terça-feira, 8 de setembro de 2009

A noite do Dois: Voltando as Memórias d um Transtorno Part.4


Part.4

Eu nem tinha percebido. Mas enquanto puxava o Francisco junto comigo e íamos nos aproximando do vigia q estava a uns 30 metros. Comecei a ouvir um apito. Quando eu menos esperava tinha um outro vigia noturno apitando e d repente estava apontando um 38 pra nós dois.

Ae eu já estava perto dos dois vigias, sem nenhum medo, mas não é o q parecia acontecer com o Francisco q tava cagando d medo e começou a conversar com o vigia pra não atirar. Ele disse pra o vigia q eu era mudo. Mas provavelmente o vigia pensou q eu estava drogado. Provavelmente não! Ele com certeza pensou isso.

Toda vez q o vigia tentava falar comigo eu só falava rosnando mesmo não sendo uma ameaça d um cara q o atacaria. Ele nos mandou tirar a camisa pra ver se estávamos armados e nós dois tiramos. Viu q nós não estávamos armados. Eu tentei pedir desculpas aos dois, só q eu fiz isso rosnando. As palavras q saíram da minha boca eram algo como. “Blur glur glor gror mor gur gar gor.”

Dessa situação maluca nós dois nos livramos. Poderia ter saído com um tiro no peito. Mas felizmente isso não aconteceu. Então eu já sai d novo com Francisco e estávamos indo pro posto Texaco. E eu novamente estava com o delírio q tudo estaria seguro se meu braço esquerdo estivesse entrelaçado no braço direito do Francisco com a corrente q eu acreditava ser d prata e q me seguraria pra não atacar ninguém já q eu estava acreditando estar possuído pelo espírito d um lobo. Quando nós chegamos no posto d novo. O Francisco tirou do meu braço a corrente. E d repente eu vejo o cara se alongando. Depois daquela corrida toda q tivemos antes.

Então ele chega em mim e fala. “Então vamos?” “Vamos.” Digo eu. Nisso eu entrelaço meu braço d novo na corrente q tá no braço dele vamos nós dois juntos pra loja d conveniência. Nisso eu até vou na frente puxando ele e andando rápido. Eu ouço uma vós do meu lado esquerdo q dizia algo do tipo: “Qué dize q ces dois tavam fingindo ser da civil!” Quem falou isso eu nem tinha prestado atenção em quem era. Fingi q não era comigo. Só sei q eu abri a porta da loja d conveniência com raiva e entrei na conveniência. Me lembro q entrei com tanta raiva assim na loja d conveniência com a intenção d quebrar a cara do balconista.

Pois no meu delirio eu acreditava q ele trabalhava pros traficantes, acreditava q ele também era um traficante d drogas q vendia drogas como extase na conveniência e eu também estava acreditando ser um policial civil. E q o balconista tinha avisado aos traficantes do bairro q eu e o Francisco estava pra eles virem pra cima d nós depois daqueles bandidos tentarem nos assaltar. Na minha mente tudo parecia fazer sentido na hora. Acreditava q o balconista tinha ligado pra bandidagem. Foi algo rápido q aconteceu. Lembro q apontei o dedo pra o balconista e comecei a falar palavras sem nexo em q eu rosnava coisas do tipo. “Grorg ror dorer...”

Então eu sinto uma mão pegando e apertando minha garganta por trás e a voz do q na minha cabeça eu acreditava ser a polícia q tinha me pegado, dessa vez na minha cabeça eu via como um policial corrupto q tinha me descoberto. Dessa vez, depois dessa noite e vim a concluir q era mesmo um policial q me pegou e apertou minha garganta e q ia contra a própria lei mesmo. O q vem a acontecer a seguir, o q eu irei narrar é a parte mais dramática dessa história toda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO! LEIA ISTO: Resolvi tirar a moderação dos comentários. Agora até você troll pode vir aqui me infernizar. Mas tudo tem seu preço! Quando você vir encher d lixo meu blog, no fim do mês vou limpar este lixo daqui e quando fizer isto. Vou estar limpando você q é um lixo no mundo. Vai doer muito em ti! Quer apostar q esta praga vai pegar? Quando sua vida depois virar do avesso, não diga q não avisei... Maktub!((Aquele q quiser se manifestar contra o q penso sinta-se a vontade, mas faça isso sem trollar, pois essa praga só inclui os trolls imbecis.) Agora você deve estar se perguntando porque estou fazendo isto? Só pra treinar minha ação com quietude mesmo.

Pesquisar este blog

Milton: O Jesus d Preto

Milton: O Jesus d Preto
Isso é porque muita gente me chama d Jesus, mas sou só o Milton mesmo porque Jesus é todo mundo.

Deseja fazer um Pacto com OGGU?

O q você acredita q vem depois da morte?

Você a favor da legalização das drogas?

Qual sistema d governo você acha ideal pra o mundo?

Todo poder Executivo e Legislativo devia viver num regime comunista ou socialista?

Daily Calendar

Capa do meu livro

Capa do meu livro
Essa foto é do meu amigo Alberto q fez esse blog pra mim e me ensinou a mexer nele.

Your IP and Google Map location