quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Questão d sobrevivência Cap.4-Part.4


Part.4

Eu vou para o outro lado do caminhão, abro a porta e subo lá pra dentro. Ele dá partida no caminhão e diz:
- Achei impressionante o jeito que você se livrou daqueles bandidos. Isso só se vê em filmes cara!
- É... Pois é. (Carlos)
O caminhão começa a andar, nisso começa uma prosa entre nós dois. Ele começa falando:
- Não sei se você percebeu, eu presenciei tudo quando tava do lado de fora do caminhão. O funcionário tava enchendo o tanque e eu comendo um pastel. De repente eu me assusto com um tiro que ouço e vejo você trocando chumbo com aqueles caras. – ele dá uma risada mostrando falta de dentes na boca, por usar uma dentadura de dentes da frente que ficam em cima.
- É né... Ainda bem que aquilo já acabou.(Carlos)
- Minha nossa senhora! Eu pensei, será que vai t muita gente morrendo hoje por aqui!? Cara já vi de tudo nesse mundo. Mas rapaz, nessa vida de caminhãozeiro, nóis vê cada coisa! Mas nunca imaginei vê um herói saído dos melhores filmes de ação.
- Você com certeza ainda tem muito pra vê. (Carlos)
- É né sô... Nóis nunca sabe que nos espera nessa vida que Deus nos deu. – ele fala dando uma risada – Essa vida é mesmo cheia de surpresa, né sô?
- Muitas surpresas, muitas surpresas mesmo cara! (Carlos)
- Me diz uma coisa sô. De onde cê tá vindo heim?
- Estou vindo de São Luís do Maranhão. (Carlos)
- São Luís! Já passei lá, fui fazê uma entrega de Madeira por lá.
- Você está levando madeira aí atrás? (Carlos)
- É isso mesmo.
- Já levou outros tipos de carga? (Carlos)
- I sô! Nóis leva de tudo que pinta na área, se o frete fô bão e de preferência não fô nada de ilegal, aí tá beleza.
- Você tem família? (Carlos)
- Ah tenho. São três filhos já moço feito. Tudo casado e bem criado, cada um pra um canto do mundo. Eu sempre os visito quando posso.
- E mulher? (Carlos)

- Minha mulher, eu divorciei dela, me troco com outro homem mais novo. Eu não queria que fosse assim, mais se foi, fazê o que. Como dizem os árabes, estava escrito... Maktub! Isso é passado e agora não me importa mais, o passado só nos serve para aprender a não errar. Dele nós tiramos uma lição de vida para construir o agora e ter o nosso bom futuro, mais sempre pensando quê o que importa, é o momento. Ainda bem que ela num tá mais comigo, agora já posso arranjá outra muié pra ficá bão. Eu tô livre dela!
- É chega a se uma vantagem também. (Carlos)
- Uma baita vantagem sô! – ele dá uma gargalhada.
- Por mal lhe pergunte, quantos anos cê tem? (Carlos)
- Eu sô? Ih, eu já carrego sessenta e sete anos nas costas sô.
- Nunca penso em se aposentar? (Carlos)
- Pensá, ainda penso sô, mais por enquanto meu corpo pede é mais trabalho, minha vida é andá por esse país, pra vê se um dia eu descanso felíz. Aposentá ainda não sô, ficá mais tempo trabalhando sim.
- E quantos anos tem seus filhos? (Carlos)
- O mais velho tem trinta cinco, o do meio tem trinta e o mais novo tem vinte sete. Tudo já casado, meus filhos me trazem bastante orgulho, até que eles pedem pra mim í morá com eles lá na roça que deixei pra eles. Mas prefiro deixá eles lá com as coisas que fui adquirindo com suor do meu trabalho, pra garanti uma boa vida para meus filho e pra meus neto e bisneto.
- Cê já tem bisneto!? (Carlos)
- Ah, tenho sim, ele é filho do meu neto, que é filho do meu filho mais velho. Eta garoto arretado sô! – fala ele rindo – Foi se engraça de mais nessa farra da adolescência e já teve seu primeiro filho com quinze anos. Acabo até sendo bom pra ele, agora ele crio tipo e tá mais responsável. – dá mais uma risada.
- Você tem só uma fazenda, ou tem outras coisas também? (Carlos)
- Ah sô, eu esqueci de falá. Com muito tempo de luta, suor do trabalho eu consegui garanti muitos bens materiais, oito lojas, hotel e uma boate lá no sul de Minas Gerais. Mas dexei tudo nas mãos dos meus filhos, que sabem administrar muito bem.
- Poxa... Você já poderia se aposentar agora! (Carlos)

- Ah não sô, eu num ligo muito pra isso não meu, eu acabei descobrindo que apego de mais nas coisas só traz infelicidade. No dia que descobri isso eu virei monge budista e larguei de fumar, hoje eu vivo aqui fazendo o que eu gosto, usando esse caminhão clássico mas reformado e adaptado pros dias d hoje. Troquei o motor dele e botei um bem moderno e econômico, movido a hidrogênio, olhando do lado de fora, se pensa que esse caminhão é ultrapassado. Mais aqui dentro tem cama, televisão e Internet, dvdplayer, que eu mesmo tratei de instalar, – ele puxa um computador, abrindo de dentro da cabine de um compartimento bem ocultado – agora que internet wi-fi com essa onda q começo com a Tv digital, evoluiu e se popularizou pra vale, praticamente gratuita, quase todo mundo tem no Brasil, por isso aqui posso ver televisão e estar bem informado de várias coisas que acontecem no mundo, ainda me lembro como era difícil tá bem informatizado no começo desse século. Nem era todo mundo que podia ter internet via satélite. Essa coisinha aqui tem coisa boa mais também tem muita coisa ruim, sempre peso ao santo Biu Gates da internet pra me iluminá quando entrá aqui. Hahahaha!!!! São 500 kbps d velocidade.
- Uma coisa interessante que você falo, que apego de mais trás infelicidade. (Carlos)
- Não, é mesmo, por mais que se queira o total desapego, de certa forma você vai estar apegado no desapego, mas aí já é uma coisa boa né. Pois você pode estar num apego que realmente vai ser bom e que não vai acabá nunca se você quiser, é uma das raras coisas que se apega que compensa se você quiser mesmo.
- Imagina o cúmulo do apego! – dou uma risada sobre a minha opinião – Você está apegado em desapegar do apego ao desapego. (Carlos)
- Pois é né meu, mas creio que é possível, mas difícil estar totalmente desapegado, já conseguiram. Buda, Jesus e outros. E principalmente Jesus.
- E pelo visto você se simpatiza com cristianismo e budismo. (Carlos) (LINGUICEIRA)
- Ah, eu gosto de toda religião, num tenho preconceito não, esse negócio de se egoísta achando que só a sua leva pro caminho certo é a maior besteira. Pelo meu modo de vista e meu ponto de pensar, há várias portas que levam para o mesmo salão.
- Cê tá certíssimo cara! O caminho pode se diferente, mais na maioria das vezes acabá dando no mesmo local. (Carlos)
- Nessa internet aqui, fiz um verdadeiro estudo sobre religiões. Minha mãe que era católica fervorosa, sempre tentou me puxá pra Igreja, mas eu sempre achei muito xato. Hoje a Igreja mudo bastante sô.
- Pior cara. (Carlos)
- O fóda é que há intolerância entre boa parte de evangélicos contra católicos. As religiões se unindo cada vez mais e certos cristãos ainda nessa perrenha. Infelizmente é a maioria ainda, mais por parte de evangélicos.
- É, eu tenho notado também. Ainda mais depois q surgiu o “GEDA” (Carlos)

- A Igreja Católica ando revelando coisas pouco a pouco que não revelava antes.
- As coisas são assim mesmo, a verdade acaba vindo sempre que é preciso. (Carlos)
- Antes eu nem entendia por que eles não iam tanto com a cara da Maçonaria, depois que descobri que os maçons que guardam os segredos da Igreja mais cabulosos, q todo historiador adoraria saber, aí foi uma doideira que só. Me revoltei! Mas depois passo, compreendi porquê tanto segredo, até que hoje os dois andam juntos.
- É que sempre tem a hora certa das coisas serem reveladas, mas hoje pra se aprimorar nos seus segredos, é só virá padre ou maçom ou fazer faculdade d Teologia mesmo. (Carlos)

- É engraçado. Antes o que a Igreja omitia, as outras religiões mostravam. Ainda a Igreja tem muito a mostrar, não é todo mundo que sabe que a Maçonaria escondia os segredos da Igreja, sabia tudo dela, não era atoa que não se davam bem antes. Isso foi coisa que tinha descoberto ainda na juventude sabe, antes mesmo d ter me tornado maçom. Foi quando começou a haver muitas pessoas protestando contra essas omissões, o ceticismo voltando a tomar conta do mundo. E o deísmo acabou também vindo junto. No caso eu sou deísta. A grande maioria da população, não queria ser religiosa, mas também não queria virar atéia, o deísmo foi a solução. Por causa das informações se difundindo facilmente pela Internet, ainda mais com iorkut e outras redes sociais q ficava cada vez mais popular. Bão que hoje por causa disso, o Brasil é um dos países em que 44% dos habitantes é seu próprio guia espiritual, melhor dizendo... Deístas. Sem falá q teve muita gente virando espírita também e pertencendo a outras religiões reencarnacionistas q já são hoje 32% no país. Isso porque a Igreja Católica mostrou q a reencarnação sempre existiu no cristianismo. Os q sobram hoje, os outros 24%, permaneceu cristãos mais radicais, divididos entre católicos, protestantes que tão em guerra um contra o outro por causa d conceitos religiosos, parece que a paz não chega pra eles.
- Com certeza ela ainda vai chegá. (Carlos)
- Chega sim, e é foda, o país nosso é considerado o único que não tem ateu apesar de haver céticos nele que não duvidam disso, mas é o que mais tá sofrendo com esses ataques d terroristas cristãos. Sabe, eu já pensei em ser padre, mas quando virei budista, acabei me tornando monge mais tarde por uns tempos. Foi uma das melhores experiências da minha vida.
- Todos brasileiros só não são budistas, porque nem todos conhecem ele direito. (Carlos)
- Ia se bom se todos fossem.
- Acaba sendo melhor continuarem sendo o que são mesmo, mas conhecer nunca é de mais. (Carlos)
- Depois que a Igreja assumiu que a reencarnação existe e q tinha sido tirada do cristianismo nos primórdios da igreja romana, por motivos políticos. O preconceito contra os que eram espíritas acabou, já q também agora a igreja também acabou ficando espiritualista, melhor dizendo, ficou bem espírita mesmo. Tanto q isso fez o mundo inteiro começar também a adotar religiões e seitas reencarnacionistas, mesmo com muita gente ainda continuando católica. Mas foi algo bom o q o novo papa fez, assumindo essa verdade.
- Esqueci qual foi o ano que a Igreja tinha banido a reencarnação? (Carlos)
- Segundo historiadores, foi no começo do ano 120 depois d Cristo. Não me lembro direito.

- Esse século 21 foi de muitas revoluções religiosas e econômicas, culturais também, principalmente no Brasil. (Carlos)
- E ainda tem muito a vir! Mais se não fosse a luta daquele tal Alquinrra, pressionando tudo, a Igreja nunca teria se dividido.
- Hoje tem dois Papas d novo, um da Igreja conservadora e outro da Igreja Renovada. Em q tanto os padres quanto a freiras podem casar e também podem rezar a missa. Mas a Igreja conservadora ainda exige o celibato e continua com seus conceitos arcaicos ainda. (Carlos)
- Sabe, aquele tal de Alquinrra até que tinha umas idéias boas apesar d ser ateu, mas acabou ficando louco porque sabia de mais e porque levava a sério demais as próprias idéias.
- O cara também queria destruir as religiões pra não haver mais intolerância. (Carlos)
- É aquele velho ditado que eu digo para os outros. A intenção foi boa, mas o método foi errado. Seria melhor unir tudo, mas bem que ele acabou conseguindo, mas teve uma boa ajuda.
- Bem que intenção dele não era tão boa assim. (Carlos)
- É isso é verdade.
- Destruir... Creio que não precisava, mas sim fazer um intendimento entre elas. (Carlos)
- Olha que é mesmo.
- Mas ele acabou ajudando a acabar com grande parte intolerância religiosa no Brasil e no mundo. Não é atoua que também ajudou a cem por cento dos brasileiros acreditarem em Deus, o país mais crente do mundo. Mesmo não querendo. (Carlos)
- Pena que não foi no mundo todo.
- Ainda esse dia chega. (Carlos)
- Uma coisa que ele fez mesmo, foi convencer várias pessoas a não terem religião.

- Acaba sendo bom, assim as pessoas acabam tirando suas próprias conclusões a respeito da vida. Procuram saber várias opiniões pra formularem as suas. Minha opinião pessoal, mesmo. É aquela opinião clássica dos deístas. Deus nos criou e caiu fora. Porque não acredito num ser q nos criaria pra depois ficar brincando d The Sim com a gente. Quanto as teorias religiosas sobre coisas como vida após a morte, existência d almas penadas, reencarnação. Não duvido mas também não acredito, porque até agora ninguém conseguiu realmente provar se tais coisas como essa existem. Mas sou um cético otimista quanto a isso, são coisas q me agradam muito saber e q pra mim é o q quero q me sejam confirmadas. Bem q nem me preocupo com isso. Só procuro levar uma vida tranqüila e boa pra mim e pra meus próximos. Mas bem q utimamente também... (Carlos)
- O tanto de filósofos que começou a surgir nesse século por causa dele e d outras coisas.
- Não faltou alguns céticos em certas coisas, que começaram a surgir a pouco tempo também. (Carlos)
- Uma lembrança que tenho sobre ceticismo é uma frase que minha professora me disse.
- Qual? (Carlos)
- Não sejamos tão céticos mais também não acreditemos em tudo.
- É boa essa frase, o engraçado mesmo é quando um cético tenta explicar uma coisa e não dá conta. (Carlos)
- O quê que ele fala?
- Aquela velha desculpa. “É tudo coincidência”. Os cientistas tem d ser humildes e aceitar q a ciência não tem condições pra explicar tudo. (Carlos)
O caminhoneiro logo ri, nisso ele me pergunta:
- Qual seu nome cara?
- Carlos e o seu? (Carlos)
- Edivaldo. (DESLINGUIÇO)

Eu e Edivaldo ficamos conversando sobre religião e outros assuntos até a noite chegar, só paramos para jantar, foi até agora um dos melhores companheiros de prosa com quem já conversei. Apesar de ser caminhoneiro, tinha uma filosofia de vida magnífica. Apesar de ter muitas riquezas, só gostava de ficar pregado ao clássico caminhão reformado, sempre ajudava instituições de caridade com dinheiro que tinha.
Pedia aos filhos que sempre pegassem boa parte do lucro dos negócios para doá-lo em qualquer lugar que ajudasse as pessoas. Ele me contou que já chegou a usar drogas e que as largou depois de ter virado monge budista por sete anos. Se casou aos trinta, ficou com a mulher que o trocou porque tinha muitos ciúmes dele e não agüentava ficar com ele sempre fora, ou ele escolhia a profissão ou ela. Acabou continuando caminhoneiro, preferiu uma vida de cigano. Já está de noite, nós paramos num restaurante de beira de estrada. Edivaldo diz:
- Ufa! Chegamos. Vamos comer aqui.
- Quanto falta pra entrega sua mercadoria?
- Alguns quilômetros.
- Cerca de quanto especificadamente?
- Uns quinze a dezessete quilômetros.
- Tá perto.
Edivaldo desce do caminhão e me pergunta:
- Tu não vai desce não?
- Não, ficá aqui mesmo vendo televisão. Pode trazê uma marmita para mim?
- Sim.
Dou o dinheiro a ele e digo:
- Me traz um suco de laranja se tivé e se não tivé me traz um refrigerante qualquer, menos coca-cola.
- Falô então.
Liguei a televisão e estava passando no jornal das sete uma reportagem da emissora local. A repórter dizia o seguinte: “Nesse local foi impedido um assalto a lanchonete graças ao eficaz feito heróico de um justiceiro desconhecido e a ajuda da polícia local. As testemunhas que viram, se impressionaram com tal feito heróico que se vê mais em filmes de ação. O justiceiro após ter ajudado a polícia pegou carona com um caminhoneiro. As câmeras de segurança de uma lanchonete do posto filmaram a ação impressionante do herói desconhecido, vejam vocês caros espectadores.”

Nem podia imaginar que apareceria na televisão, ainda mais, me mostrando numa cena de ação dentro de uma lanchonete. A repórter termina de dizer: “Ainda estão tentando identificar o justiceiro. Agora é com você, José Machado!” “Notícias quentíssimas, telespectadores! A maior polêmica do momento que está sendo passada em rede nacional, é do homem que dizem ser Jesus Cristo, que está de volta, dessa vez fazendo mais milagres e agindo como um justiceiro do bem combatendo o crime. É pelo menos os boatos que o povo diz dessa lenda urbana. Será que isso significa o começo de uma nova era ou do Apocalipse? Ou não passa de uma tremenda brincadeira de mal gosto? Saiba mais sobre essa grande polêmica no quadro especial do programa de Marcos Piom: Cético feliz.” Troquei de canal e vi outra reportagem séria: “Notícia de ultima hora, mais um ataque terrorista do ‘GEDA’, denominado como grupo exterminador d anticristos. Dessa vez o ataque foi feito no Poliesportivo Internacional de Brasília, onde estava havendo uma reunião ecumênica de cristãos. O poliesportivo explodiu matando mais de mil pessoas inocentes. Acompanhe mais a reportagem depois dos comerciais e...” Não me senti bem e desliguei a televisão, não aceito ver essas coisas que não me interessam.

Mas só me faltava essa! Pelo visto o homem que se diz Jesus, é mesmo Jesus. Ou pelo menos algum tipo de iluminado, essas coisas que ultimamente tem acontecido na minha vida, está parecendo mais um sonho do que o real. Minha vida não tem sido a mesma depois que fui fazer aquela maldita reportagem. Edivaldo logo chega, traz minha comida, comemos no caminhão e depois vamos embora. A televisão fica ligada, aproveito ela para passar mais o tempo enquanto estamos viajando. Na propaganda, vejo sobre o programa “Cético feliz”, nele passava o Marcos Piom dizendo: “Veja hoje no programa que mais trata de assuntos do sobrenatural no país! Uma matéria sobre lobisomens, afinal eles existem ou não existem!? Será que essa lenda é só mais uma maneira de emcobrir os fatos da existência de mais um desses seres noturnos, ocultados da raça humana!? Seriam eles mutantes ou uma raça híbrida d alienígenas? Veja esse debate imperdível com participação especial dos principais adeptos do grande cético, Rames Carter! E relatos de pessoas, que juram de pés juntos já terem visto lobisomens! Você não pode perder.”
Edivaldo logo que ouve isso faz um pequeno comentário mostrando o que acha:
- Sabe cara!
- O quê?
- Meu irmão que também era caminhoneiro. Antes de morrer, jurava que tinha visto um lobisomem.
- Não duvido que isso tenha acontecido.
- Cara! A coisa que mais duvido é de que exista esses seres! E é também uma das que mais eu penso que possa existir. Paradoxal não acha?
- O quê!? Um cara como você, que já compreende uma porção de coisas nessa vida. Duvida que isso existe? Pensei que você já tivesse visto esse tipo de coisa.
- Já vi de tudo na vida. Já fiz certos estudos sobre essas lendas, mas nunca vi um. Menos coisas voltadas para o sobrenatural q ainda não vi. Em algumas coisas até chego a acreditar. Mais em outras realmente me geram dúvida.
- Nunca viu nada de sobrenatural?
- Nunca cara, até chego a pensar na hipótese de tal coisa existir, mas acho que não. Essas coisas pra mim, a maioria não passa de lenda mesmo.
- Com certeza você tem muito a ver ainda.
- Esse tipo de coisa que existe, eu pretendo é não vê, quero isso longe de mim! Hahaha. – Edivaldo ri.
- É... Você não sabe como eu quero também. Outra coisa, aconteceu mais outro ataque do “GEDA”.
- Ah! Mais outro, já tô me acostumando com isso. E vai t mais ainda do jeito que anda essas coisas.

Enquanto o tempo passava, eu e Edivaldo ficamos conversando a viajem toda. Finalmente chegamos a cerraria que Edivaldo tinha contado para mim. Ele diz:
- Chegamos!
- É aqui o lugar?
- É.
- Cê num tem medo de tá transportando coisas ilegais nesse caminhão não. Tipo RCL ou algum contrabando nesse caminhão não cara?
- Não, isso tá tudo seguro, eu até bati na madeira para ver se ela era oca.
- Ah bom, que já teve uma reportagem, mostrando que eles utilizam caminhoneiros honestos para fazerem o trabalho sujo.
- Não, não preocupa com isso não. Não mecho com gente desse tipo.
- Isso é umas das coisas que me gera uma certa paranóia.
- Não se preocupe, isso não vai acontecer, agora eles já devem estar descarregando a mercadoria.
- Como ia dizendo. Isso me gera a maior paranóia.
- Que bobeira cara, dexa disso.
Não sei porque, mas algo me dizia q tinha alguma coisa errada com a cerraria q Edivaldo estava deixando a sua carga. Edivaldo abre a porta e sai para o lado de fora. Aí me lembro de outra coisa, geralmente quando um caminhoneiro é encarregado de trazer intorpecentes ilegais para algum lugar, pelo menos isso antes d quase todas as drogas serem legalizadas. Ele é recomendado de não sair de dentro do caminhão, pelo risco dele ver alguma coisa. Mas tinha algo d errado na cerraria. Logo eu saio também do caminhão e exclamo para Edivaldo:
- Não sai do caminhão! Tem algo errado aqui...
- Por quê? – diz Edivaldo calmamente.
- Você piro de vez! Os que te recomendaram levar essa carga não te disseram para não sair do caminhão enquanto estivessem descarregando?
- Não.
- Cara, você não pode ver os traficantes tirando as madeiras, se não...
- Peraí! Que paranóia meu! Quem me mandou transportar essa madeira, é um cara que já faço serviço por muito tempo. Ih não... Ele nunca me meteu numa furada antes. Só transportei coisas legais para ele e essas madeiras não estão com drogas. Já bati nelas e não estão ocas. Eu vi eles botando o carregamento e não botaram nenhuma nada d ilegal embaixo, isso é paranóia sua. Se tivesse algo d errado nesses troncos enormes, já teria percebido. O q poderia também ter nesses troncos? RCL?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO! LEIA ISTO: Resolvi tirar a moderação dos comentários. Agora até você troll pode vir aqui me infernizar. Mas tudo tem seu preço! Quando você vir encher d lixo meu blog, no fim do mês vou limpar este lixo daqui e quando fizer isto. Vou estar limpando você q é um lixo no mundo. Vai doer muito em ti! Quer apostar q esta praga vai pegar? Quando sua vida depois virar do avesso, não diga q não avisei... Maktub!((Aquele q quiser se manifestar contra o q penso sinta-se a vontade, mas faça isso sem trollar, pois essa praga só inclui os trolls imbecis.) Agora você deve estar se perguntando porque estou fazendo isto? Só pra treinar minha ação com quietude mesmo.

Pesquisar este blog

Milton: O Jesus d Preto

Milton: O Jesus d Preto
Isso é porque muita gente me chama d Jesus, mas sou só o Milton mesmo porque Jesus é todo mundo.

Deseja fazer um Pacto com OGGU?

O q você acredita q vem depois da morte?

Você a favor da legalização das drogas?

Qual sistema d governo você acha ideal pra o mundo?

Todo poder Executivo e Legislativo devia viver num regime comunista ou socialista?

Daily Calendar

Capa do meu livro

Capa do meu livro
Essa foto é do meu amigo Alberto q fez esse blog pra mim e me ensinou a mexer nele.

Your IP and Google Map location