terça-feira, 26 de maio de 2009

Carta pra Sofia Part.1


Carta pra Sofia

Quando escrevi essa carta, era o ano d 2005, mais o menos no meio do ano d 2005. Ia entregar ela pra Sofia pelo correio. Sofia foi meu primeiro amor q me marca até hoje. Como fazia quase três anos q não nos víamos. Digitei essa carta. Mais nunca a mandei pelo correio a ela. Hoje divido aqui com você caro leitor ou leitora. São coisas q aconteceram d verdade na minha vida. Vocês vão conhecer meus dramas e as comédias q também rolava na minha vida. Você lerá coisas q pensava na época q ainda penso hoje, mas tem coisas q já não são mais d minha convicção. Dei algumas reformuladas na carta ela ficar mais compreensível. Tem ela nesse blog nos meus primeiros posts. Mas é um post imenso e cheio d erros d português. Mas tentei corrigi-los pelo word pra ficar mais compreensível o texto. Tentando seguir as criticas d meus leitores q esperem q eu escreva melhor. Mas posso garantir q é bom o conteúdo. Boa leitura.


O Ano d 2002- As experiências um jovem

Como vai Sofia, espero q bem, eu lhe mando essa carta pra lhe dizer aqui q aconteceu comigo ao longo desses mais d 3 anos q faz q nos vemos pela ultima vez. Isso é tempo o suficiente pra o amadurecimento d 2 pessoas, não q eu queria me gabar, mas nesses 3 anos foram como se fossem 6 pra mim. As linhas desse texto q vai ler a seguir vão t deixar surpresa. As experiências q eu passei e vou compartilhar com você são dignas d uma pequena biografia, aqui tem parte da minha vida q você não conhece. Tem uma parte q eu não t mostrei. A ultima vez q nos vimos foi em fevereiro d 2002, era na época q eu fui praquele retiro espiritual e acabei pagando mico por lá, eu era mesmo um idiota.

Quando me lembro do q fiz lá fazendo todos pensarem q eu tinha um parafuso a menos, tenho até vergonha... Se não me engano, foi nessa época do retiro em q depois q ele acabou, q você acabou com todas as esperanças q tinha d ficar junto com você. Naquela festa q desejava dançar com você e até t dei uma gargantilha, era bem apaixonado por você ainda. Foi naquelas ultimas férias q t vi, tinha ficado o ano inteiro pensando em você quando t vi novamente, notei q estava estranha comigo.

Me rejeitava, até cheguei a pensar q foi por causa do q o meu irmão chegou a comentar com você sobre os aparelhos,(Aparelhos d dente q eu queria q ela botasse pra corrigir seus dentes. Embora Sofia ser bem bonita, ela na época tinha umas falhas nos dentes q só se percebia quando a olhava d perto. O único defeito físico nela q eu via. Meu irmão mais novo, o Artur tinha comentado isso com ela quando ele estava na casa dela. Eu só tinha comentado q um dia toparia bancar os aparelhos d dente pra ela. Hoje provavelmente ela q já é casada já fez isso.) mas algo me dizia q não era, pelo menos não era só isso. Teve o retiro e até imagino porque você não foi, não foi difícil deduzir q sua mãe apesar d gostar d mim talvez não quere-se um namoro entre nós dois, até compreendo, se tivesse no lugar d sua mãe provavelmente t aconselharia a não ficar comigo, acredito q você realmente estava apaixonada por mim, aquele seu bilhete q guardei muito tempo comigo dizia tudo, aquela declaração d amor ou d um sentimento q fosse mais próximo disso, acredito q ele era real. Mas não entendi o porque da rejeição quando t vi pela ultima vez.

Sua mãe como ia dizendo, não aceitava q ficássemos juntos, um dos motivos, seria por eu morar longe e logo t esquecer. Outro, seria por você não ter idade pra namorar comigo, outros também q eu não sei, talvez esteja enganado, talvez tenha sido você q se desiludiu comigo. Acabou q na véspera d voltar pra Catalão, as minhas primas diziam q você teve influência d sua mãe pra me deixar. Você deve saber quais delas, as q mantinham mais intimidade com você.

Bem, fui pra Catalão d coração partido, não sabia a verdade, queria t perguntar e quero q você me esclareça isso me respondendo essa carta, isso vai ficar entre nós dois. O ano d 2002 e pra mim foi interessante estava no segundo ano já. Eu como sempre, sendo o cara esquisito da escola, o garoto rebelde incompreendido, foi nesse ano q comecei a escrever meu livro(O Espíritos Indomáveis: Revelações d um jovem sonhador), estava super empolgado com ele, falava sobre ele pra todos q conhecia.

Até mesmo na escola, recebia elogio pelo q escrevia dos professores, foi quando entrei num jornal da escola. Minhas matérias não eram publicadas por serem muito polêmicas, mas tinha alguma q eu deixava minha participação, entrei no Grêmio estudantil como vice presidente. No jornal me sentia um inútil, a única coisa q tinha meu nele era meu nome, ajudava nas pesquisas q eles faziam sobre as matérias dava algumas dicas de redação, era isso q basicamente fazia. Eu ia mal em Química e Matemática, fiquei devendo essas duas matérias quando terminei o ano. Não estava afim d estudar, odiava por completo essas matérias e estava muito envolvido com o livro.

Creio q no dia q você ler esse livro vai se espantar, fala muito d mim mesmo mas camuflado nos personagens q colocava lá. Tem teorias espantosas, críticas ao cristianismo, ao islamismo e ao judaísmo, as religiões q chamo com as dominadoras a serviço do mal, não q eu seja contra os crentes dessas religiões, mas sim contra a maioria de seus líderes imprestáveis. Eu me considero um cristão, embora independente da Igreja. Não vou t explicar aqui do q se trata a teoria, mas uma dica é só você olhar ao longo da história o q os líderes dessas 3 religiões e quais suas atrocidades q fizeram e fazem até hoje. Críticas a política mundial também não faltaram, principalmente a Bush, teorias sobre política, educação q eu criei e sobre pra a melhoria da sociedade, romance, um pouco d nós dois... Mas como dizia, bem camuflado. Alguns fato reais da minha vida pessoal estão nele... Bem camuflados...

Sem dizer q é uma história cheia d aventura e lição d moral, tem parábolas no meio também, q os personagens contam. O livro foi escrito propositalmente numa linguagem como essa q você está lendo agora, como forma d protesto a literatura brasileira. O livro é bem original, tudo tirado d minha imaginação, um suspense digno d best-seller, as pessoas q ouviam parte da história ou q leram parte do livro ou q leram ele todo me renderam bons elogios.

Um fato interessante q me aconteceu em 2002 foi q no dia do meu aniversário minha mãe me levou pra um convento d padres franciscanos, lá eu fiquei um dia inteiro vivendo como um monge, ajudei nos trabalhos na horta, orei com eles, foi muito bom, pensava em ser franciscano. Antes disso, me aconteceu mais coisas, foi em 2002 q eu cheguei a ficar bêbado 3 vezes e em uma delas deixei meus pais preocupados, foi quando decidi mudar um pouco d mim, comecei a fazer trabalhos comunitários. E fiquei sem beber por uns 3 meses, mas voltei a beber, embora tenha sido moderadamente no resto desse ano.

Depois q eu fui pro convento como ia dizendo, os freis eram muito legais e eu estava a procura d crescimento espiritual, debati com os freis e os surpreendi com perguntas q eles não podiam me responder e com teorias q eles não tinham como refutar. No outro dia fui pra casa decepcionado com a ordem em alguns pontos, mas adimirei muito a forma humilde deles d viver, algo q tenho vontade d fazer um dia é uma sociedade alternativa q as pessoas vivam como os franciscanos.

No dia seguinte cortei meu cabelo, fiquei outra pessoa, quando voltei a escola, todas garotas me olhavam espantadas, foi um choque a todos, eu tinha já 18 anos e nesse fim d ano, as garotas caiam em cima d mim, mas mesmo assim ficava com poucas delas, pois ainda pensava em você, não tive nenhum relacionamento sério com nenhuma delas. Fiz uma festa numa sexta q foi até segunda feira numa chácara, chamei meus amigos metaleiros, meu pais e meus parentes se espantaram, pois lá só ouvimos rock pauleira, foi um contraste d gerações, foi bem legal, meus amigos lamentavam eu ter cortado o cabelo e o Marcos, muito amigo meu, ia embora nesse dia d Catalão, foi também uma festa de despedida, ele ficou só sábado.

Esse final d ano lembra um pouco daqueles filmes americanos d estudantes, em q tem a garota rebelde e intelectual q muda o visual e tem todos querendo pegar ela, só q no meu caso era o contrário. Nesse ano teve uma garota q eu não me dava bem q deixou comigo uma cartinha amor, guardei em respeito a ela.( Essa garota se chama Emanuele se não me engano. É uma negra muito bonita de cabelos curtos.) No final d 2002, era dezembro, o clima já não estava muito bem entre eu e meu pai, poque ele conheceu meus amigos nas festa e não gostou deles, sem dizer q antes da festa acontecer, tive problemas com ele, pois meu pai não queria q eu levasse o computador pra chácara, discutimos nesse dia, ele quebrou um copo d vidro d raiva jogando ele no chão, eu quase o xinguei quando ele ia jogar no chão uma vasilha de nhoque, nessa hora eu tinha levantado a voz pra ele e falei sério, ele se acalmou e não disperdiçou a comida, peguei e limpei os cacos, depois q ele se acalmou, conversei com ele e resolvemos o caso, pediria um amigo pra q levasse o PC.

Faltava 7 dias pra festa, dava tempo ainda pra organizar, a festa deu certo, mas meu pai não gostou dos meus amigos, minha mãe gostou da maioria, mas teve antipatia com alguns. O tempo passou, era dezembro já, estávamos quase mudando, nossas coisas tinham sido desmontadas e estavam prontas pra irem pra Patrocínio, meu pai estava nervoso. Antes d ir pra Patrocínio, eu fui no centro da cidade, tudo ia normal, fiquei com uma garota bem bonita q era a ex do Marcos, um cara muito amigo meu como lhe disse. Mas nessa noite presenciei algo q fez eu me desentender com meu pai, quando cheguei em casa de madrugada, um conhecido meu quase matou um cara com um revolver, no centro da cidade, onde esse tipo d coisa dificilmente acontecia.

Fiquei chocado com q presenciei,quando voltei pra casa, meu irmão estava na sala mexendo no PC, contei o q aconteceu, minha mãe q estava acordada ouviu e me chamou no quarto dela, contei a história pro meu pai e pra minha mãe, meu pai interpretou errado as coisas e começou a xingar todos meus amigo e a dizer coisas q não eram verdade sobre eles, isso me entristeceu, quando tentei defende-los, ele não deixava eu falar, acabei aumentando um pouco o tom d voz com ele, ele se levantou da cama, veio em minha direção e me deu um tapa na cara, isso quando eu estava sentado só contando pra eles o q tinha acontecido.

Fechei o rosto e olhei fundo nos seus olhos, falei pra q ele não repetisse aquilo, ele me deu um tapa de novo. Nisso veio na minha cabeça uma voz, q me atormenta até hoje.(Atormentava em 2005, hoje eu e meu pai tamo d boa.) Na minha mente, tem uma dualidade q me deixa em situações constrangedoras e me deixa depressivo. Uma é extremamente boa e a outra extremante ruin, não é o meu idi e o meu ego q é o normal em todo mundo. Eu quando reflito só por mim é diferente quando venho a fazer alguma coisa.

Eu penso: “Eu devo fazer isso. Não eu não devo fazer isso” Isso vem da minha mente, agora quando não é eu, sinto como se tivesse mais 2 pessoas na minha cabeça q dizem: “Você tem q fazer isso!” E a outra, a boa diz: “Não, c não deve fazer isso por causa disso e disso.” Essas vozes vem me acompanhando desde criança e se intensificaram depois q conheci você. Tem tempos q não sigo o lado bom, tempos q sou corrompido pelo lado ruim q acaba fazendo eu perder todos ensinamentos q aprendi com lado bom.

O q eu aprendo q é o q mais espanta, talvez você não goste d ouvir isso mas muito do q sei sobre magia, foram eles q me ensinaram, coisas q já coloquei em prática e me saí bem sucedido. Tenho dentro d mim uma força maligna q não é desse mundo, ao mesmo tempo q tenho outra q benigna q também não pertence a esse mundo. O q eu já realizei usando elas você não acreditaria se lhe dissesse. São nesses momentos d tensão ou em q eu tenho q tomar decisões importantes q eu mais sofro, os dois tentam fazer q eu escolha um deles e geralmente acabo não escolhendo nenhum, mas quando escolho um dos lado, algo sobrenatural acontece q acaba mudando minha vida, por completo. É difícil conviver com isso, acredito ser um espírito d Luz e um outro das trevas, q batalham pela minha alma com propósito d q eu faça algo q vá interferir drasticamente no destino da humanidade, eu muitas vezes fico em dúvida sobre isso, nem sei porque estou t falando essas coisas.

Você deve pensar q sou doido, na verdade eu também não acho q eu esteja mais na linha da sanidade mental. Como ia me dizendo, esse instante q não foi bom entre eu e meu pai. Os dois ficaram na minha cabeça me dizendo coisas, meu lado mal depois do primeiro tapa estava prestes a espancar meu pai até a morte, meu lado bom o segurava. Felizmente o meu eu bom conseguiu segurar meu eu ruim, mas foi por pouco q não aconteceu uma desgraça em casa, quando tinha dito pro meu pai: “Me bata d novo!” Ele me deu um soco, foi quando me levantei olhei pra ele. “Faça isso d novo e você vai se arrepender pelo resto da vida!” Meu pai então começou a tremer. “Agora senta e começa a me ouvir!” Ele seguiu minha ordem, me acalmei e comecei a dizer tudo sobre meus amigos q ele não sabia e o q sentia, o chamei d estúpido e disse q nunca iria querer ser igual a ele.

Chorei na hora e fui pra cama tentar dormir, não consegui, chorava muito. Estava sem camisa e só d calça, foi quando saí d casa correndo pela rua e fui andando a madrugada inteira pela rodovia sendo atormentado por aquelas duas vozes, andei sem rumo pela rodovia até amanhecer, quando o sol apareceu, fui numa fazenda e pedi comida, queria voltar pra casa, mas o sol estava quente e eu descalço e só d calça jeans. No momento q escrevo isso me lembrando d tudo q aconteceu, começo a chorar, era algo q eu tinha esquecido, mas hoje veio a tona. Me escondi no meio do mato e tentei dormir, fiquei o dia inteiro acordado, com o sol se pondo resolvi voltar pra Catalão, fui pra casa do Jairo, um grande amigo meu d lá. Ainda mantenho contato com ele até hoje,(Mantia pelo menos até 2007, hoje ele ta esquecido no meu Orkut.) d lá fui pra casa da minha tia, quando fui dormir naquela noite, só acordei as 5 da tarde do outro dia, nisso minha mãe contou q meu pai tinha feito a mudança e q estava muito preocupado comigo. Nesse mesmo dia fiz uma besteira, uma filha da amiga d minha mãe q gostava d mim e com quem mantinha um caso escondido.

Aconteceu q eu nesse dia a levei pra um quarto do meu primo e tranzei com ela sem camisinha, na hora da ejaculação tinha tirado... Me desculpe a linguagem vulgar Sofia, mas só tenho essa maneira pra contar a você. Eu tirei o pau pra fora pra q o esperma não entrasse, mas ela disse q tinha sentido entrar. Me desesperei nesse momento! Vc deve estar espantada Sofia, sou bem diferente daquele q representou Jesus um dia na Igreja. Pra começar, sobre minha vida sexual, não foi tão precoce como normalmente é aos 13 anos hoje em dia com a maioria dos homens, perdi a virgindade aos 15, apesar d quando estava com você, d ter sentido essa vontade, eu não dava em cima d você com essa intenção porque t achava a pessoa perfeita e pura, q isso devia ser feito depois do casamento e com amor.

Amor, é uma coisa q nunca desfrutei no sexo, sexo foram poucas vezes e com poucas pessoas, só tive prazer. No dia seguinte arranjei dinheiro com minha mãe, acabei contando pra ela o porque do dinheiro, q era pra eu usa-lo pra a pílula do dia seguinte, um anticoncepcional. Ela, ( A garota com quem tranzei.), tomou o anticonscepsional e eu me livrei dessa, ela não engravidou, se não hoje estaria ferrado. Meu pai conversou comigo, pediu desculpas, eu também pedi desculpas e contei pra ele o q tinha aprontado com a garota, ele aceitou tranquilamente.
Depois, faltando 2 dias pra 2003 já estávamos em Patrocínio, depois disso q aconteceu comigo e meu pai, fiquei muito tempo com raiva dele e ouvindo meu lado malígno falando q devia ter acabado com ele e o meu lado bom me dizendo q tinha feito a coisa certa, o tempo passou, até q eu o perdoei d verdade, foi cerca 4 meses pra isso acontecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO! LEIA ISTO: Resolvi tirar a moderação dos comentários. Agora até você troll pode vir aqui me infernizar. Mas tudo tem seu preço! Quando você vir encher d lixo meu blog, no fim do mês vou limpar este lixo daqui e quando fizer isto. Vou estar limpando você q é um lixo no mundo. Vai doer muito em ti! Quer apostar q esta praga vai pegar? Quando sua vida depois virar do avesso, não diga q não avisei... Maktub!((Aquele q quiser se manifestar contra o q penso sinta-se a vontade, mas faça isso sem trollar, pois essa praga só inclui os trolls imbecis.) Agora você deve estar se perguntando porque estou fazendo isto? Só pra treinar minha ação com quietude mesmo.

Pesquisar este blog

Milton: O Jesus d Preto

Milton: O Jesus d Preto
Isso é porque muita gente me chama d Jesus, mas sou só o Milton mesmo porque Jesus é todo mundo.

Deseja fazer um Pacto com OGGU?

O q você acredita q vem depois da morte?

Você a favor da legalização das drogas?

Qual sistema d governo você acha ideal pra o mundo?

Todo poder Executivo e Legislativo devia viver num regime comunista ou socialista?

Daily Calendar

Capa do meu livro

Capa do meu livro
Essa foto é do meu amigo Alberto q fez esse blog pra mim e me ensinou a mexer nele.

Your IP and Google Map location