sábado, 2 de agosto de 2008

Lembranças sem sentido Cap.2-Part.1


Part.1


Neste instante, o homem de terno preto, óculos escuros sentou-se a meu lado e começou a conversar comigo:

- Senhor Carlos. Meu nome Roberto Danrrou. Mas pode me chamar de Danrrou, prefiro assim. Eu estava nas investigações de sua expedição. Trabalho para a “CIS”, Corporação Internacional do Sobrenatural, estou nela a vinte cinco anos. Somos como a “MIB” dos homens de preto, ou tipo aquele antigo seriado do “ArquivoX” só que não investigamos só sobre os extraterrestres, tudo aquilo que é extraordinário e sobrenatural nós estamos lá. E nós realmente existimos, não somos uma simples ficção. Não somos de faz de contas, eu agora gostaria de te contar mais coisas. Mas você não irá saber muito ao nosso respeito. Não se preocupe com isso.

Então eu lhe perguntei:
- O quê? Vocês estão de brincadeira comigo? Só faltava vocês terem tecnologia super avançada também.

E ele me respondeu:
- Exatamente o que você falou, mas minha área não é com os extraterrenos e olhe para mim. Estou com cara de que estou brincando?
- Não! Nenhum pouquinho... – digo cinicamente.
- O que estou querendo te dizer. É que estes ataques que aconteceram com você, já aconteceram a outras expedições.
- Espere um pouco! Como assim?
- Em uma cidade chamada Ourilândia do Norte, houve um massacre de pregadores católicos, só sobrou um padre vivo que desapareceu dois dias depois.
- Qual era o nome dele?
- Padre Manuel. Descendente de mexicanos, foi catequizar os índios com outros sete pregadores. Tivemos relato que eles foram atacados por feras com a aparência de homem híbrido com onça.
- Puracaso vocês já investigaram outros fatos parecidos com esse?

- Sim, casos de pastores evangélicos mortos cruelmente por estas feras. No começo chegamos a pensar que fossem os índios que mataram os pregadores. Também houve um caso de outras expedições de curiosos como repórteres e aventureiros em busca de conhecimentos dos remédios naturais dos índios e de alguns tratoreiros mortos quando trabalhavam a noite ou descansavam em suas redes. Os índios chamam essa fera de Guatinchara, o espírito protetor dos índios. Interrogamos vários índios e não descobrimos nenhuma pista sobre esta fera. Casos como esses nós chamamos de metamorfos infratores, quem os vê e sobrevive ficam bastante perturbados, nem sempre se curam. Eles mal se lembram do que realmente aconteceu-lhes. Só tem flashes e as vezes pesadelos do que aconteceu, temos pistas do tal Guatinchara. Não é só dele a fama também de fera infratora, já tivemos ocorrências de lobisomens, homens-porcos, morcego...
- Peraí! Você está me contando um monte de baboseiras, isso não é verdade! E porque você estaria contando isso na frente da médica.
Nayra responde:
- Eu também sou da “CIS”
- Como!? – digo espantado.

Nayra olhou para mim, acenou com sua mão dando um sorriso e falando:
- Oi! O que você achou dessa descoberta? – diz ela.
- Por que você não me contou antes!?
- Não estava na hora certa.
- Então tudo que você me disse era mentira!
- Só quando estava na enfermaria, o trabalho de voluntária que faço a quatro anos, é apenas uma fachada para investigar o que os militares sabem e trazer essas informações para a “CIS”. Bem que é algo que me orgulho de fazer.
- Essa história é igual aquela que o guia me contou. – digo olhando pra Danrrou – Pensava que só fizesse parte de uma história para atrair turistas. Agora vejo que isso é verdade mesmo... Hahaha. – digo com cara de neurótico – Não! Não! Isso só deve ser mais um sonho maluco. – começo a falar perturbado.

Fiquei com minha mente mais confusa do que antes. As coisas não paravam de se encaixar umas com as outras. Comecei a acreditar que isso tudo fosse um sonho e a perder as estribeiras. Logo digo:
- Isso é um sonho. Só pode ser, tudo isso é do meu subconsciente, a qualquer momento eu acordarei. Deixa eu me beliscar pra ver se isso é mesmo verdade.
Eu me belisquei, o resultado não podia ser outro:
- Ai!

Mesmo assim não conseguia acreditar que aquilo fosse verdade, devo ter entrado em uma nova loucura. Agora que eu fiquei louco mesmo, depois dos sonhos de sonho que tive antes, esse poderia ser só mais um, ainda mais quando todos parecem ser reais. Não sabia o que estava acontecendo comigo era real ou fictício de novo. Fora do meu controle resolvi fazer uma loucura e falar mais asneiras ainda:
- Sonhos se parecem com a realidade, é isso que está acontecendo comigo, uma ilusão do meu subconsciente.

Neste instante o homem me disse:
- Não! Não confunda o irreal com real seu tolo! Isso é verdade, você só esta confuso!
- É mesmo? Só tem uma maneira de saber. Vou pular deste avicóptero e acordarei!
Nessa hora eu tinha perdido completamente o raciocino, realmente pensava em pular, levantei rapidamente e fui direto puxar a alavanca que abria a porta do avicóptero.

Só ouço aquele grito do homem de terno:
- Segurem ele! Não o deixem escapar!

Aqueles dois soldados me seguraram pelos braços e começaram a me puxar, mesmo assim não conseguiram evitar que eu chutasse a alavanca para abrir a porta de uma vez. Na loucura que estava, não sei de onde consegui arranjar forças para soltar-me dos soldados e depois pular. Quando estava pulando, prestes a cair do avicóptero me voltou a consciência, parecia que o que estava acontecendo era mesmo verdade não um sonho. No ar me deu aquele medo de morrer, quando realmente eu ia dormir e nunca mais acordar, vendo minha vida passar pelos meus olhos. Sinto alguma coisa circulando rapidamente em volta da minha cintura, me prendendo com força não me deixando cair. O vento me levou para traz, me deixando na calda do avicóptero, quando olho em direção ao lugar de onde eu pulei. Lá está o homem de terno preto segurando com a mão esquerda uma pistola que tinha um tipo de cordão preto de uma liga muito resistente pelo visto.

Seu corpo estava do lado de fora, ele segurava com a mão direita a abertura da porta e gritava:
- Me puxem logo seus idiotas! Eu não quero morrer! Não vou aguentar segurar aqui muito tempo! Vamos! Nós precisamos dele!
Os soldados o puxaram com muito esforço para o avicóptero, já lá dentro ele aciona a arma novamente que me puxa rapidamente, vou batendo as minhas costas na lataria e finalmente entro no compartimento dos passageiros, os soldados fecham a porta e o homem de terno me fala com muita raiva:
- Seu maluco! Você pirou de vez!

Nayra, me defende:
- Ah! E você não ficaria maluco depois de tudo que aconteceu com ele acontecesse com você!?
- Ele irá nos ser útil de alguma forma.

Sendo segurado novamente pelos soldados, não deixava de acreditar que tudo ainda não se passava de um sonho, falei para aquele homem:
- Meu subconsciente que não me quis deixar me suicidar e vocês por à caso copiaram esse equipamento do Batmam? Só pode ser isso não é, mais uma coisa o que você quis dizer que irei ficar sem saber de nada? Mais outra loucura do meu subconsciente.

O homem de terno então disse:
- Acho melhor você dormir.
Então ele pegou uma arma paralisadora, daquelas que dão choque, encostou em mim e voltei a dormir de novo. Algum tempo depois, eu abro os olhos e me levanto na cama do quarto do meu apartamento. Fico com aquela cara espantada e dou de novo um grito:
- Aaaaah!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO! LEIA ISTO: Resolvi tirar a moderação dos comentários. Agora até você troll pode vir aqui me infernizar. Mas tudo tem seu preço! Quando você vir encher d lixo meu blog, no fim do mês vou limpar este lixo daqui e quando fizer isto. Vou estar limpando você q é um lixo no mundo. Vai doer muito em ti! Quer apostar q esta praga vai pegar? Quando sua vida depois virar do avesso, não diga q não avisei... Maktub!((Aquele q quiser se manifestar contra o q penso sinta-se a vontade, mas faça isso sem trollar, pois essa praga só inclui os trolls imbecis.) Agora você deve estar se perguntando porque estou fazendo isto? Só pra treinar minha ação com quietude mesmo.

Pesquisar este blog

Milton: O Jesus d Preto

Milton: O Jesus d Preto
Isso é porque muita gente me chama d Jesus, mas sou só o Milton mesmo porque Jesus é todo mundo.

Deseja fazer um Pacto com OGGU?

O q você acredita q vem depois da morte?

Você a favor da legalização das drogas?

Qual sistema d governo você acha ideal pra o mundo?

Todo poder Executivo e Legislativo devia viver num regime comunista ou socialista?

Daily Calendar

Capa do meu livro

Capa do meu livro
Essa foto é do meu amigo Alberto q fez esse blog pra mim e me ensinou a mexer nele.

Your IP and Google Map location