções belíssimas e arranha céus cheios de detalhes e contornos simétricos de engenharia invejável, alguns pareciam prestes a cair em meio a uma inclinação lateral adjacente que de tão absurda causava espanto por conseguir se manter em pé apenas com distribuições exatas de peso e cálculos geométricos, alguns edifícios pareciam verdadeiras cidades verticais atravessando as nuvens, cheios de sacadas e cercados de vidros blindados transparentes os quais passarmos voando pela frente era possível ver crianças brincando em parques e praças projetadas dentro das partes superiores dos edifícios que beiravam a insanidade engenhosa e inacreditável beleza, veículos cruzavam em nossas transversais o tempo todo abaixo e acima voando sem emitir qualquer poluição sonora, a sensação que se tem ao embarcar em um veículo desses é de total flutuação e conforto, são veículos belíssimos de desenho retangular arredondado e detalhes cromados em uma liga de prata e alumínio, poltronas interiores muito confortáveis, o veículo emite sinfonias de música clássica branda e agradável para os passageiros enquanto seguem seu destino, são centenas de milhares de ônibus aéreos cruzando os céus do Rio de Janeiro 24 horas por dia, ainda é possível observar antigas ruínas de prédios caindo aos pedaços restantes dos bombardeios do século XXI aos quais algumas pessoas ainda resistem em permanecer em moradia como uma maneira de protesto ao governo comunista do Brasil, não aceitando as moradias seguras e modernas pelo mesmo distribuídas, são as chamadas regiões rebeldes, onde seus abitantes se expressão em modas e vestimentas chamativas semelhantes aos antigos punks e skin reds, pessoas de notável inteligência, verdadeiros mestres da tecnologia pirata, porém ainda muito atrasados espiritualmente. Por toda a cidade haviam parques de vegetação sintética que pareciam acariciar os olhos com inexplicável beleza, pessoas transitando pelas grandes avenidas que só permitiam a locomoção a pé, muitos dos habitantes cariocas que precisavam ficar longos horas ao ar livre utilizavam-se de mascaras eletrônicas de oxigênio e trajes protetores contra raios gama, ao passar pelas sacadas dos arranha céus observava centenas de casais namorando e admirando a paisagem das nuvens logo abaixo deles, me fizeram lembrar de Fernanda, o que aumentou ainda mais a minha vontade de chegar o quanto antes em casa, não iria fazer desfeita a meus colegas de trabalho logo na minha estréia, então seguimos em frente, o veículo voador gradativamente e bem suavemente começou a perder altitude e descer rumo ao destino de chegada em uma das estações de Copacabana, enquanto ele descia observava de longe o Cristo Redentor ainda firme e forte após várias reformas pós guerra. Descemos em um dos bares freqüentados por militares e começamos a beber e conversar sobre o dia intenso ao qual nos submetemos, me perguntaram onde havia aprendido os conceitos de rádio reversidade, expliquei que na adolescência costumava a freqüentar gangues rebeldes e que havia aprendido muito coisa com os mesmos, me perguntaram se tinha algum conhecimento em invasão de micro-chips mentais, disse que não, que isso de fato ocorria porém somente entre os já anciãos rebeldes e programadores ágeis na linguagem Titanium, o que não era o meu caso, meus conhecimentos englobavam o setor de hardware e não o de software, no centro da praça logo a frente pode ver o relógio holográfico e percebi que era hora de ir, disse que Fernanda já deveria estar prestes a chegar em casa do serviço, um deles que havia chegado depois em uma moto ressonântica me ofereceu carona a qual aceitei sem exitar, me cruzamos os céus entre as nuvens em velocidades incríveis, sentia os ventos atravessarem meu rosto e pentearem meus cabelos em sentido contrário, ele me deixou logo na entrada da galeria subterrânea a qual eu morava, fui recebido aos beijos por Fernanda que sorria e me perguntava como tinha sido a minha primeira experiência como membro das forças armadas, disse tudo o que aconteceu e senti que a deixei um tanto quanto preocupada, conversávamos sobre o fato de nos mudarmos das galerias subterrâneas para uma das residências militares doadas pelo governo em um dos prédios arranha céus, ela logicamente adorou a notícia, viver em galerias subterrâneas não é nada agradável, são as moradias doadas pelo governo comunista do Brasil. Nesse mesmo dia ao final da noite enquanto assistíamos um documentário informativo no aparelho de televisão holográfica, vimos uma reportagem sobre viagens temporais, os entrevistados deixavam lá bem claro os riscos e empecilhos decorrentes entre as viagens, eu e Fernanda debatíamos como poderia ser possível alguém se predispor a um risco desses e a ficar tanto tempo longe da família correndo o risco de nunca mais voltar, em uma coisa concordávamos, jamais um de nós dois um dia chegaríamos a fazer tais viagens, não agüentaríamos ficar um dia se quer longe um do outro na mesma cidade, quanto menos em outra dimensão no espaço tempo. Em meu novo dia de trabalho ao desembarcar nas instalações militares que a todo momento recebiam embarques de caminhões voadores da General Electric carregados de tecnologia ressonântica, lembrava de meu pai que um dia trabalhou em um desses caminhões sonhando estar onde estou, fui assolado por demasiado sentimento de pena, percebi que a vida dava recompensas a aqueles que verdadeiramente eram bons e mereciam evoluir materialmente. Ao passar por um galpão enorme cercado de soldados ao redor protegendo as entradas principais, percebi ao observar as janelas superiores que constantemente a cada segundo eram emitidos fleches de luz intensa e piscante seguidas de um som rápido e estranho ao que me parecia vir de alguma espécie de magnetismo, tentei me aproximar movido por minha curiosidade de uma das entradas mas fui impedido pelos soldados sentinelas que cercavam a instalação, perguntei a um de meus companheiros do que se tratava aquele galpão que emitia constantes fleches de luz, ele simplesmente me respondeu, finja nunca ter visto isso, o quanto menos souber melhor, fiquei realmente intrigado com o que poderia ser aquele fenômeno curioso. Chegando ao quartel de tecnologia central, fui designado a uma sala onde seria designado para a minha nova missão, sentei e aguardei maiores instruções do General Josef, fiquei aterrorizado com o que ele me disse, fui designado a embarcar em uma missão que deveria ocorrer na próxima semana nas vésperas de meu casamento, a qual consistia em um missão por muitos chamada de missão suicida para derrotar focos de gangues rebeldes na América do Norte, sabia que o risco seria eminente, perguntei por que eu, já que era apenas um novato, ele com um semblante sério me disse, por que eu ordenei, mais tarde no caminho de casa deduzi que só poderia ser por meus vastos conhecimentos na tecnologia rebelde, quando dei a notícia a Fernanda ela começou a chorar dizendo que não queria se tornar uma viúva antes mesmo de se casar, pedi que ficasse calma e que confiasse em mim, disse que eu voltaria vivo custasse o que custar, passamos os demais dias ansiosos e apreensivos com a notícia. Fomos a um dos conselhos espirituais no dia seguinte, chegamos a um templo de cores claras semelhante a um castelo dos antigos conto de fadas, misturava linhas clássicas com engenharia futurista e suavizada, Fernanda e eu subimos as escadas e chegamos a um setor chamado área de purificação, onde são emitidos gases de uma cor azul clara, de tal substância que desconheço, me senti como se tivessem retirado uma cruz de minhas costas, não sei se foi algum tipo de efeito drogativo do gás ou se mais tinha haver com a vibração espiritual do ambiente, chegamos em uma galeria enorme com milhares de pessoas, logo a frente havia um equipamento holográfico de luzes púrpura e ideogramas em um idioma ao qual desconheço, logo acima uma faixa de metal cromo escrito em letras negras, Ministério da Ciêntologia Espiritual, sentamos em duas da poltronas na parte de trás onde ainda haviam lugares vagos, um ruído estranho semelhante a um enxame de abelhas ecoou pelo ambiente por alguns segundos, aquele aparelho visivelmente complexo ligou disparando um raio de luz intensa que ia rumo ao telhado, no centro apareceu uma espécie de entidade espiritual vinda das esferas do além, começou então a dar uma palestra sobre o amor e a paz, dizia que somente o amor levaria a humanidade ao triunfo individual, logo depois foi aberta uma sessão de perguntas muito organizada a qual eram enviadas a um membro encarnado logo a frente do palco por mensagens digitais de texto através dos monitores sensíveis ao toque acoplados a frente de cada poltrona, as perguntas então eram passadas ao espírito desencarnado que efetuava as respostas, foi então que Fernanda enviou uma pergunta, perguntava se eu me sairia bem na missão rumo aos Estados Unidos e se não seria agredido ou até mesmo morto, cerca de três horas depois ele deu a resposta a nossa pergunta sem se dirigir a nós ou citar nomes, fiquei surpreso já que as respostas só eram dirigidas a quem as merecesse ouvir, ele apenas disse, alguém aqui parece estar com medo de perder um enti querido, não tenha medo minha filha, a vida é a nossa maior incerteza, a morte?A morte é a nossa grande certeza, então viva para morrer, não viva para viver, por que a vida é incerta de mais para os planos, faça planos para a morte, não para a vida, vivam o seu presente intensamente e façam o bem para que ao chegarem ao mundo dos desencarnados sejam recebidos com festa por aqueles que um dia embarcaram na vida espiritual antes de vocês, o amor verdadeiro não morre na carne e vive eternamente no espírito. Foi uma lição da qual jamais iríamos esquecer, ela sorriu, olhou em meus olhos cheios de lágrimas e disse, faça o que tem que fazer, de o melhor de si, e para qualquer coisa que venha a acontecer, saiba que independente de qualquer coisa voltaremos a nos encontrar seja em vida ou em morte, saímos de lá leves como plumas e cientes de que aquilo fazia todo o sentido, por que ter medo de morrer?A morte não pode ser evitada e a vida é inevitavelmente cessada antes que possamos realizar tudo aquilo que idealizamos, quando perdermos alguém que amamos apenas nos separamos momentaneamente para um reencontro que é a grande certeza da vida, devemos viver em função da morte, construir nossas estradas no hoje através do bem, da caridade e do amor para termos moradias sólidas no mundo dos desencarnados. Chegamos em casa e tivemos uma noite como nunca antes, no dia seguinte fui trabalhar logo cedo, todos os dias passava em frente aquele galpão do exército cercado de segurança impenetrável até mesmo para mim que era um deles, mais tarde descobriria que só tinha acesso a aquele lugar os altos membros dos escalão de soldados, mas não podia deixar de observar aqueles intrigantes fleches de luz que perduravam segundo soube 24 horas por dia 7 dias por semana, passei por vários treinamentos o dia todo, e recebi constantes injeções de conhecimento induzido afim de me preparar para a difícil realidade a qual teria que enfrentar, os militares são totalmente diferentes daqueles do século XXI, é terminantemente proibido o uso de força letal, o que aumentava absurdamente nossas chances de morrer em um campo de batalha, éramos apenas soldados pacificadores lutando contra as rebeliões rebeldes com o único objetivo de estaguinar a paz mundial e evitar um outro holocausto de proporções ainda maiores que poderiam dizimar a raça humana como ocorreu em marte a bilhões de anos atrás. Exatamente as 15 horas e soada uma sirene ensurdecedora e apavorante, todos os soldados embarcam nos ônibus de ressonância militar, a agitação era total, centenas de veículos militares de todos os tipos levantando vôo rumo a América do Norte que suplicava ajuda para controlar sua guerras civis, me foi designado um dos trajes robóticos ao qual me apoderei, liguei a armadura mecânica e segui junto a tropa militar rumo aos EUA, chegamos lá quase que instantaneamente graças a incrível velocidade de ressonância, que como um diapasão que vibra em afinidade a outro com as notas específicas, produz uma ressonância com o ambiente a seu redor que a absorve e a retorna para a origem exata de onde foi emitida, proporcionando o seu emissor a velocidades jamais antes imaginadas. Chegando na América do Norte me deparei com algo que até então só conhecia através das descrições de minha mãe e das alucinações de conhecimento induzido, só a uma palavra para descrever aquela nação, terror, um ambiente tenebroso, totalmente destruído, todos os habitantes de locomovendo em verdadeiras sucatas voadoras, roupas rasgadas, brigas e desordem por toda a parte, um céu de uma cor cinza avermelhado, ar quase que irrespirável, constantes chuvas ácidas, um cheiro terrível de enxofre carbonizado, uma radiação que chegava a queimar se exposto ao ar livre sem os trajes de proteção solar, constantes terremotos e furacões, raios descendo os céus por toda a parte, pessoas enfermas suplicando por ajuda, um cenário catastrófico-infernal do qual jamais esquecerei, logo com a nossa chegada fomos atacados por disparos de laser rebelde em seus trajes de exoesqueleto modificado para fins letais, um combate tão horrível quanto insano foi iniciado, vi máquinas das quais jamais tinha visto em lugar nenhum, verdadeiros ciborgues remontados com o único intuito de matar, robôs gigantescos beirando os 20 metros de altura controlados por mentes doentias e revoltadas com o mundo e com Deus, logo de imediato me vi obrigado a atirar por todos os lados, via militares do exército brasileiro serem atingidos ao meu redor, um deles recebeu um tiro no compartimento de energia do traje mecânico robótico ao qual ele usava e explodiu em destroços de carne humana ensangüentada pelos ares, era sangue e destruição por toda a parte, estávamos sendo massacrados e a força letal não era para nós uma opção, consegui derrubar dois helicópteros que acima de mim passavam desferindo-lhes ondas magnéticas de ressonância turbulenta, três naves das quais me lembro como se fosse ontem foram abatidas por alguns militares que como conseqüência explodiram matando dezenas de rebeldes americanos, destroços caiam sobre mim, tiros de laser e plasma vinham de todos os lados, guiava meu traje mecânico por entre os vales da destruição o mais o mais cauteloso possível me escondendo e me protegendo entre as ruínas, crânios humanos eram esmagados pelos ciborgues que por lá passavam, tais ciborgues tinham a aparência estranha e medonha de verdadeiros esqueletos humanos metálicos de olhos luminosos e fios entrelaçados entre componentes eletrônicos, destruí o maior número de ciborgues que consegui desferindo golpes e disparando tiros de plasma de meu traje robótico, gritos vinham de toda a parte, meus companheiros começaram a ser atacados em suas mentes por crackers rebeldes, caindo em terríveis e insuportáveis dores de cabeça que beiravam a loucura, alguns chegavam a se matar sem o controle do próprio corpo que era guiado pelo chip cerebral hackeado, quando meu traje foi danificado me vi obrigado a abandoná-lo ficando a mercê da própria sorte, corri como um louco por entre aquele inferno bélico de seres atrasados, tudo o que fazia em meu constante desespero era rezar e pedir para que Deus me livrasse dessa, foi quando senti uma terrível dor de cabeça insuportável, era um cracker rebelde acessando meu implante cerebral com códigos de invasão e algoritmos em titanium, é a última coisa que me lembro, cai desmaiado naquela terra fervente cheia de corpos e pedaços de ciborgues malignos e apaguei. Acordei cerca de cinco horas depois em uma sala subterrânea aos cuidados de alguns rebeldes entre eles homens, mulheres e até crianças, a primeira coisa que me perguntaram foi, onde conseguiu os softwares que estão na sua cabeça?Apenas respondi, já fui um membro rebelde na adolescência, um deles mais jovem sorriu e disse dirigindo-se a mim, sua juventude o salvou, todos os seus amigos estão mortos brasileiro, só estamos te mantendo vivo por que temos interesse no seu software cerebral, os implantes cerebrais para terem dados copiados ou serem reutilizados deveriam estar ainda em um corpo em vida. Fui amarrado as forças em uma cadeira de conhecimento induzido aparentemente modificada, tentei reagir mas não obtive sucesso, graças a meus conhecimentos na língua inglesa pude entender tudo o que falavam, fui conectado a um monitor que era ligado a um gerador de imagens holográficas, não demorou muito até que começassem a ver todas as minhas lembranças e experiências de toda a minha vida, desde o momento em que recebi o implante cerebral até o presente momento, assistiram aos meus traumas na infância, minhas experiências sexuais, minhas aventuras e meus fracassos, senti uma dor de cabeça terrível, minha visão escureceu e comecei a tremer e gritar como se estivessem me implodindo de dentro para fora, quando terminaram me puseram em uma espécie de maca e disseram que queriam que eu deveria voltar ao Rio de Janeiro, copiar os dados do serviço secreto brasileiro de estudos de táticas militares e voltar a América para entregá-los, do contrário iriam me matar ali mesmo, haviam colocado uma espécie de vírus computacional em meu implante ao qual iriam me monitorar onde quer que eu estivesse, qualquer ato contrário ao combinado iriam me induzir ao suicídio programado, ou pior ainda, forçariam-me a assassinar Fernanda, não tive outra escolha a não ser concordar, fui liberado no meio do deserto insuportável do Novo México, imediatamente fui rastreado pelos satélites brasileiros que me enviaram uma tropa de resgate, fui resgatado por uma nave cargueira e levado de volta ao Brasil, a primeira coisa que ouvi foi, achamos que estivesse morto, me pediram explicações e disse que havia escapado por que fingi de morto, quando a batalha cessou teria escapado para o deserto que me era a única saída já que a área do campo de batalha estava coberta de poluição radioativa que impedia os satélites de me localizarem, logo fui liberado e contei o verdadeiro ocorrido a Fernanda que ficou aterrorizada, naquele momento admito que senti um certo arrependimento em entrar para o exército, ela me aconselhou a fazer o que eu já esperava, concordar com o plano rebelde, no dia seguinte logo pela manhã passando novamente por aquele galpão de fleches luminosos me desviei do caminho indo rumo as instalações do serviço secreto, ao qual percebi ser impossível entrar sem autorização para tal, o reconhecimento era feito via íris ocular, voltei e esperei até que alguém abrisse a porta, de repente se aproximam dois soldados que começo a conversar intencionalmente e entro com os mesmos na sessão restrita. Quase que de imediato minhas verdadeiras intenções são captadas pelos receptores mentais do exército, três soldados entram na sala a minha procura, tento fugir pelas escadarias superiores que de imediato são cercadas, não faço idéia o tipo de software que aqueles rebeldes instalaram em minha cabeça, a única coisa de que me lembro foi ter ficado fora de mim, sem qualquer controle de minhas ações, lutei com habilidades sobre-humanas semelhantes as dos rebeldes Norte Americanos e espanquei mais de vinte homens ao mesmo tempo, subi as escadas derrubando qualquer um que ficasse em meu caminho, cheguei até o compartimento de processadores computacionais, lembro-me do alarme de segurança ecoando por toda a instalação e todos se dirigindo em meu encontro, quando ia copiar os arquivos fui finalmente dominado, sendo preciso cerca de 70 soldados para isso, me imobilizaram e fui colocado as forças em uma cadeira de conhecimento induzido semelhante a que fui submetido pelas forças rebeldes americanas, lá meus superiores interceptaram os sinais rebeldes e eliminaram o vírus por meio de um software de antivírus cibernético desenvolvido no final da primeira fase das antigas guerras civis americanas, até onde fiquei sabendo eu não havia sido o primeiro a passar por esse tipo de situação, fui severamente comunicado de que deveria ter dito a verdade e procurado ajuda, mas de certa forma por minha falta de experiência compreenderam que o que me guiou fui única e exclusivamente o medo, levei uma suspensão de três dias sem direito a reembolso, mas o preço foi pequeno se comparado a minha vida e a de Fernanda. Durante os dias de suspensão eu e Fernanda freqüentamos as palestras de Ciêntologia Espiritual, lembro-me de uma das palestras que dizia respeito a energia escura no universo, que já era comprovada matematicamente pelos físicos da época, a entidade espiritual se referia a matéria escura como qualquer espaço vago e não vago entre os átomos universais, para todo o lado que olhássemos veríamos ela em nossos corpos, nossas edificações, nossas substâncias químicas e até mesmo em nosso espíritos, ela seria a lógica coerente do universo, a grande mãe da criação e sabedoria, ao nosso entendimento seria Deus, toda partícula viva e não viva se desprendia dessa grande e total energia, manifestando-se em sub-bactérias, que após completarem seus ciclos se juntariam a outras criando bactérias ainda mais elaboradas que após fundirem a outras material e vitalmente originariam-se em micróbios e vidas macro e microbianas, que morriam juntando seus princípios vitais a outras de igual ou semelhante linhagem e grau evolutivo tornando-se seres únicos e ainda mais complexos e evoluídos, segundo ele os únicos a possuírem alma na terra seriam os animais e seres humanos, seres abaixo desses apenas continham princípios vitais que se fundiam a outros constantemente até criarem espíritos de grau evolutivo mínimo encarnados em criaturas atrasadas que após reencarnarem várias vezes chegariam a se tornar um dia seres humanos, níveis intermediários de evolução não condizentes com a terra seriam desenvolvidos em planetas que os tivessem até tornarem a reencarnar em nosso planeta na figura do ser humano personificada, que constantemente estaria evoluindo em esferas materiais e espirituais para um dia partir da condição humana e renascer em corpos se seres mais evoluídos e menos materiais, logo seguiríamos na constante evolução do aprendizado até um dia chegarmos a ser o que Jesus Cristo foi para a terra, verdadeiros governantes de mundos menos evoluídos, lembro-me dessa entidade dizendo que Jesus retrocedeu oito níveis na escala interplanetária para reencarnar entre os humanos com o único intuito de guiá-los a evolução espiritual que seria impossível sem ele, sua bondade infinita fez com que mesmo não precisando voltasse a um mundo inferior pelo único motivo de guiá-los ao amor e a sabedoria divina, palestras interessantíssimas que se referiam ainda aos legionários espíritos do mundo de Cristo que o seguiam o tempo todo em forma invisível aos olhos carnais, ajudando-lhe a realizar seus milagres que nada mais eram do que fenômenos quânticos gerados por ele graças a seu alto domínio mental. Chegando em casa, já em nossa nova moradia em um dos apartamentos das cidades verticais lembro-me de assistir a um programa holográfico-televisivo o qual falavam dos seres de Zeta Reticuli, entidades materiais da galáxia de Zeta a cerca de 39.4 anos luz da terra, que por meio de ressonâncias universais no espaço negro atingiam velocidades superiores a da luz até chegarem a nosso planeta, seres evoluidíssimos tanto tecnologicamente quanto espiritual e moralmente, são raras as pessoas que chegaram a ter algum contato com eles, geralmente membros do estado político e do alto escalão do exército, eles sempre nos observaram de longe desde a pré-história, são os responsáveis por grande parte de nosso evolução tecnológica, protegem nosso sistema solar contra a aproximação de seres de outros planetas com más intenções, seres de grande aparato tecnológico e moral espiritual duvidosa, a civilização dos seres de Zeta é antiguíssima e estão milhares e milhares de anos a nossa frente no grau evolutivo, eles nos olham da mesma maneira que olhamos e preservamos nossos animais contra a extinção, nesse caso contra nossa auto extinção, jamais tentaram nos dominar ou impor seus costumes por meio da autoridade, são seres muito evoluídos que sabem que a evolução é individual e não imposta e obrigatória, se reservando a nos passar gradativos conhecimentos a cada século de história, são seres de olhos grandes e negros e pele acinzentada, bocas e ouvidos pequenos já que não lhes são necessários por se comunicarem por telepatia e se alimentarem de fluidos cósmicos numa espécie de fotossíntese estelar, a comunicação por vias vocais a eles remetem um atraso beirando a animalidade. Se apresentaram formalmente a poucas décadas mesmo estando aqui a milhões de anos nos observando. Há ainda aqueles seres que depois da chegada formal dos Zetas foram impedidos por eles de atravessas nossa galáxia rumo ao sistema solar, raramente vazam algumas naves provenientes desses planetas que são muito evoluídos na ciência e tecnologia e extremamente atrasados espiritualmente, chegando a terra com o único intuito de abduzirem seres humanos realizando experiências e mutilando corpos sem o mínimo pudor pela vida humana, deixa para trás o terror psicológico e traumas que muitas vezes levam a loucura, esses seres nos visitavam muito durante o século XXI sendo monitorados no atual presente, alguns deles de aparência física semelhante aos seres de Zeta, outros bem diferentes em cor e tamanho, alguns até parecidos com a raça humana, contudo os únicos a se apresentarem formalmente e provarem a sua existência foram as entidades extraterrestres de Zeta Reticuli. Saí com Fernanda e nos divertimos no dia anterior que voltaria a trabalhar, tivemos uma noite muito agradável juntos, a noite carioca é sempre admirável, a cidade fica coberta de luzes de todos os lados que vem dos prédios postes e veículos voadores, as pessoas costumam a freqüentar convenções de música em diversos estilos, prevalecendo as músicas clássica, erudita, rock, eletrônica e algumas variantes de combinações desses estilos, descemos a cidade vertical a qual nos encontrávamos por um suave e silencioso elevador que atravessava um tubo de vidro transparente blindado externo ao prédio, no curso até o térreo era possível observar a enorme cidade acima das nuvens cheia de luzes e veículos que atravessavam cruzando em diferentes altitudes de todos os lados a metrópole, freqüentamos a praça local que era bem agradável durante a noite, diversos casais passavam por lá para namorar, famílias com crianças lotavam as fontes e instalações da área de recreação, diversas bandas de música e cantores se apresentavam por lá para o público, sentamos em um dos bancos e ficamos lá por horas lembrando os momentos especiais de nossas vidas, lembrei-me de minha infância quando corria por aquelas praças, jogava bola com amigos, e também dos momentos em que apanhava dos mais velhos que sempre me ridicularizavam por ser o mais fraco, lembro dos meus amigos de verdade na juventude, das encrencas que me metia, das pichações pelas ruas e de minhas namoradas que sempre me ensinavam um pouco sobre a vida, Fernanda comentava da ausência do pai que nunca teve, da mãe que teve que criá-la juntamente com sua irmã e seu irmão sozinha, dizia que seu irmão quando podia juntamente com sua irmã quando tinha condições sempre a ajudavam com o que tivessem condições, no tempo que ela morou com sua mãe sempre a ajudou nos serviços de casa e no seu trabalho com o salão de estética, me dizia que seu maior sonho era constituir a própria família ter filhos e um marido, a família unida que nunca pode ter, nesse ponto tínhamos algo em comum que realmente nos costumava a tocar no fundo de nossas almas, ela era muito bonita e sempre chamava a atenção por onde passava, sempre tentei ser o mais confiante possível com medo e receio de me transformar no que um dia meu pai se transformou para minha mãe, era uma época de pessoas muito bonitas, tanto homens quanto mulheres, de traços simétricos e corpos perfeitos, não existiam pessoas feias exceto aquelas que nasciam com as deformidades causadas pelo ambiente radioativo, a beleza dos humanos nessa época se decorria ao fato do domínio do código genético, que possibilitava a mães e pais escolherem a aparência que melhor lhes agradava em seus filhos, o mapeamento do DNA era muito comum, cada pessoa continha um registro genético que espunha os principais riscos para a saúde de cada um que poderiam aparecer no futuro para que pudessem se prevenir com os medicamentos adequados no presente, infelizmente graças ao alto teor de radiação do planeta isso não ajudava muito no aumento da expectativa de vida que era em média de 55 anos, raramente alguns poucos chegavam aos 70 ou 80 anos, a população era composta por rostos jovens, várias drogas e substâncias ajudavam no retardamento da velhice estética, pessoas de 40 ou 50 anos aparentavam ter 20 ou 30 no máximo, olhávamos para cima e raramente conseguíamos ver naves de Zeta nos observando de longe, embarcamos em um ônibus aéreo e voltamos para o nosso apartamento esperando pelo dia seguinte após termos feito diversos planos para nossa vida. Quando voltei para a base militar estava agora mais maduro e disposto, minha patente era a mais baixa até então, não me cansava de observar aquele estranho galpão de fleches luminosos que meus instrutores nunca me revelaram do que se tratava, logo na entrada fui chamado por Josef com um iPad da apple terceirizado pela tecnologia titanium, muito comum por lá, bem mais avançado do que aqueles lançados pela empresa de Steve Jobs no século XXI, sendo mais finos e de material totalmente flexível, operados com o sistema Titanium móbile criado ainda pela extinta Ben-Hur SoftWares, hoje a atual empresa Titanium, naquele aparelho ele me mostrava dados ao que tudo indicava se tratar de meu micro-chip cerebral hackeado dias atrás, segundo constava no documento que ele mesmo me explicou momentaneamente, o algoritmo do vírus havia migrado para o chip de outra pessoa como acontecem com todos os vírus de computação programacional, fiquei um tanto quanto preocupado quando me disse que poderia ser para alguém que tenha passado muito tempo próximo a mim no período em que fui infectado, logicamente a primeira pessoa que me veio na cabeça foi Fernanda, sai de lá na mesma hora e fui correndo desesperado para a casa, peguei o primeiro ônibus aéreo que encontrei e parti ao encontro de Fernanda, quando cheguei em casa percebi que ela já tinha ido para o trabalho, desci para o térreo o mais rápido que pude e fui para a boate que ela trabalhava, chegando lá me disseram que ela não havia aparecido no serviço naquele dia, fiquei desesperado sem saber o que fazer, corri para a casa dos pais dela, liguei para todos os amigos e ninguém tinha notícias, foi uma sensação de impotência que não pude controlar, voltei desesperado para o quartel onde tentamos rastreá-la, descobrimos que ela estava em uma das estações prestes a pegar uma nave para a América do Norte, convocamos algumas tropas para tentar impedi-la de sair do país, mas foi inútil, em poucos segundos ela já se encontrava em território Americano, o comandante tinha outras preocupações, tinha receio de que ela poderia ter copiado arquivos secretos da minha mente, enquanto eu só pensava em não perdê-la. Nos comunicamos com a base requerendo uma missão de emergência para as áreas rebeldes Norte Americanas, chegamos nos Estados Unidos com uma frota de naves bélicas já se preparando para o pior, desembarcamos na encosta de um rio fervescente de metano, e descarregamos os trajes mecânicos, robôs e exoesqueletos, armamos os homens e seguimos rumo as tropas rebeldes que nos armaram uma emboscada, o terreno estava completamente minado, explosões vieram de toda a parte jogando destroços para o alto e lançando fogos em todas as direções, robôs rebeldes controlados por homens em seu interior chegaram aos montes de todos os tipos e modelos que jamais antes tinha visto, disparos de laser e plasma vinham de toda a parte, um barulho ensurdecedor de explosões nos cercavam de todos os lados, eu estava a pé com uma bazuca de onda ressonântica nas mãos atirando desesperadamente por todos os lados só pensando em Fernanda e tentando avançar o máximo possível para penetrar nas instalações rebeldes, tinha um capacete com um visor que sobrepunha um de meus olhos e me dava o reconhecimento de raio x do local buscando por passagens secretas e rebeldes escondidos, naves rebeldes cruzavam os céus em vôos rasantes disparando tiros por todos os lados, dessa vez estávamos mais prevenidos e contávamos com geradores de campo de força contra invasões de redes neurais e tiros menos densos de laser nível um que recobriam nossos trajes militares, ainda assim diversas vidas se perdiam a cada minuto esmagadas pelos robôs de grande porte e atacados por ciborgues programados com o único intuito de matar, um estado de alerta imediato toma conta de mim e passo por uma densa barreira de rebeldes derrubando vários deles e os lançando para o alto e para trás com disparos de ressonância que saiam dos punhos de minha mão esquerda enquanto a direito segurava a bazuca que atirava no lado contrário, o ambiente Americano era escuro e de pouca visibilidade naquele momento, devido a grande infestação de ar poluído naquela área, mau conseguia respirar, estava ofegante e só pensava em resgatar Fernanda, foi quando reconheci uma entrada subterrânea que ia até as antigas instalações de bases secretas americanas no novo México que foram tomadas pelos rebeldes, segui alguns passos e vi o que me parecia ser uma passagem, estavam aparentemente sem ninguém de vigia naquele momento, tirei as sucatas que disfarçavam a entrada e desci os degraus de uma escada improvisada, tinham túneis por todos os lados, percebi certa movimentação nas galerias mais a frente e me escondi entre as sombras, um grupo de rebeldes passaram por mim e graças a Deus não notaram a minha presença, acionei meu rastreador e segui os sinais dos impulsos ressonânticos do chip cerebral de Fernanda, dos corredores subterrâneos eu escutava a desordem da guerra que se passava na superfície, constantes tremores jogavam poeira e detritos em cima de mim, pareciam estar quase todos na superfície envolvidos na batalha, aproveitei a chance para procurar em todas as galerias, o sinal ficava mais forte a medida que me aproximava, percebi que na sala em que ela provavelmente se encontrava tinham dois robôs sentinelas de vigia na porta, me aproximei de vagar e derrubei os dois com disparos da minha arma, um deles ainda atordoado me acertou no ombro, comecei a perder muito sangue, o alarme soou instantaneamente, derrubei a porta com dois tiros e entrei, Fernanda estava sozinha amarrada em uma mesa aparentemente cirúrgica, que ao que me parecia serviria para acessar de maneira ilegal e totalmente desumana o seu micro-chip cerebral, ela estava muito dopada, coloquei-a em meus ombros e com muita dificuldade seguia para a saída destruindo os robôs guardiões, me escondendo nas sombras e desacordando os rebeldes que me atacavam com disparos de minha arma ressonântica, tirei forças de onde só Deus sabe, subi as escadas atacando todos os que ficavam em meu caminho, levei diversos disparos e estava gravemente ferido, escutei um sussurro de Fernanda muito fraca dizendo, eu te amo, fechou os olhos e parou de respirar, entrei em um atordoante desespero, gritei aterrorizado, tentei reanimá-la de todas as formas mas era inútil, seu organismo não agüentou a quantidade de drogas injetadas no seu corpo, cai em prantos no pior dia de toda a minha vida, a mulher que eu iria me casar, a futura mãe dos meus filhos, morta em um cenário de batalha que era em função de meu trabalho, ela não tinha nada haver com aquilo, uma pobre vítima da insanidade humana, chorei como uma criança desejando morrer ali mesmo, a tripulação bateu em retirada, me lembro de um dos soldados gritando em meio aos tiros, ela morreu, vamos embora, ela já está morta, não temos mais o que fazer aqui, bater em retirada, ela morreu, estava em estado de choque e fui agarrado por um dos militares que me levou para a nave mãe, gritei para que pegassem o corpo dela mas não tivemos tempo, enquanto a nave levantava vôo em meio a ventania da turbulência da aparelhagem eu olhava gritando e chorando pelas grades da parte inferior da nave observando o corpo dela jogado em meio aquele mutirão de destruições de distanciando de nós, depois desse dia a minha vida jamais seria a mesma, como um filme na minha cabeça lembrei de todos os nossos momentos juntos, desde o dia que eu a conheci sorridente trabalhando dedicada nas noites do Rio de Janeiro, aquela garota de um sorriso lindo que sempre me colocou como prioridade na sua vida, sempre estava lá me esperando quando chegava em casa, sempre me acordava todas as manhãs me abraçando e me beijando, era carinhosa a qualquer hora do dia, sempre sabendo me motivar com as palavras certas, uma mulher que sem a qual eu não seria a metade do que me tornei, quando a nave bateu em retirada simplesmente desmaiei com o trauma. Lembro-me de ser acordado por minha mãe no hospital, ela dizia que sabia do ocorrido e que eu precisava ser forte, não por mim, mas por Fernanda que nunca me deixou desistir, com lágrimas nos olhos disse que estava acabado, que não poderia continuar sem ela, que poderiam me deixar lá para morrer e isso não faria a menor diferença agora, minha mãe, sempre muito religiosa me disse as palavras que eu guardaria comigo pelo resto da minha vida, você meu filho, é só um garoto, quantas pessoas na sua idade passaram por tudo o que você passou na vida?Você é um ser humano forte, mais preparado que qualquer um naquele exército, use esse seu preparo para impedir que outros tenham que passar pelo mesmo que você passou, faça dessa a sua missão e se agarre nisso para superar a falta que ela irá te fazer, eu sei que vocês se amavam de verdade e isso não precisa mudar só por que ela está agora em outro plano, um dia vocês irão se reencontrar, você quer que nesse dia ela te diga que você não deveria ter desistido, que você foi fraco?Imagino que não!Só conseguia chorar, minha mãe então chorava comigo e dizia para que eu fosse forte com as perdas por que elas fazem parte da vida e logo seria ela. Alguns meses depois minha mãe morreria de causas naturais. Nem tive tempo de ir a seu enterro, estive internado todo o tempo sem poder me mexer, foi um período muito difícil para mim, voltava sozinho para casa, dormia sozinho, e só pensava nas minha perdas, por dias fiquei passeando pelas praças que ia com Fernanda todas as noites e relembrando cada momento que passamos juntos, sentia um aperto enorme no peito, e como se não bastasse ainda fui arrebatado com a morte de minha querida e sofrida mãe. Em casa assistindo a um documentário holográfico sobre viagem no tempo algo que sempre recusei de repente me vem a cabeça como uma esperança ainda acesa em meu interior, e se eu voltasse no tempo e impedisse a morte de Fernanda?!Por que não?Afinal eu sou um militar e segundo soube essas viagens são feitas pelo alto escalão das forças armadas, no dia em que voltei a trabalhar especulei sobre o assunto com o General Frank que eu soube ser responsável por escalar viajantes temporais no exército, ele me levou até uma sala confidencial e me perguntou, essa é a porta para o conhecimento que busca, nada aqui é como imagina, deseja continuar?Se entrar não haverá mais volta!Apenas respondi, acha mesmo que a essa altura da minha vida tenho algo a perder?Abra logo essa porta e me apresente o que tem pra mim, ele sorriu e abriu a porta, era uma infinidade de pessoas sentadas em fileiras e fileiras de poltronas do conhecimento induzido aparentemente bem mais avançadas, um salão admiravelmente enorme, todos sentados em estado de transe, chegava a ser um cenário tão macabro quanto admirável, o senhor Frank então me disse, aqui é a sala do conhecimento e treinamento para as viagens temporais, mantemos intenso contato com a tecnologia de Zeta Reticuli que vem nos ensinando muito a respeito desse assunto, você ficará em treinamento contínuo até estar preparado para a prova que decidirá se você está apto ou não a ser promovido a este setor que é tão importante para a nossa época, apenas concordei e iniciei imediatamente o treinamento, me sentei em uma das milhares poltronas dentre aquele mutirão de soldados e iniciei as minhas sessões de conhecimento induzido. Lembro-me que a primeira coisa que aprendi foi sobre as teorias do multiuniverso que já logo de cara desbancavam a minha intenção de impedir o assassinato de Fernanda, mas me surpreendi com outros conhecimentos que me foram muito interessantes, o software da tecnologia Titanium atuava de maneira incrivelmente rápida na minha mente, era algo realmente viciante, quanto mais aprendia mais queria aprender, a cada uma hora eram feitas pausas para o descanso da fadiga psicológica, eu me recusava a descansar, em quanto todos descansavam o salão ficava vazio somente comigo recebendo aquelas viciantes cargas mentais em meio a milhares de poltronas vazias, lembro-me do general Frank comentar com um dos encarregados, de onde veio esse Tylor?Ele é uma máquina, nunca vi nada parecido!Quando todos foram embora no final do expediente, continuei lá sozinho com o treinamento, uma das primeiras coisas que aprendi foi sobre as teorias de funcionamento das máquinas temporais, com a tal máquina temporal eram disparadas pequenas colisões atômicas provenientes de um campo gravitacional de uma propulsão ressonântica para se atingir a velocidade da luz rumo a um portal multidimensional aberto por tais colisões que é interceptado pela máquina do tempo que contrai o universo tempo a sua frente e o retrai atrás, é gerado um túnel que liga duas dimensões sendo a segunda pré definida, o túnel nada mais seria do que um buraco de verme embrião em escala menor o suficiente para que meu veículo passe por ele, esse veículo temporal então gera uma infusão negativa de energia por geradores quânticos, no passado longínquo conhecido como efeito Casimir, com isso o veículo temporal atravessa com segurança sem maiores danos o túnel criado de um universo a outro, o campo de energia negativa controla a tendência natural do buraco de verme de chegar a um ponto de uma densidade que beira a infinita ou quase infinita, impedindo que este se transforme em um buraco negro enquanto a máquina o atravessa. O veículo fabricado pela General Electric então separa as extremidades do buraco de verme embrião, uma extremidade é colocada junto à uma superfície de uma estrela de nêutrons que possui uma densidade incrivelmente alta de campo gravitacional ainda maior, a intensa gravidade faz com que o tempo corra mais lentamente nessa extremidade, fazendo então com que o mesmo corra mais rápido na outra, as duas aberturas do buraco de verme ficam separados momentaneamente no espaço-tempo do universo de transição permitindo ao tripulante deslocar-se a qualquer ponto de uma extremidade a outra, quanto mais próximo o veículo ressonântico estiver de uma das extremidades maior será o seu respectivo avanço futuro ou passado, aprendi ainda a teoria do multiuniverso, Einstein não sabia de um princípio que é básico no vetor C204, nome dado a nossa atual dimensão, que na verdade era muito simples, o princípio de que o universo gira em torno de si próprio, a subseqüente máquina de C204 possui um sofisticado processador em linguagem Assembly que grava os dados exatos da localização de origem em uma memória estruturada em grafite cinético, veio do grafite o substituto do silício que repassa dados binários 10 vezes mais rápidos que os antigos chips de silício, este se acopla a uma detecção de flutuações de força e possíveis erros de VGL ou parada de emergência gerada pelo tripulante, a máquina gera um campo de ressonância com o ambiente universal ao qual se encontra, através de um segundo campo de controle gravitacional gerado para diminuir a gravidade em torno do veículo ele se torna incrivelmente leve, exigindo pouquíssima energia para se propulsionar, atingindo velocidades incríveis como a de 299 792 458 metros por segundo propulsionado ressonânticamente, o qual permitiria a qualquer um viajar no tempo tanto para o passado quanto para o futuro, complementando a teoria de Einstein de que só seria possível viajar para o futuro, aprendi ainda sobre a quebra de possíveis paradoxos, quando há deslocamentos no espaço temporal são abertos portais multidimensionais e não portais unidimensionais, o que acontecerá no futuro de um ser do passado não aconteceu necessariamente no passado deste ser no futuro, eu poderia voltar no tempo e assassinar meu avô e continuar existindo, simplesmente pelo fato de ele não pertencer a mesma dimensão de onde vim, há uma infinidade de dimensões sendo criadas a cada milésimo de segundo com o mínimo movimento atômico, partículas elementares invisíveis se colidem a outras em dimensões paralelas o tempo todo e novas possibilidades são criadas a cada segundo, em algum universo eu poderia estar no lugar do general Frank enquanto eu o analisava nas injeções de conhecimento induzido, a um vetor designado para cada conjunto de dimensões que são paralelas e apresentam semelhanças entre si, para cada letra do alfabeto, existe um vetor A, B, C, D...X, Y, Z que são renomeados com combinações numéricas para enumerar a quantidade de dimensões em cada vetor, números que podem variar de 0 até o infinito incalculável, com combinações como A0001, B0020, C204 e etc..., a primeira máquina do tempo foi criada na América do Norte antes mesmo da grande guerra pela GE, General Electric, que após um acordo com a PetroBras passou a construí-las somente no Brasil, a primeira máquina do tempo ainda primitiva foi construída por volta de 2036 por Alan L Mallet descendente de Ronald L Mallett, a qual foi mantida por vários anos em segredo do governo Norte Americano, me interessava cada vez mais pelo que aprendia. Ao término do treinamento estava em um estado de Alfa e uma sensação de Utopia indescritível, tudo o que via estava diferente, o mundo e o universo para mim não eram mais os mesmos, percebi que apesar de ter estudado a vida toda, eu não sabia de nada, era um mero ignorante perdido em meio a complexa transcendência mental e universal, fatos antes inimagináveis para a minha mente agora eram possíveis, eu realmente poderia ajudar a humanidade em suas infinitas dimensões a não terem que passar pela aterradora verdade a qual eu vivi, uma das primeiras coisas que me veio em mente após o intenso treinamento foi que eu nunca deveria ter me apaixonado, no meu tipo de trabalho a família sempre paga pelas conseqüências mais pesadas, agora eu iria colocar a minha profissão em primeiro lugar, afim de torná-la uma missão que ultrapassa o multiuniverso. Ao sair do salão de treinamento com o conhecimento mental induzido me deparei com Frank, olhou dentro dos meus olhos como se pudesse tocar a minha alma e disse, o treinamento está apenas começando, nos dirigimos para um compartimento esférico-circular, uma espécie de quarto mecânico-eletrônico ao qual fui trancafiado, de repente me vi a um mundo de realidade virtual a minha volta que de tão real seria assustador e ao mesmo tempo insano, assustadoramente mais real que os jogos de realidade sobreposta ao qual usava na infância, com uma diferença fundamental, a dor, eu poderia morrer naquele cenário macabro da mente humana, estava na casa dos vinte anos de idade mas me lembro como se fosse hoje, Frank ficava na sala de controles logo ao lado cuidando de tudo o que me era submetido, estava em um cenário de caos, rebeldes, robôs, ciborgues e seres estranhos me atacavam por todos os lados, a destruição estava por todos os lados, eu corria e me defendia, aniquilava a tudo o que me aparecia pela frente, eu estava inexplicavelmente mais forte com a perda de Fernanda, isso dava a prova as teorias de energia escura que nada mais é do que a energia gerada pela falta de energia, incrivelmente a falta de energia é uma energia contraditória e controversa, matéria é energia, energia é matéria, e o espaço vazio ao negro cosmos entre as meterias gera tanta energia quanto a presença dela, enquanto guerreava em um mundo de realidade virtual, lembrava do que uma vez o senhor Josef havia me dito, a energia escura teria sido comprovada através de um estudo minucioso de que assim como a presença material gera reações no universo, a falta dela também gera, por exemplo: a existência de oxigênio no meu corpo gerará varias reações no meu organismo dentre eles a respiração, a falta de oxigênio gerará reações muito maiores e abrangentes podendo levar a minha morte, essas ultimas conseqüências ocorrem através de uma contra energia que não deixa de ser uma energia já que também me afeta de alguma forma, estudiosos da antiguidade no século XXI achavam que o universo se expandia e desacelerava, mas não, ele se expande e acelera, é exatamente o contrário, isso por que quanto maior a expansão maior será a distância entre os elementos que o compõe, e quanto maior a distância maior será a energia escura que na verdade é o espaço vazio que reage com a aceleração do universo em expansão, a falta de qualquer coisa causa reações assim como a presença da mesma também pode causar, a energia escura nada mais é que a energia do vazio que pode ser usada a nosso favor da mesma forma que a energia material se a direcionarmos para os fatores certos, lembro-me de um exemplo dado pelo general que hoje me serviria como uma luva, Tylor, suponha que você tenha uma namorada que a ama mais que qualquer coisa no mundo, com ela ao seu lado você enfrenta em uma luta um adversário 10 vezes maior e mais forte que você na segunda-feira, pelo fato dela estar te olhando você não quer decepcioná-la e apanha, porém apanha muito menos do que apanharia se ela estivesse simplesmente em casa sem saber que você estaria lutando, na terça-feira seguinte seu oponente o desafia de novo pelo simples fato de não ir com a sua cara e gostar de agredir pessoas mais fracas como você, porém na terça-feira você está sem a sua namorada, ela está em casa vendo tv sem ter a mínima idéia de que você está novamente metido em uma encrenca, você simplesmente sem motivação alguma leva uma surra 5 vezes mais violenta do que a de segunda-feira quando ela estava lá para te apoiar, quarta-feira, ele retorna a te desafiar, você está sem a sua namorada e crente de que a mesma está em casa vendo tv como na terça e logo pensa que levará outra surra daquelas, tenta fugir mais não consegue, ele para na sua frente e exibe a cabeça da sua namorada decapitada nas mãos, você de imediato percebe que a sua vida acabou e que não conseguirá jamais viver novamente sem ela, o ódio lhe toma conta do corpo e do espírito, sua adrenalina explode por todo o seu corpo, seus sentidos ficam em estado de alerta em um centésimo de segundo, você esquece o mundo a sua volta e só tem uma coisa em mente, matar, destruir, dilacerar, fazer com que esse ser sofra temorosamente pela falta que este te causou, você com a força de 10 homens parte para cima dele e o mata por espancamento com todo a ódio que lhe tomou conta pelas veias, a energia gerada pela falta de algo que lhe era essencial para viver foi muito maior do que quando possuía tal essência quando direcionada para um objetivo específico, o mesmo ocorre com a energia escura, infelizmente era o que provavelmente estava me acontecendo, eu era atacado por todos os lados em 360 graus, de baixo em cima, estava só em meio ao que se aproximava do verdadeiro apocalipse, gritava o mais alto que podia, deixava transparecer a minha raiva e indignação diante da vida, corria e destruía tudo o que se mexesse, então o treinamento de realidade virtual foi cessado, saí exausto por aquela pequena passagem que ligava o compartimento de realidade sobreposta ao quartel general, Frank me disse com um sorriso irônico no rosto, seu treinamento acabou, vá para a casa e descanse, amanhã logo cedo lhe daremos um parecer com o seu resultado, fui para casa, dessa vez não haveria ninguém me esperando, torcia para estar em um pesadelo do qual acordaria pela manhã, chegando em casa fiz mais algumas sessões de conhecimento induzido, teorias físicas e fatos marcantes da história que pudessem de alguma maneira me ajudar caso fosse aceito para tripular as viagens temporais, o descanso não estaria mais em meu vocabulário até cumprir a minha missão, percebi que minha dimensão não pode ser mudada por seres dela decorridos, nossas interferências quando permitidas só se realizariam em dimensões exteriores a de origem, ainda assim executadas com muito estudo e cuidado evitando possíveis distúrbios não desejados que podem ser reflexivos a outros universos, a AIDS teve sua cura descoberta em C204 pela fundação Bill & Melinda Gates, a cura foi desenvolvida com base em um ponto fraco no vírus, os cientistas descobriram esse ponto fraco na proteína GP120 que cobre a disseminação do HIV, o tratamento é relativamente simples e teve como conseqüência uma vacina para a doença, a vacina atua na neutralização de 100% das cepas do vírus da AIDS, foi uma das descobertas mais significativas no meio da medicina mundial, foram descobertas pessoas, que por sinal sempre existiram e passaram desapercebidas entre os médicos por todo esse tempo que possuem de maneira natural uma mutação genética que faz com que o corpo humano resista ao vírus HIV explorando a falha GP120 encontrada no mesmo, a mutação age afetando os receptores celulares que tem como nome científico CCR5 usados pelo HIV para invadir e infectar o sistema imunológico humano, isso foi facilmente percebido na manipulação de células tronco com transplantes de medula óssea, a cura da AIDS esteve na cara dos cientistas e biólogos por muito tempo, só não souberam procurar da maneira correta nesse período de pré-descobertas, dentre descobertas passadas talvez uma das mais significativas seja a regeneração de membros humanos, do contrário do que muitos achavam a solução não estava nos répteis e sim em um gene nos ratos que após ser manipulado geneticamente com trabalho de células tronco tem a capacidade de regenerar membros em quaisquer seres que tenham os perdido, outro avanço significativo foi a impressora molecular, que imprime órgãos humanas partícula por partícula, estudei ainda sobre viajantes temporais passados e presentes, descobri que são incontáveis os números de tripulantes desses fenomenais veículos multidimensionais, dentre eles estão Taylor Fird que participou de uma viagem experimental na reabertura da ponte de South Fork depois da inundação de novembro de 1940 no Canadá, Andrew Carlssin que foi o primeiro a viajar no tempo ilegalmente levando consigo históricos da bolsa de Nova York se tornando um milionário em Wall Street, John Titor que foi o primeiro humano a viajar no tempo, usando uma máquina primitiva de 2036, Joana Collin que foi a primeira mulher a viajar no tempo, fez uma viagem experimental até 1928 em uma das gravações de um dos filmes de Charlie Chaplin, cada um com suas específicas missões que muitas vezes não são evidentes como fatos importantes na dimensão de destino, mas são de suma importância para suas dimensões de origem, estudei ainda aos fatos de que segundo me constam a vida em marte foi extinta pelos próprios marcianos que se auto destruíram em guerras semelhantes as nossas de hoje com armas de destruição em massa, ainda no século XXI a NASA já teria inclusive conhecimento de ruínas da antiga civilização marciana que foram mantidas em segredo pelas organizações americanas por irem contra os princípios do protestantismo, grande maioria na América do Norte naquela época, evitando possíveis conflitos religiosos, aprendi ainda que jamais houve qualquer guerra de nosso conhecimento entre mundos, sempre há uma civilização superior responsável por mundos inferiores que impede que isso aconteça, descobri que há não um, mas vários universos em que a Alemanha de Hitler triunfou, isso dependeria muito do grau de evolução espiritual de cada dimensão para que sejam merecidos de receber tais acontecimentos ou não, que são propostos somente pelas esferas espirituais, eu na minha dimensão posso ser menos ou mais evoluído espiritualmente do que minha representação quântica de dimensões paralelas que estejam mais ou menos atrasadas para receber um ser como eu, em dimensões que os nazistas remanesceram, são dimensões muito mais evoluídas tecnologicamente e materialmente, já que eram um povo muito inteligente, porém são extremamente atrasados espiritualmente e sofrem muito com isso, participando de constantes guerras, passando por consecutivas pragas, vivendo verdadeiros infernos tecnológicos, percebi que não há um limite para progressões ou regressões temporais, porém não seria seguro se distanciar por mais de mil anos do ponto de origem por representar riscos altíssimos e não viáveis , nunca se saberia o que poderíamos encontrar, interessantes foram os fatos de que seres de zeta reticuli se comunicavam com culturas ancestrais humanas, dentre várias a que mais mantinham contato era um antigo povo de uma remota civilização chamada na antiguidade de Atlântida, que era localizada onde hoje é o Oceano Atlântico, se analisarmos os continentes atuais veremos que falta uma pequena parte entre os encaixes continentais, onde nela se localizava a antiga Atlântida, lá seres da galáxia de Zeta mantinham intensos ensinamentos correlatos com essa população que já naquele período realizavam experiências genéticas, inclusive só séculos depois as famosas descobertas em células tronco, manipulações genéticas para a geração de animais com órgãos que pudessem mais tarde serem transplantados a humanos necessitados deram origem a porcos, que muitos não perceberam ser o animal mais parecido com o homem, se comermos carne humana veremos que o sabor é idêntico ao da carne de porco, que deveria ser evitada, os genes humanos foram implantados em uma orelha humana nas costas de um rato que mais tarde teria crias de animais com deformidades que seriam manipulados até se chegar ao que conhecemos nos porcos, graças a seu descontrole e perigo científico, Atlântida foi afundada pelos próprios seres de Zeta com seus habitantes sedentos por conhecimento descontrolado e nocivo. Senti que estava entrando em colapso mental com o excesso de informações transferidas pelo chip de conhecimento induzido na velocidade do pensamento, algumas horas depois fui dormir sem saber o que me esperaria na central militar no dia seguinte. Ao chegar no batalhão passei como todos os dias em frente aquele hangar imenso de luzes pulsantes que não cessavam um único segundo, me encontrei com Frank que com um sorriso no rosto me disse, você foi promovido Tylor, parabéns!Analisamos todos os resultados de suas injeções do conhecimento induzido e percebemos que grande parte dos ensinamentos foram absorvidos com sucesso por sua mente que assombrou a todos, seu resultado no campo de batalha na realidade sobreposta também foi fenomenal, seja bem vindo a OSVTEB, Organização Secreta de Viagens Temporais do Exército Brasileiro, fiquei realmente muito entusiasmado, pegamos um ônibus aéreo e seguimos rumo a Curitiba, chegando lá fiquei admirado com aquela cidade que parecia intocável durante as guerras, uma cidade centenas de vezes mais evoluída que o Rio de Janeiro, os rebeldes simplesmente não existiam por lá, a vegetação do ambiente estava intacta, todos pareciam extremamente felizes, praças arborizadas existiam aos montes, crianças brincavam em meio aos parques, veículos espaciais cruzavam os céus transversais por todos os lados entre aqueles prédios e edificações belíssimas e ricas em detalhes, tubulações blindadas levavam cápsulas com mercadorias, entregas, alimentos e peças eletrônicas de um lado para o outro entre os arranha céus que atravessavam as nuvens, fontes de água limpa se expressavam no ar em desenhos geométricos perfeitos a centenas de metros de altura, avenidas com músicas desferidas a população em pontos estratégicos, um lugar de energia leve e feliz, descemos do ônibus aéreo em uma das praças, logo a frente havia um edifício com um emblema escrito Titanium Tecnologi, entramos no edifício e pegamos um elevador que chegava ao terraço acima das nuvens, no terraço havia uma máquina que disparava um sinal laser constante até as esferas negras do espaço bem a frente de onde entramos, algumas pessoas em trajes estranhos e não convencionais estavam a volta do aparelho em um tipo de oração meditativa a qual eu desconhecia, de repente além das nuvens surge ao que me parecia ser uma estrela pulsante, a cada segundo ela se aproximava cada vez mais de onde estávamos, em determinados momentos ela começou a se mover incrivelmente rápido em movimentos lineares, conforme ia se aproximando pude notar algo que me parecia uma forma circular de ângulos frontais parecidos com um charuto, percebi que se tratava de um disco em metal translúcido jamais por mim visto em máquinas convencionais ou rebeldes, me parecia se tratar de um metal mutável que adquiria as formas que melhor lhe condisse, estava esgazeado, percebi se tratar dos lendários seres de Zeta Reticuli, a nave em forma de disco metálico pousou suavemente sobre o equipamento laser que automaticamente se desligou, aparentemente achei estranho por se tratar de um veículo sem nenhum tipo de entrada, por onde entrariam e sairiam esses seres?!Foi então que a parte frontal da nave se deformou em uma porta que se abria de cima para baixo numa espécie de rampa com escadas de luz intensa emitida do interior da nave, fiquei em estado de Nirvana ao me deparar com o que antes só conhecia das injeções de conhecimento induzido, foi quando três seres saíram lentamente do interior, entidades de aparência frágil, pele cinza e olhos grandes e negros, uma cabeça desproporcional ao tamanho do corpo franzino, pude observar que possuíam seis dedos em cada uma das mãos, bocas e ouvidos minúsculos, senti uma forte presença astral, alguma coisa se comunicava com tamanha porca por meios telepáticos em minha mente que chegava a impedir que eu pensasse em qualquer outra coisa, meu próprio pensamento dava instantaneamente as respostas para as dúvidas que me surgiam em tempo real, fui comunicado mentalmente que deveria entrar na nave e que não tivesse medo, pediram ainda para que eu não os tocasse em hipótese alguma, os acompanhei e entrei sozinho naquela nave participando de um experiência assombrosa da qual jamais irei me esquecer, espantosamente não haviam computadores os controles eletrônicos dentro da nave, pude observar apenas painéis laterais com o que me pareciam ser formas afundadas de mãos com seis dedos, a entrada foi vetada automaticamente sem deixar qualquer marca de articulações da porta, era uma espécie de metal mutável nas formas que melhor lhes convinha com o controle psíquico e mental, não aviam assentos nem decorações, fiquei em pé ao centro da pequena nave do tamanho aproximado a uma casa convencional, os três seres colocaram suas mãos nas formas dos painéis fecharam os olhos, parecendo guiar aquela máquina inacreditavelmente com a força do pensamento, eles abriram os olhos e a porta novamente surgiu se abrindo com uma luz branca intensa, achei que não tivéssemos saído do lugar e iríamos descer novamente no terraço do prédio em Curitiba, mas para meu espanto sem qualquer sensação de movimento estávamos em Zeta Reticuli, cruzamos o universo em uma velocidade superior a da luz, jamais alcançada pelos humanos a uma distancia de 39 anos luz da terra sem qualquer noção de movimento, naquele instante ficou para mim evidente o grau inimaginável de evolução daqueles seres incríveis, senti uma imensa presença de paz ao desembarcar em Zeta, olhei para o céu e vi que aquele planeta possuía dois sois, o céus era duas vezes mais claro do que o da terra, podia ver claramente outros planetas próximos ao deles, uma vegetação perfeita, de cores vibrantes, algumas das cores jamais vistas em lugar algum, suas construções viviam em harmonia com a natureza, prédios de altura média, na com exageros, as construções pareciam ser feitas de um metal leve semelhante ao da nave, vários de outras Zetas aparentemente curiosos me cercaram e pareciam analisar cada detalhe da minha aparência, nenhum deles chegou a me tocar, entramos ao que me parecia uma espécie de campo holográfico magnético logo a frente em uma das construções de telhado aberto ao céu livre, olhei para os lados e percebi ao que me parecia ser uma água bem diferente a da terra, com aparências mais fluídicas, quase imaterial, percebi que o campo holográfico se tratava de um tele-transporte quando reaparecemos no interior de um harmonioso salão de forma triangular semelhante as pirâmides, de teto altíssimo e levemente transparente, pude perceber que não se tratava de vidro mas de um metal com tais propriedades, todos eles muito silenciosos, podia escutar os ruídos da natureza de Zeta ao exterior, alguns semelhantes aos de pássaros terrestres, era dia e as cores eram muito evidentes, uma projeção holográfica se manifesta a minha frente, o que vi foram imagens contínuas de toda a história da civilização humana, as descobertas, as guerras, e um fator muito curioso, as participações extraterrestres em cada um deles, assisti a imagens dos seres de Zeta Reticuli capturando ancestrais símios dos primatas humanos imobilizando-os com a força da mente e realizando inserção de DNA alienígena em seus corpos acelerando o processo natural da evolução mental humana que se não fosse por eles ainda estaríamos muito atrasados, percebi ainda imagens de acidentes com suas naves que caiam em territórios terrestres e eram resgatadas pelos governos Norte Americanos, Canadenses, Chineses, Russos dentre outros que realizavam retro engenharia em seus aparelhos e nos de outros seres provenientes de planetas ainda mais longínquos, vi imagens e cenas de dimensões paralelas ao tempo terreno e ao tempo de Zeta, senti que queriam me mostrar as conseqüências refletidas em universos próximos quando fatos são mudados no universo paralelo, eles pareciam captar os meus mais profundos sentimentos, pareciam saber mais de mim do que eu mesmo, nada poderia esconder-lhes, sua incrível telepatia alcançava regiões de minha memória que até eu desconhecia, de repente todos se viram para mim fecham os olhos e começam a transferir para mim conhecimentos que nós terráqueos só conseguiríamos fazer por meio de equipamentos apropriados para isso, o que fazíamos com as injeções de conhecimento induzido, eles faziam somente com a força do pensamento, me sentia um animal atrasado perante criaturas inimaginavelmente tão evoluídas, recebi conhecimentos em questão de milésimos de segundos sobre tudo o que deveria saber antes de embarcar nas viagens temporais, desde fatores dimensionais até espirituais, percebi que eles eram seres muito espiritualizados de matéria leve e menos densa que a humana, voltamos para a terra da mesma maneira que partimos, ao chegar em Curitiba e posteriormente no Rio de Janeiro, tudo me parecia mais claro e havia me tornado um ser humano muito mais humilde e coerente diante da vida. Durante a madrugada meu aparelho celular de teleconferência tocou, quando atendi se tratava do General Josef me convocando para uma sessão secreta, lembro-me dele me dizer, preciso te mostrar algo que está na hora de saber, peguei minhas coisas, troquei de roupa e peguei um ônibus ressonântico direto para o quartel curioso com o que ele iria me apresentar, fui abordado por um dos sentinelas que ficavam de vigia no portão principal durante a noite, pediu a minha identificação de retina e passou o laser de reconhecimento sob minha íris, foi confirmado de que realmente estavam a minha espera e me deixaram entrar, dessa vez Josef um dos generais majoritários me esperava a frente daquele galpão de luzes pulsantes que nunca soube do que se tratava, ele me disse simplesmente, entre por aqui, o segui e entramos naquele galpão reluzente que me correu de curiosidade desde o primeiro dia que pisei na central militar, quando achava que já havia visto de tudo, fiquei extasiado com aquela visão, naves de pequeno porte blindadas de liga metálica extremamente grossa e desenhos complexos, que desapareciam e apareciam no exato lugar e posição ao qual haviam sumido em questão de centésimos de segundos com tamanha velocidade que geravam fleches de luz pulsante que de seus pontos de desaparecimento surgiam, naves que jamais saiam de dentro daquele galpão por um simples motivo, não se tratavam de naves para o espaço terreno, mas de naves multidimensionais, veículos temporais que iam e voltavam como uma constante o tempo todo para universos paralelos do espaço-tempo, alguns dos tripulantes espantosamente desapareciam com as naves reaparecendo menos de um segundo depois cinco e até dez anos mais velhos, o tempo para nós era constante enquanto para aqueles viajantes era corrido de onde acabavam de sair e chegar, admito que tive medo e pensei em desistir ao ver alguns tripulantes chegares no mesmo segundo em que partiram com tamanha diferença na idade, alguns chegavam feridos e debilitados, outros gravemente impregnados de pragas de tempos decorrentes ao que estiveram, tripulantes e mais tripulantes vomitando nos chãos com os efeitos da alta velocidade, pessoas desistindo após a primeira viagem, mas pisei firme em meus objetivos antes traçados e assumi o compromisso ao qual havia me comprometido, agora não haveria mais volta, eu era um viajante temporal de 2256 rumo aos multiuniversos. O senhor Josef me mostrou um nave especialmente reservada para mim, seu compartimento superior estava aberto e eu entrei, não fazia idéia do ano para ao qual me mandariam e do que eu encontraria, eu já sabia como a máquina funcionava devido a meus intensos treinamentos na área, foi então que Josef me disse, como teste todos os viajantes escolhem um data específica de no máximo mil anos de distanciamento, você deverá ficar no máximo dois dias fora, para você isso equivalerá a 48 horas, para mim, isso durará menos de um segundo, boa sorte e até o segundo seguinte, a Deus!Fechei a cabine, liguei os controles e a nave começou a vibrar gerando um som semelhante ao zumbido de uma abelha, acionei o engate de partida e de repente uma explosão de luz intensa me cercou, meus ouvidos tiniam, meu corpo tremia suando frio, uma espécie de corrente passava por todo o meu corpo e pela nave, tinha a sensação de ter milhões de formigas passeando por dentro do meu corpo, um barulho ensurdecedor surgia de dentro da nave ficando contido em seu interior, logo a painel indica que devo prosseguir indicando o ano ao qual desejo seguir, não exitei e marquei uma data dias antes da morte de Fernanda, ao reaparecer no galpão vi a cara de ironia do senhor Josef, eu sabia que um dia você se tornaria um viajante temporal, imagino que essa seja a sua viagem de teste, não me diga o que veio fazer aqui, simplesmente faça, sai da nave e me dirigi a minha residência logo antes de Fernanda desaparecer devido a insanidade causada com o software titanium, sabia que isso não mudaria nada em minha dimensão de origem, mas não iria perder a chance de vela uma última vez e quem sabe fazer de minha representação quântica nesse universo um ser mais feliz do que eu, provavelmente influenciando no fato de que este não chegaria a se tornar um viajante ao decorrer da mudança nos fatos, cheguei em casa e ela não estava lá, muito menos minha representação quântica, ao me informar com vizinhos percebi que nessa dimensão ela trabalhava em marte, isso só comprovou as oscilações entre as dimensões, percebi também algo curioso, nessa dimensão os ônibus aéreos tinham um design muito diferente dos da minha dimensão, eram idênticos aos transportadores militares de onde vim e os transportadores militares idênticos aos ônibus ressonânticos, vi ainda que o traje militar era a moda da época que era o traje militar de minha dimensão, pequenas curiosidades e bizarrices que fazem parte das viagens universais. Peguei o primeiro transporte coletivo para marte, as cidades por lá são em grande maioria dominadas por povos rebeldes, ao me aproximar do espaço aéreo marciano já logo percebi as intimidações desses para com os visitantes, todos os tripulantes de vôos coletivos para lá são parados em uma estação espacial e todos são revistados antes de prosseguir, qualquer equipamento militar ou armas pessoais não pertencentes aos rebeldes é confiscado, por minha sorte eu estava limpo e seria impossível reconhecer a minha linhagem militar, marte passou por várias mudanças para que a vida nele fosse viável, o planeta foi bombardeado com bombas de gases estufa, ele ainda foi aquecido suficientemente até evaporar o dióxido de carbono preso em calotas e gelos, fazendo com que esses gases tornassem o planeta aquecido, foram usados perfluorocarbonos de maneira artificial para iniciar o processo de aquecimento, marte é um planeta totalmente industrial, toda a indústria química da terra foi repassada para lá afim de propositalmente liberar poluições sobre o ar marciano usando-as para elevar a temperatura de seu ambiente tornando-o habitável e limpando ao mesmo tempo impurezas que seriam despejadas na terra, a visão que se tem ao se aproximar do território marciano é a de um planeta recoberto de fábricas e usinas, recebendo e partindo aeronaves o tempo todo entre ele e a terra, para todo o lado em que se olha vemos fábricas e mais fábricas liberando fumaças e gases por todo o planeta, é a verdadeira imagem do caos, um planeta executivo e empresário dominado por empresas de todos os setores. Ao desembarcar em território marciano percebi que estava sendo seguido por dois homens negros e fortes, provavelmente a mando dos rebeldes daquela área que haviam captado as vibrações típicas de softwares neurais dos militares emitidas pelo meu chip cerebral, tentei despistá-los mas não consegui, corri feito um alucinado pelas avenidas esbarrando e derrubando pessoas, os dois corriam atrás de mim por todos os lados, subi por entre as escadas de ferro verticais das paredes de uma das usinas e tentei fugir pelos telhados e cumes de metal, pulava entre os prédios desesperado para não ser capturado antes mesmo de reencontrar Fernanda, de repente vejo tiros de laser atingindo as paredes ao meu arredor conforme corria e fugia desesperado, eles estavam atirando em minha direção com o intuito de matar, um deles se comunica por um comunicador de pulso e ao que me parece pede reforços,estava perdido, tentava me esconder mas era inútil, pulava feito gato de telhado em telhado, pessoas gritavam e se assustavam com as perseguições, surgiram grupos de rebeldes fanáticos por todos os lados, alguns em motos ressonânticas voando em minha direção com correntes e armas de corte, lutei o máximo que pude, chutei e desferi golpes por todos os lados usando todos os meus conhecimentos em artes marciais e treinamento militar, derrubei três ou quatro deles de cima dos prédios, me esquivava dos ataques como podia, estava sozinho em meio a dezenas de rebeldes com verdadeiro ódio pelo meio militar, levei um corte de raspão no rosto do punhal de um deles, quando a moto ressonântica mais próxima cruzou meu caminho derrubei o tripulante, subi nela e acelerei o máximo que pude, percebi que era inútil tentar, fugi perseguido por vários homens do legado rebelde marciano que desferiam tiros em minha direção, passava entre os prédios e usinas engolindo fumaça, desviava por todos os becos e esquinas em uma incessante perseguição predatória, resisti o quanto pude, tinha que sair de marte antes que fosse morto e tudo corresse por água abaixo, liguei o propulsor extra-planetário e guiei rumo a lua terrestre onde era destinada exclusivamente para as bases militares, logo as antenas lunares me reconheceram como militar e entrei tranqüilamente em território lunar enquanto os rebeldes retrossederam, de lá expliquei a minha situação e fui escoltado até a terra, só me restava esperar por Fernanda na portaria do edifício, fiquei lá por horas e ela não apareceu, já muito tempo depois vi alguém familiar a se aproximar do lado de fora e a entrar no prédio, foi uma das sensações mais estranhas da minha vida, se tratava de minha representação quântica, não queria interferir no curso de sua existência e deixá-lo cheio de dúvidas sobre o futuro, me conhecia o bastante para saber que isso iria me atormentar pelo resto da vida, então escondi o mais rápido que pude atrás de uma da pilastras do salão principal e o esperei pegar o elevador e subir, por minha sorte ninguém percebeu que se tratava de duas pessoas diferentes, tentei disfarçar e voltei ao sofá, minutos depois ela apareceu, era Fernanda com seus lindos olhos azuis fiquei com um sentimento que misturava alegria e tristeza que me tomava por completo, não pude conter as lágrimas, me escondia e a observava de longe em um sentimento indescritível, mágico e ao mesmo tempo macabro,a era a mulher da minha vida que passava pela ultima vez diante de meus olhos, um filme passou na minha cabeça, lembrei de todos os nossos momentos juntos, nossas lágrimas, nossas risadas, nossas discussões e brincadeiras, todas as noites que passamos juntos e nossos sonhos desde o dia que a conheci, então ela se virou de costas entrou no elevador, a porta se fechou, ela subiu e senti que aqueles segundos nunca mais voltariam a se repetir, apenas deixei um bilhete na portaria com a seguinte mensagem, que deveria ser reentregue para mim como um lembrete, leve imediatamente Fernanda para uma formatação no chip cerebral, ela está contaminada com um software rebelde, me despedi do porteiro que estava obviamente confuso ao ver a mesma pessoa em tão pouco tempo em trajes diferentes e segui ruma ao esquadrão temporal no exército, fui cumprimentado pelo general que me disse, espero ter conseguido o que veio fazer, sorri com lágrimas nos olhos e respondi, sim eu consegui, a máquina se fechou e segui minha viagem de volta a C204, estava mais compreensivo, mais calmo e bem comigo mesmo, cheguei a C204 menos de um segundo depois do qual eu parti, chorei como uma criança e comecei a vomitar com o estado de excelência máxima que meu cérebro havia alcançado em tão pouco tempo no percurso de volta, meu corpo tremia e não conseguia parar de chorar ao me lembrar de Fernanda, o general me olhou e disse, seja bem vindo Tylor, agora você é um viajante completo. Saí dali exausto e fui na central de estudos de ciêntologia-espiritual onde eu e Fernanda havíamos ido no passado, estava a procura de conforto e algo que me conformasse diante da perda, minha vontade de ir a uma dimensão paralela e trazer Fernanda comigo era indescritível, mas era ciente de que não poderia causar tamanho desequilíbrio e dor na vida de uma de minhas representações quânticas com a ausência dela em outro espaço-tempo, cheguei sujo e com o rosto coberto de lágrimas ao templo espiritual daquela que era a religião única e predominante em minha época, assisti as três horas decorrentes da palestra dada por aquele espírito que se projetava dentre as luzes do estranho equipamento, chorei a todas as palestras, lembrei dos filmes que via a todos os dias dos meus sonhos gravados pela eletro-sonho, uma máquina que gerava gravações em filmes holográficos de nossos próprios sonhos e pensamentos que eram captados pelo chip cerebral e repassados aos cartões de memória para gravação, em que todos eles estava ela, sempre sorridente e me desferindo palavras de amor, todos perceberam a minha total desolação, estava prestes a desistir de meu trabalho e de minha vida, não agüentava mais aquela vida de sofrimentos e perdas, de repente logo adiante a entidade espiritual se comunica, temos uma mensagem para um de vocês, eu que estava de cabeça baixa envolto em lágrimas me ergui e prestei a atenção em cada uma de suas palavras, de repente duas novas entidades se projetam ao seus lados direito e esquerdo, não pude acreditar no que vi, era minha mãe e Fernanda, a minha Fernanda, não uma representação quântica mas a mulher que vivi por toda a minha vida, corri imediatamente em direção das duas mas fui impedido pelas pessoas que cercavam o palco, minha mãe muito calma me olhou e disse, acalme-se meu filho, não pode nos tocar, mas pode nos ver e nos ouvir que é o que mais importa no momento, todos no salão me olhavam sem entender do que se tratava, todos em silêncio prestavam a atenção em mim, relaxei e disse a Fernanda que a amava e que queria ir com ela, foi então que ela me disse sorridente como sempre, nosso reencontro é inevitável, ninguém vive para sempre, eu estarei te esperando, vou estar sempre olhando por você onde quer que esteja, seja nessa ou em qualquer outra dimensão do universo, o mundo precisa de gente como você, nunca desista no meio do caminho, sua missão está apenas começando, faça de mim uma mulher orgulhosa e não se esqueça nunca que eu te amo e para sempre vou te amar. Fiquei sem palavras e me escondi em meio a meu egoísmo, todos começaram a aplaudir, pessoas de todos os lados no salão diziam, não desista, não desista, não desista...olhei para as duas e disse, eu não vou desistir, a entidade que as guiava me disse, boa sorte Tylor e em um raio remanescente de luz os três se foram para sempre, foi a melhor e mais motivadora experiência de minha vida, percebi que não importa a dor, não importa a perca, não importa o sofrimento, a desesperança, sempre haverão aqueles que oram por você e que o amor e a paz são os únicos caminhos para a evolução. Naquela noite dormi leve como uma pluma, com a certeza de que seguiria em frente, cheguei ao galpão secreto das viagens temporais entrei na nave e perguntei ao general, qual será a minha missão de hoje?Ele me disse, a uma pessoa que é fator fundamental nas viagens temporais que corre um sérios risco de vida, vá a C206 em 2001 na Flórida, Estados Unidos, e proteja custe o que custar uma criança que está prestes a nascer, perguntei de quem se tratava e ele me disse, saberá quando chegar lá, procure pela família Titor, a criança se chama John Titor, fechei a cabine e segui rumo ao que seria apenas o inicio de uma longa jornada, as famosas viagens temporais.










Ass: Tylor Felix Tompson...










Dedico este livro a meus moderadores Filipe Vasconcelos e William Bittencourt...



Meu único perfil no site de relacionamentos orkut
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=mp&uid=16291373485170670863




Visitem a minha comunidade de discussão oficial
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=108382972

Pesquisar este blog

Milton: O Jesus d Preto

Milton: O Jesus d Preto
Isso é porque muita gente me chama d Jesus, mas sou só o Milton mesmo porque Jesus é todo mundo.

Deseja fazer um Pacto com OGGU?

O q você acredita q vem depois da morte?

Você a favor da legalização das drogas?

Qual sistema d governo você acha ideal pra o mundo?

Todo poder Executivo e Legislativo devia viver num regime comunista ou socialista?

Daily Calendar

Capa do meu livro

Capa do meu livro
Essa foto é do meu amigo Alberto q fez esse blog pra mim e me ensinou a mexer nele.

Your IP and Google Map location