quinta-feira, 1 de maio de 2008

Cumprindo uma promessa


Esse conto. Eu o escrevi em homenagem a Nicolau. Hoje, conhecido apenas como Nick. É um transexual. O conto é baseado nos relatos q Nicolau já me contou e baseado em fatos reais q aconteceram na vida dele e q tb se mituraram com a minha vida quando ele me encontrou. Foi um dos grandes amores d minha vida. A história mistura ficção e realidade. Coisas q realmente aconetceram e coisas q eu gostaria q aconetcessem e q hoje estão acontecendo. Foi quando escrevi esse conto. Q tinha a intenção a muito tempo d montar a OGGU. Só chamava d Ordem dos Guardiões. Revisei o texto. Corrigi uns erros d portugu~es, fiz questão d deixar o estilo d escrever d internet também, pra preservar o original. Fiz umas modificações básicas no original também. Aqui eu uso um pseudônimo como no original. Vou deixar tanto o q fiz algumas mudanças recentes e corrigi alguns erros quanto original aqui postado.

Cumprindo uma promessa

Part.1(A vida GLS)
Meu nome é Nicole – dizia a mulher – esse é meu nome já faz 5anos, antes era Lindomar Borja Nicolau, mas isso era antes deu fazer a operação de mudança de sexo, como vc pode ver, hoje tenho o corpo de mulher, sou considerado pela sociedade um transexual, mas isso não importa. Vou começar a dizer aqui a minha história, um resumo da minha vida q deixei pra vc ver. Desde criança, sempre fui diferente, não intendia pq eu brincava com os brinquedos das meninas e deixava d lado as coisas dos meninos. Meus pais sempre me davam uma surra qd viam eu fazendo isso. O tempo foi passando e fui descobrindo q tinha algo de errado comigo, não me interessava por meninas, como qualquer adolescente de 13 anos, mas sentia desejo por homens e não gostava de ter o corpo de homem, achava q minha alma estava no corpo errado, pq eu não nasci menina? Pq Deus fez isso comigo?
Tinha algo de muito errado comigo, guardava uma tristeza dentro de mim. A pergunta era pq tinha de ser assim? Bem, vou começar dizendo pra vc sobre minha primeira experiência sexual, melhor dizendo... homosexual. Estava numa festa em João Molevage, cidade do interior de Minas Gerais, uma amiga minha de 16 anos, me convidou pra ir nessa festa q acontecia num apartamento, ela era única pessoa q sabia d todos meus segredos. Eu estava triste naquele dia, havia discutido com meus pais, queria lhes dizer o q eu sentia, mas acabou dando errado, não consegui dizer uma palavra pq peguei os dois discutindo, minha mãe tinha traído meu pai e ele tinha descobrido, discutiram na minha frente.
Meu pai agrediu minha mãe e ele ainda disse q aceitaria ela d volta, mas q tudo seria diferente dentro d casa, qd vi aquilo, sai correndo de casa e fui pra casa da minha amiga Laura, essa q me levou pra festa. Foi nessa festa q eu conheci Roger, ele me pareceu muito gente boa, converssava comigo e se mostrava interessado em mim, ele tinha uns 18 anos, muito lindo e sentia bem atraído por mim, eu tinha 1.68cm, corpo andrógino e uma beleza exótica pra um menino, ele era uns 20cm mais alto q eu. Foi então q naquela noite, nós entramos no seu carro, fomos pra um hotel e... Bem essa parte não preciso descrever pra vcs o q aconteceu, pois ela não tem importância. Mas só uma observação, eu fui o passivo como sempre fui. Ficamos 3 dias no hotel, nesses dias não queria aparecer em casa, por causa dos meus pais. Qd voltei pra casa, decidi pra eles q iria dizer o q estava acontecendo comigo, pois já não suportava mais esconder deles o q sentia, não importava por qual situação estavam passando.
Pensei q provavelmente meu pai me expulsaria de casa, mas minha mãe não deixaria. Contei pra eles, acabou saindo tudo errado, meu pai disse, disse não, gritou comigo! Falou q naquela casa ele não me queria mais e não iria ter mais seu respeito qd morasse com ele, pois se quisesse teria de agir como ele queria q eu agisse. Isso eu poderia suportar, mas o q não suportei foi minha mãe ter dito q eu deveria ter morrido em sua barriga. Nesse dia eu me senti tão infeliz, fui chorando pro banheiro, mas antes disso tinha pego uma tesoura q estava na estante da sala, qd entrei no banheiro, não pensei duas vezes e enfiei a tesoura no meu pescoço, cai no chão e minha visão começou a escurecer.
Qd eu acordei, estava numa cama dentro d um pronto socorro. Minha mãe me visitava todos os dias, chegou a pedir desculpas pelo q disse. Sabia, q no fundo, era isso mesmo q ela desejava, eu me recuperei, fui pra, casa e lá era tratado com secura, meus pai me mandaram pra psicólogos, psiquiatras, mas isso não resolvia nada. Meus pai estavam sempre brigando, foi numa sexta feira de outubro, faltando 13 dias pro meu aniverssário, q resolvi fugir de casa, peguei escondido dos meus pais, 300 reais q eles guardavam no caixa da loja deles de concertos de eletrodomésticos. Foi naquela madrugada, q fui pra rodoviária e peguei o primeiro ônibus q ia sair, q era um q ia pra Brasília. Eu só tinha 13 anos, não agüentava aquele ambiente de discriminação em q ficava, naquele ambiente q não me aceitavam e tinha sido muito duro ter ouvido da própria mãe q ela queria q vc morrese em sua barriga. Foi em Brasília q aprendi a viver da pior maneira, usar os outros como escada eram sempre o meu objetivo.
Qd cheguei em Brasília, procurei um hotel, q ficava na zona d Basília, procurei emprego sem sucesso, meu destino acabou sendo o destino d muitos q ficavam na zona, se prostituir, odiava isso desde o primeiro dia em q um vellho na casa dos ciquenta me levou pra um hotel. Ganhei 100 reais, mas qd cheguei no hotel, fui logo pro banheiro e tomei um banho e sentia nojo de mim, foi assim pra mim durante 8 meses q estive naquele lugar, todo dia alguém diferente pra se prostituir, tinha de enfrentar o perigo dos travestis q queriam me matar, pq sempre roubava seus clientes, ganhava cerca de 100, e até 300 por dia, qt mais ganhava dinheiro menos me prostituía, me mudei daquele hotel e comecei a morar na casa de uma amiga q tinha conhecido por lá, seu nome era Lívia, morávamos juntos numa casa q ficava em Taguatinga, dividíamos as despesas com mais 8 garotas, eram todas estudantes fazendo curso pro vestibular ou q já estavam na faculdade. Fazíamos festas direto lá, vivíamos com bastante conforto. Nessas festas passei por situações d bastante orgia, tive contato com drogas pois comecei a frequentar boates e raves, êxtase rolava solto, foi nessa época tb q comecei a desenvolver dons sobrenaturais, conseguia saber o q os outros pensavam, conseguia entra nas suas mentes qd eles dormiam e fazer com q eles fizessem o q eu queria e mais outras coisinhas menos importantes.
Aconteceu tb coisas engraçadas nessas orgias q fazíamos lá, como eu tinha um beleza exótica e andrógina, tanto héteros como homosexuais se facinavam por mim, já estava um pouco mais alto e meu cabelos batiam nos ombros, isso me dava uma aparência mais andrógina ainda. Uma vez tive de correr 4 mulheres louca e nuas atrás de mim, todas querendo me dar. Não é por mal não, Deus me fez nascer gay pois se fosse homem, nenhuma mulher ia sobrar pra os homens! Se eu fosse bisexual então! Eu já era bastante conhecido no mundo GLS, sabia de tudo sobre homossexuais. Tinham os homossexuais normais, q geralmente eram ativos e passivos, tinham as barbies, q eram homens fortes q gostavam na maioria das vezes de bancar o passivo, os ursos homossexuais fortes com pintas de machões e com muito pêlos pelos corpos, tinham aqueles q eram drag queens de final de semana tb, tinham os travestis e entre os travestis tinham os travestis os travestis q bancavam só ativos, q eram chamados de um nome q eu esqueci, tinha as lésbicas tb e suas exentricidades, sem falar nos mais estranhos q começavam a aumentar, q eram os bisexuais e transexuais, no caso eu me encaixava nesse ultimo, a dos transexuais, só q ainda era um sonho pra mim ser operado um dia, no qual ainda queria realizar.
Bem... Foi numa dessas festas q fazíamos e de boates em q íamos q eu conheci Rafael, começamos a ficar mais íntimos, a ter mais relações sexuais com mais freqüência e começamos a namorar. Era minha primeira paixão, ele era modelo conhecido pela mídia, acabei virando modelo também, nessa época já tinha 1.76cm, já tinha pouco mais 14anos e posava pra algumas revistas. No começo foi maravilhoso, fizemos muitas coisas juntos, pulamos de para-quédas, eu achava q ele era o amor da minha vida, nós nos mudamos pra São Paulo, lá tb comecei a fazer shows como drag queem, ganhava bastante, vivia gastando meu dinheiro com festas e drogas. Mas Rafael começou a mudar comigo, começamos a discutir muito, ele me agredia bastante. Foi então q o larguei e fui morar sózinho. Conheci, outra drag queem com quem comecei a ter um caso, terminamos qd ele quis q eu virasse o ativo. A minha vida sem Rafael não tinha mais tanto conforto, moráva na São Paulo capital, não andava mais de carro, as ruas eram perigosas, principalmente pra nós homossexuais, ainda mais agora q eu já não podia andar mais na segurança do carro de Rafael.
Tinha de pegar os metros e andar a pé sempre em bandos d 5, 7, dez travestis quando saíamos da boate em q fazia apresentações como drag. Já apanhei de skeenrads e já bati em muitos tb, nesse tempo, acabei entrando nas aulas de kung fu artístico, lá tb eu aprendi a me defender. Tinha muitos relacionamentos q duravam menos d semanas, já bati em mulheres por puro ciúme tb só delas olharem pra o homem q pretendia ter. Eu não era uma boa pessoa. Tudo estava indo bem, mas de repente entrei num confusão por causa de drogas, poderia ser preso e pra minha infelicidade estava nas mãos de quem mais detestava, Rafael, meu primeiro namorado. Ele tinha filmado eu distrinuindo êxtase numa rave e tinha fita q pretendia mostrar a polícia se caso eu não ficasse com ele.
Foi nesse tempo q estive com ele q eu tive de usar meus dons pra sair de suas mãos, acabei conseguindo a fita, junto com um comparsa roubei e vendi o carro dele pra um traficante, q me rendeu bastante dinheiro, 40mil reais q dividi meio a meio com meu comparsa, o carro devia valer uns 80 mil, mas precisava de dinheiro rápido. Na mesma noite eu me mandei de lá, fui pra Brasília, pra mim lá seria o ultimo lugar q ele me procuraria, pois sabia q eu não seria burro pra voltar pro luar onde nos conhecemos, pelo menos foi isso q coloquei na mente dele. Mas não pretendia ficar lá muito tempo, mas um dia eu me vingaria daquele desgraçado q me humilhou tanto. Lá em Brasília fui morar com Carlota, um travesti dono d prostíbulo. Fazia muito tempo q eu não conversava com minha mãe, nessa época já ia completar 15 anos, ainda tinha o telefone de casa, liguei pra lá e por minha surpresa, minha mãe q atendeu. Disse q eu devia voltar, pq sentia saudades de mim e q meu pai se arrependia muito do q fez e q queria me ver, pois estava com câncer de próstota. Falei pra ela q iria no ano seguinte, nisso já era véspera de final de ano.
Foi antes de ir q me aconteceu uma coisa muito extraordinária, conheci um homem q me chamou pra entrar num seita secreta, q tinha o nome de A Despertação, eu seria iniciado e conheceria uma personalidade famosa q era quem cordenava a seita, Paulo Coelho, isso mesmo. Paulo Coelho, ele me deu algumas instruções. Foi nessa iniciação onde tive uma grande revelação. Foi nesse encontro com Paulo Coelho q eu tive minha primeira visão do futuro, como foi q aconteceu? Éramos 8 reunidos em volta de um circulo, estávamos metade com túnicas brancas e outra metade com túnicas pretas, e no centro estava Paulo Coelho com uma túnica cinza. Paulo Coelho começou a citar umas palavras numa língua estranha, falou pra q nós fechássemos os olhos e repetíssemos o q ele falava tb, disse q teríamos visões do nosso passado e do nosso futuro e q nós não estávamos ali por acaso.
Tínhamos sido escolhidos pra uma grande missão q poderia afetar drásticamente o mundo se falhássemos. As visões q eu tive pareciam bem reais, entrei numa espécie de tranze e voltei no passado, era o ano de 1675, Alemanha, no passado eu era uma mulher, pertencia a uma seita secreta de assacinos e tínhamos um mestre q já tinha mais de 100 anos, o nosso mestre era homossexual, mas era lindo, uma beleza q o deixava com uma aparência de 20 anos, nós não sabíamos como conseguia ficar tão jovem. Nosso mestre nos ensinava as artes da magia negra e da magia branca, nos ensinava também a arte de matar, tinha aprendido muitas técnicas d luta com sábios do oriente. Seu rosto era andrógino, seus cabelos batiam no pescoço e eram lisos. Seu corpo era magro, mas rígido e tinha 1.80cm. Nós lutávamos contra o cristianismo, contra o islamismo e contra o judaísmo, nossa seita já existia a séculos, foram por causa de nós q essas 3 religiões entravam em guerra, nós tínhamos como objetivo fazer com q os lideres dessas 3 religiões guerreassem entre si pra se acabarem até o dia em q seus fiéis não os seguissem mais. Pois nosso mestre tinha recebido a revelação d q os futuros líderes dessas religiões trariam o mal pra humanidade no futuro, tínhamos de conter q essas religiões ganhassem fiéis, era isso q fazíamos, intriga entre essas religiões, nós assacinávamos os seus líderes e os fazíamos pensar q eram eles mesmos q estavam matando seus líderes. Nossa seita tinha cada vez mais adeptos, estávamos espalhados pela Europa, pelo oriente médio e por parte da África. Comecei então a me apaixonar pelo meu mestre, eu era uma linda loira nessa vida e tinha os olhos azuis, de naturalidade franceza.
Acabei tendo um caso com esse meu mestre, q também começou a se apaixonar por mim, começamos então a ter um caso. Mas um dia nossa seita foi descoberta pela Igreja Católica, eles começaram a nos eliminar um por um, nossa seita foi sendo destruída. E o pior, meu mestre achava q a culpa era minha, ele tinha razão, pois eu acabei entregando pra Igreja a nossa seita por causa de um descuido. Foi numa noite numa floresta iluminada pela lua cheia onde começava a nevar q nos encontramos pra uma batalha em q apenas um de nós iria sair vivo. Empunhamos nossas espadas, fazia 10 anos q não via meu mestre, a seita tinha se dividido pra sobreviver. Qd o encontrei estava com a aparência diferente, parecia agora ter uns 40 anos, ainda era bonito, mas agora usava com seus cabelos grandes uma barba e seu corpo era forte e musculoso, tinha um aparência máscula, revelou pra mim, q só permanecera jovem por mais de 300 anos pq era homossexual, mas q no dia em q se envolvesse com uma mulher, a desgraça caíria sobre ele e q cada dez anos de sua vida seria como se 20 anos tivesse se passado e q perderia todos seus poderes mágicos, só me matando q ele poderia se livrar de parte da maldição, no caso ele poderia recuperar seus poderes mágicos, mas não sua imortalidade.
Começamos então uma batalha mortal, nós mostrávamos um pra o outro todas nossas habilidades, nas artes da luta, mesmo eu estando com a vantagem de poder usar a magia contra ele conseguiu me vencer com suas habilidade de guerreiro. Mesmo estando muito ferido, ele conseguiu arremessar sua espada contra meu peito, foi certeiro no coração, já estava muito feria pra poder lutar tb, caí no chão e vi meu mestre olhando arrependido pra mim tb. Foi então q disse suas ultimas palavras. “Não devia ter feito isso, pois a amo. Daria minha vida por vc pra q possamos nos encontrar nos mundo dos mortos e nas próxima vidas.” Ele chorando, olhou pra mim, pegou uma adaga q tinha consigo, enfiou-a debaixo de sua costela e em seguida a moveu dentro de seu corpo pra chegar ao seu coração. Morreu lentamente e com muita, dor, eu antes de morrer, o vi morrendo mas ostentando um sorriso em sua boca, logo eu tb morri, sorrindo. Depois tive outras visões d todas as vidas q viveria com ele, a ultima visão era minha vida hoje. Eu me encontrava novamente com ele, mas ele me rejeitava. Mas nessa mesma visão, algum tempo depois ele estava comigo e nessa visão nós tranzávamos e tudo entre nós terminava.
E quando isso acontecia, eu o via se transformando num homem q era o contrário daquele q conhecia, se tornava frio, sanguinário e malévolo. Era ele q tornava a vida das pessoas um inferno se caso não agissem como ele queria. Ouvi a vós d Paulo Coelho, q falou pra nós abrirmos os olhos e nos disse pra não nos espantarmos com o nevoeiro q estaria em volta d nós, eu nem tinha acreditado nisso quando ouvi, mas quando abri os olhos... Em volta do circulo havia um nevoeiro branco, nele brilhavam fagulhas de energia d cor azul e vermelha! Mas como isso surgiu? Estávamos dentro de um lugar fechado? Qd olhei pra Paulo Coelho, seus olhos tinham um brilho de uma luz, ofuscante.
O nevoeiro foi desaparescendo. Logo depois da seção, Paulo Coelho me procuro no salão pra conversarmos. Ele então começou a me dizer toda a visão q eu tive durante o tranze e ainda me disse coisas sobre minha vida, detalhes q poucas pessoas sabiam a meu respeito. Fiquei espantado, mas o q mais me espantou, foi o q ele disse sobre o homem q apareceu nas minhas visões, era minha alma gêmea e era meu protegido. Era ele tb q poderia causar um grande mal a humanidade, se caso seu corpo conhecesse o homossexualismo, disse q se caso acontecesse uma relação entre nós dois despertaria dentro dele uma mal inominável q iria tomar conta de sua alma generosa e boa aos poucos até torna-lo o algoz da humanidade, seria o anti-cristo q todos cristãos esperavam um dia chegar e destruir a humanidade! Era o grande amor de minha vida, com ele passaria por um teste. Veja, mas não toque, toque, mais não prove, prove, mas não engula! Essas foram as palavras q ele me disse, logo ele me entregou um frasco q continha um olho sagrado q vinha de Jerusalém, me ensinou um ritual d proteção, no qual eu deveria fazer com ele.
Sai de lá um pouco cético, não acreditava em amor, nunca senti amor nem nos sexo e nem sem ele, nunca tive uma demonstração de carinho e nunca amei alguém de verdade, muitos homens passaram pela minha vida, pq alguém q eu não encontrei seria minha alma gêmea? Não acreditava nisso. Tive outros encontro com Paulo Coelho, cerca de mais 4, 5 no total desde o primeiro ritual. Ele me ensinou muitas coisas e me dizia muitas palavras sábias. Bem... Chegou o dia q voltaria pra minha casa. Mas antes deu ir, no meu ultimo encontro com Paulo Coelho, ele me disse q eu iria ter revelações q me eram escondidas e q meu grande amor me ensinaria muitas coisas q precisava aprender e seria a chave pra meu auto-conhecimento. Já era janeiro d 2002 qd cheguei na minha cidade natal, voltei de Brasília com muito dinheiro q acabei acumulando em minha conta com minhas trapaças e com meu esforço no trabalho, um dia pretendia usar esse dinheiro pra alguma coisa especial. Mas uma da intenções q tinha com ele, primeiramente era usar pra minha operção de mudança de sexo.

Part.2(O encontro com a alma gêmea)

Qd cheguei na rodoviária fui recebido pela minha mãe, q me levou pra casa, me falou do meu pai, ele já estava de alta, ainda espantou com minha aparência q estava mais andrógina do antes, pois comecei a tomar hormônios femininos no começo do ano, tomava hormônios sem receita médica, mas eram hormônios fracos pelo q ouvi dizer, ostentava um cabelo q batia na metade das minhas costas, q tinha reflexos e era pintado com mexas cor de rosa, eu tinha me tornado adepto do movimento Clubber fazia um ano e meio já, minhas roupas eram espalhafatosas e faziam q todos olhassem pra mim. Recomecei minha vida de novo, voltei a estudar, fui pra uma escola particular em q faria os dois anos q perdi em um, seria 4 nos q pretendia fazer em 2.
Na escola eu era muito conhecido por todos, homens e mulheres me temiam, pq eu era muito brigão, não havia um q topasse me enfrentar, pois sabiam q iriam sair bem machucados, no começo tive de dar uma surra em 5 otários preconceituosos, foi interessante mostrar isso pra metade da escola q me via surrando sem dó 5 idiotas aparentemente mais fortes do q eu. Acabei ficando rodeado de falsos amigos, amizade, essa palavra não existia pra mim, classificava as pessoas como as q vc não pode confiar, como as q vc podia confiar um poço e como as menos confiáveis. Ia nas boates, arranjava muitos namorados, usava muitas drogas ainda, não seguia aquilo q Paulo Coelho me disse. Acabou q meu pai se recuperou bem, me tratava secamente mais me tolerava em sua casa. Estive uma surpresa indesejada qd teve uma festa de amigos, encontrei com Roger, aliás, com seu irmão gêmeo, Everson. Acabamos tranzando naquela noite. Mas a outra surpresa q tive foi depois, foi numa festa de família semana seguinte.
E quem poderia estar lá q eu menos desejaria, Roger e Éversom, minha mãe chegou perto de mim e me apresentou os dois e mais outros dois q estavam com eles. Eram meus meio irmãos! Ambos ficamos espantados, os 4 eram filhos d meu pai num casamento anterior ao da minha mãe. Depois da festa contei pra minha mãe como eu tinha conhecido meus meio irmãos, ela riu muito e me disse q eles moravam juntos numa casa, tinham se mudado pra lá um dia antes deu ter tentado suicídio. Outra coisa q descobri sobre eles, uma curiosidade da minha família, além d Roger e Éversom serem homossexuais, meus outros meio irmãos, Paulo e Ricardo eram bissexuais. É... Parece q isso era de família, estava nos genes, será q meu pai tb já passou por uma faze de homossexualismo?
Será q ele era um homossexual reprimido? Bem... Não sei... Mas mudando de assunto, minha outra família era bem diversificada, parece q depois q eu assumi pros meus pais e fugi de casa, meus irmão tb assumiram e alguma primas tb assumiram ser homossexuais, tínhamos muitos homossexuais e bissexuais na minha família. D quem será q herdamos esses genes q a sociedade tanto odiava? Não tenho a menor idéia, conheci outros irmão da minha outra família, eram seis no total, Além de Roger, Everson,Paulo e Ricardo, tinha tb o Rodrigo e o Marcelo, esses não eram homossexuais, Rodrigo era um metaleiro q odiava seus irmãos e os odiava principalmente por serem homossexuais. Marcelo não morava em Brasília e era newnazista pelo q eu ouvi dizer. Não me dava bem com Éverson e nem com Rodrigo, não podia ver nenhum dos dois na rua q acabávamos brigando. Era assim a maioria dos nossos encontros e geralmente eu apanhava, pois eles brigavam muito bem! Eu tinha outro irmão tb, só q esse era irmão por parte de pai e d mãe.
Era o Murilo, ele era muito legal, mais novo q eu 2 anos, mas era muito inteligente e muito maduro, não era preconceituoso, curtia muito as coisas q homossexuais curtiam, as músicas eletrônicas, as festas a forma d pensarem, tinha tudo d gay, só não tinha o gosto por homens, esse era mais um q se safou do nosso gene defeituoso. O ano foi passando, acabei não tulerando mais ficar em casa, pq meu pai me tratava mal e minha família tb, q na sua maioria eram parentes evangélicos q nos desrespeitavam e nos odiavam e odiavam principalmente a mim! Pois era o gay mais afeminado da família. Fui pra Uberlândia, lá comecei a trabalhar como cabeleiro e fazia shows como drag na Révam, uma boate GLS. Não foi muito diferente de Brasília, homens q passavam por minha vida e iam, brigas em q eu geralmente surrava idiotas, drogas e é claro, muito dinheiro sujo.
Chegou 2004, ainda mantinha contato com minha mãe, foi aí q ela me implorou pra voltar e q ela tinha uma coisa pra me contar q queria cantar já fazia muito tempo. Voltei pra minha cidade, lá fui recebido por uma festa de amigos gays, q me embebedaram e raparam todo meu cabelo até me deixarem careca, esse trote q eles me aplicaram lhes renderam algumas costelas e dentes quebrados no dia seguinte em q eu os encontrei e eu tive d usar um cabelo curto por muito tempo, mas ainda assim era bastante andrógino, meu corpo era d homem, mas ainda assim meu rosto era de uma mulher. Mas voltando ao assunto, qd me encontrei com minha mãe ela me disse a verdade sobre minha vida, uma coisa q não queria ouvir. No meu nascimento, eu tinha nascido hemafrodíta.
Os médicos indentificaram em mim falta de hormônios masculinos e femininos, eu cresceria como um adrógino, não seria mulher, pois meus hormônios eram insuficientes pra me dar seios e nem seria homem, pq meus hormônios não me dariam pêlos pelo corpo. Desde criança eles me davam um remédio q eu não sabia pra era, esse remédio eram hormônios masculinos, q aos poucos me tornavam menos andrógino e mais homem. Não surtiam muito efeito, mas nessa idade minha voz pelo menos não era afeminada. Um outro detalhe importante, é q eles poderiam escolher se eu poderia crescer como mulher ou como homem, meu pai impo a minha mãe q eu virasse homem. Logo eles arrancaram o meu útero e fecharam meu canal vaginal. Foi assim q passei a entender pq eu tinha uma cicatriz estranha de baixo do meu saco e pq meu pênis era pequeno...
Bem q eu nunca gostei de meu pênis, minha mãe me fez jurar pra nunca contasse isso pro meu pai. Fiquei muito triste ao saber disso. Em 2004 fiquei metade do ano estudando e morando com meus pais, fiz um ano na metade desse ano. Acabei não gostando d conviver com meus pais e fui morar sósinho numa penção, arranjei um namorado bissexual q geralmente acabava batendo em suas parceiras ocasionais, só não tocava na sua namorada, ele usava duas máscaras, pra família e pra alguns amigos ele era hétero, pra outros ele era homossexual e pra os mais confiáveis ele era bissexual. Numa noite em q eu dormia tranqüilo no meu quarto, tive um sonho esquisito, mas muito bom, um espírito de luz e andrógino chegava nos meus sonho e me chamava. Esse espírito era nu, seus cabelos passavam dos seus pés e ele levitava no ar, seus cabelos eram formados por um fogo azul q não tocavam o chão, seus olhos brilhavam e ele tinha um rosto lindo e angelical.
E se assemelhava muito com o rosto do meu mestre q eu tive nas minhas visões, não tinha sexo e nem seios, mas seu corpo era branco como a neve, era magro, com os músculos pouco definidos mais rígidos q emitia uma luz intenssa, seus olhos tinham o brilho do ouro, era a figura mais linda q eu tinha visto. Ele me chamava com suas mãos, no sonho eu era uma mulher andrógina como ele, só q rinha seios e ia a seu encontro. Qd tocamos nossas mãos no sonho, eu acordei, nisso vi em volta de mim muitas fagulhas d energia da cor azul. Olhei no meu celular já era quase 6 da manhã, logo tomei meu café e s 7 e 30 fui pro salão trabalhar. Mas foi voltando do salão q eu tive uma surpresa, já era final d julho d 2004.
Foi qd passando pelo Banco do Brasil q eu vi aquele jovem belo, aquele q esteve nas minhas visões e cujo rosto se assemelhava muito com o rosto do espírito do meu sonho na noite anterior. Só q ele ostentava apenas no queixo um cavanhaque q lhe dava um certo charme e masculinidade a seu rosto andrógino, andava desleixado, seus cabelos batiam no pescoço e estavam despenteados, usava calças desbotadas, camisa de escola e sandalhas d coro. Eu o segui, vi q ele entrava numa pensão q ficava no centro. No outro dia já fui procurar aquela pensão com a intenssão d morar lá. Fui atendido pro um homem velho. Combinamos um preço, no outro dia já me mudei pra, lhe andiantei 50 reais, peguei minhas coisas e as levei pra lá num sábado, chegando na pensão, eu vi aquele homem belo dos meus sonhos. Comecei a puxar conversa, perguntei seu nome, ele disse se chamar Rófeu(Pseudônimo meu nessa história.), era filho do velho da pensão, tinha 19 anos.
Conheci sua família toda, uma mãe católica praticante, um pai católico não praticante, um irmão mais novo q ele um ano q fazia engenharia na UFU, um outro d 13 anos q tinha problemas mentais, mais tarde vim a descobrir q ninguém daquela família era normal. Lewd, o irmão do meio era muito alto e magro, ostentava uma barba no rosto q lhe dava a impressão d psicopata, Ângelo tinha 13 anos mas agia como uma criança d 7 anos e Rófeu, era misterioso pra mim, sério e sereno, conversava pouco comigo, nunca puxava conversa comigo, mas sempre era gentil, seu outroi irmão do meio mal me respondia. Rófeu já tinha se formado no segundo grau, mas não pretendia prestar vestibular. O pai dele Orfeu, tinha 54 anos, era bem humorado mas as vezes muito seco e severo com seus filhos, sua mãe, Mara, era muito carinhosa com seus filhos e tinha 38 anos. Na primeira noite q durmi lá tive um sonho estranho, Rófeu entrava no meu quarto e me possuía, nesse sonho homoerótico ele se mostrava inssaciável e me desejava muito, parecia um demônio q baforava no meu pescoço qd me penetrava por trás.
Qd acordei fui vê-lo na portaria, ficava escondido dele, o vendo d costas mexendo no computador da portaria no qual passava madrugadas inteiras na frente da internet, eu passei a observa-lo escondido todas as madrugadas q acordava. Comecei a dar em cima dele, mas ele sempre me negava. Rófeu e eu começamos a fazer troca de favores uns pra os outros não confiávamos um no outro, ele sabia qual era minhas intenções com ele mas retribuía bem as mulheres q arranjava pra ele, saía comigo as vezes sem compromisso nenhum pra ir no cinema ou em casa de amigos meu gays e d parentes q gostava d visitar e principalmente, me ouvia, era um homem perfeito me ensinava muitas coisas.
Mas não tinha dele o q mais queria, q era seu corpo, passei a entrar em sua mente enquanto ele dormia, tentava incutir nela q ele me desejasse, mas sem resultado, ele sempre me dispensava e não se mostrava nenhum pouco interessado por mim, mas me repugnava cada vez mais qd tentava me aproximar mais intimamente. Não intendia isso, pq nos sonhos q começava a ter com ele, ele se mostrava cada vez mais desejando meu corpo? Sua mente era uma coisa espantosa, era aterrorizante e ao mesmo tempo tinha uma paz utópica. Ele vivia um conflito interno muito estranho, mas o q mais me impressionou foi um casulo cinza dentro de sua mente q descobri numa dessas seções q entrava em sua mente tentando incutir coisas nela.
Uma vez, fazendo quase 1mês q morava na pensão da família dele, qd começamos a discutir por causa das minhas investidas em cima dele, cheguei a lhe dizer q ele estava quase ficando na palma d minha mão, ele fechou a cara pra mim e só disse pra mim tomar cuidado. Não sei pq, mas depois q disse isso, comecei a ter pesadelos com ele, nos pesadelos ele sempre me fazia sofrer d alguma forma e minha vida real começou a ficar d cabeça pra baixo, perdi meu emprego e as pessoas q me bajulavam, começaram a me hostilizar sem mais nem menos, tudo dava errado, até uma gripe eu peguei.
E a enorme quantia q eu tinha no banco foi desaparescendo, mas isso era algo q eu podia evitar, não sei pq, de repente apareceu um monte de gente pedindo minha ajuda e eu não conseguia negar-lhes, foi assim, até eu gastar praticamente todo meu dinheiro com pessoas q eu conheci nas minhas jornadas q agora precisavam da minha ajuda desesperadamente, q comecei a melhorar, não entendia como eles conseguiam me achar, mas achavam. Teve um dia q ele chegou pra mim e me disse pra não entrar mais na sua mente, pois eu poderia descobrir algo q poderia destruí-lo. Me perguntei como ele sabia q estava entrando na mente dele? Até aí não sabia q ele era envolvido tb com as artes da magia como deduzi nesse dia, pois só assim ele poderia saber q eu entrava em sua mente qd dormia, disse pra mim q não adiantaria eu tentar incutir coisas em sua cabeça pq ele tinha sua proteção Lhe contei sobre o casulo q ele tinha dentro de si, no mesmo instante ele me advertiu seriamente pra q nem sonhasse ver o q tinha lá dentro e estava furioso comigo, não conversou comigo dia inteiro.
O casulo q descobri, era do tamanho d um prédio d 3 andares, tentei várias vezes chegar perto dele em outras seções anteriores pra ver o q tinha dentro dele, mas tinha medo, qd cheguei perto desse casulo e tentei ver o q tinha dentro dele, saiu de lá um demônio negro, com olhos vermelhos, o q mais me espantou era q esse demônio tinha o rosto d Rófeu, nisso imediatamente o casulo ficou quase tão branco como a neve. E reparando no demônio, seu rosto q me espantou, era um rosto negro e seus olhos vermelhos brilhavam soltando uma névoa estranha em sua volta, tinha mais d dois metros, estava nu, seu corpo era musculoso e tinha não um só pênis, mas 9 tentáculos penianos como naqueles filmes de monstros em desenhos japoneses.
Seus pés davam lugar a garras de morcego, seus ante-braços tinham espadas de oço grudadas q eram do tamanho d 1metro, tinha asas de morcego e cabelos grandes q tb passavam d seus pés, mas pra seu cabelo não tocar no chão, fazia um formato de “V” e as pontas dele ficavam pra cima soltando um fogo vermelho escuro, essa era a cor de seus cabelos. Sem falar q tinha 3 chifres no rosto, um no meio da testa e outros dois, um d cada lado da testa, q tinham mais d 30cm e faziam uma curva pra cima. Era algo aterrorizante! Outra peculiaridade, é q ele estava em volto de uma aura negra q mantinha um cordão de energia negra com qual se conectava ao casulo. Aqueles tentáculos aumentaram seu tamanho e vieram em minha direção e já começando a se enrolar no meu corpo, mas nesse mesmo momento, apareceu aquele espírito d luz andrógino q tinha visto no meu sonho, q tb era conectado no casulo por um cordão de energia da cor de uma luz branca.
Qd saiu do casulo, o casulo ficou meio transparente. O espírito d luz fez espadas d luz surgirem de suas mãos e atacou desprevinido o demônio, imediatamente o demônio me soltou! Logo ele pegou o demônio e o puxou pra dentro do casulo, q voltou a ter a cor cinza de novo. Nunca mais eu entrei na mente dele de novo. No outro dia em q conversamos, ele me procurou e disse as seguintes palavras: “Espero q vc tenha aprendido a não enfiar o nariz onde não deve” Me lembro dessas palavras como se fossem ontem. Já tinha terminado o mês e eu disse pra ele q iria me mudar d lá ia voltar pra casa dos meus pais, algo q ele me aconselhava muito e q eu estava pensando em fazer, nós já tínhamos voltado a conversar e sair normalmente, ficamos muito amigos nessa ultima semana q estive lá, amigos d verdade, algo q eu nunca tive, prometi a ele q pagaria primeiro a seu pai antes d ir.
E eu lhe perguntei d brincadeira, qual seria o dia em q ficaríamos juntos, foi qd ele me disse q só ficaria comigo qd me tornasse uma Roberta Close da vida, ou seja, qd eu me livrasse de meu pênis, contei a ele q já tinha essa pretensão, ele me disse q poderia procura-lo. Logo mudou d assunto e ele me perguntou: “Está com falta de dinheiro na conta? Não se preocupe, pelo menos vc ajudou muitas pessoas.” Mas como ele sabia disso!? Nesse dia eu descobri q ele estava envolvido com aquilo q estava acontecendo comigo, ele nem precisou d me falar, pois já tinha sentido essa verdade nele, seu olhar me dizia tudo. Antes de ir, faltando 5 dias pra voltar pra casa d meus pais, resolvi chamar alguns amigos gays meus pra fazermos um bota fora na pensão, q tinha uma área de lazer com piscina e estacionamento e antes d começar a festa. Nesse dia aconteceu algo espantoso...
Foi qd o chamei pra ir participar da festa, ele foi contra vontade, pois estava deprimido no dia. Ele dizia:”Não, não quero ir...” ele estava bêbado, eu e ele tínhamos tomado muito vinho enquanto conversavámos. Foi pro quarto e começou a durmir, não conseguia ficar sem o Rófeu na festa, passou-se meia hora e o acordei, insisti q insisti e ele por causa de sua generosidade foi pra lá. Ficou sentado num canto, tomando cerveja e conversando poço com a gente, até q se deitou na rede e desmaiou, pois já tinha bebido muito dessa vez. Mas qd acordou e se levantou rapidamente, o ambiente ficou pesado no lugar, olhou pra um amigo meu e pediu a revista q ele lia. Só q tinha um porém, seu pedido soou como uma ordem, meu amigo lhe deu logo, mas não era isso q o espantava, mas sim seus olhos q estavam completamente vermelhos como o sangue e com a pupila toda dilatada e negra como o carvão q emitiam um brilho sinistro.
Mas tinha algo mais aterrorizante q isso, eu via em volta dele uma áurea negra q tomava conta d todo lugar, todos tb viam, mas não sabiam dizer o q era aquilo, estavam todos com muito medo e se afastaram dele, não queriam ficar sentado perto de jeito nenhum, nem eu mesmo me atrevi chegar perto. O mais estranho é q ele parecia ler a revista normalmente e ria sósinho. Os seus riso! Seus risos q pareciam mais grunhidos d uma fera demoníaca, qd o ouvíamos rir, um arrepio subia pelas nossas espinhas. Ele falava uma língua estranha olhando pra nós, uma língua demoníaca com uma voz demoníaca, parecia estar possuído, todos estavam tremendo d medo. O medo tomou conta mesmo qd ele se levantou da rede, todo mundo se borrou d medo e entrou em pânico, inclusive eu ao ver aquela figura sinistra de um homem com os olhos vermelhos q emitiam um brilho sinistro no lugar q já estava com a luz fraca.
Pensamos q ele ia começar a nos atacar, foi qd ele sorrindo... Era um sorriso sinistro, deu uma risadinha macabra e disse as palavras q soaram sínicas pra gente: “Bem pessoal... Vou dormir agora, boa noite e boa festa. Não façam muito barulho por causa dos hospedes e dos vizinhos. Até mais.” Todos disseram até mais tb e ele depois q disse isso saiu da área de lazer andando numa velocidade incrível q parecia mais estar correndo como um guepardo e atrás dele ficava áurea negra e uma sombra demoníaca sinistra. Todos se aliviaram, pois pensavam estar correndo perigo perto d um psicopata.
No outro dia era sábado, ele acordou as duas da tarde, mesmo tendo ido dormir as 11 da noite. Sua ressaca era forte, perguntei a ele pq ele agia estranho, a única coisa q ele me disse q fez foi q bebeu, deitou na rede e depois pediu uma revista pra ler e ficou rindo das matérias fez um comentário em voz alta pra todos ouvirem, q nem se lembrava mais o q era, se sentiu intediado e foi durmir. Contei pra ele o q tinha acontecido, ele ficou espantado!
Não tinha consciência do q fazia, mas me revelou o q acontecia com ele. Ele disse q a anos tentava conter dentro d si seu lado negro, q era sua segunda personalidade e nas raras vezes q ele não conseguiu conter sua personalidade má, ele fez muito estrago q inclusive lhe atrapalhou sua vida, me contou tb sobre sua personalidade boa, q qd era despertada fazia milagres q eram difíceis d acreditar, coisas como desde uma oração pra curar pessoas, ler mentes, ,prever o futuro, falar com animais e outros mais simples e outros, até os mais espantosos, como correr mais q um carro a 70 km/h, pular uma altura q era o dobro da sua e até d ressuscitar pássaros e outras proezas mentais e físicas, coisas q tb eram possíveis pra sua personalidade má q geralmente fazia usando o mal. Assim como sua personalidade má, foram raras vezes q despertou sua personalidade boa por completo tb. Na maior parte das vezes elas viam, eram dois espíritos a mais no seu corpo q tomavam conta dele qd era necessário ou qd ele estava com muita raiva ou triste.
Qd um desses espíritos tomava conta por completo d seu corpo ele não perdia a consciência, mas não era ele q comandava mais suas ações sim os espíritos, mesmo q na sua mente ele tentasse constestar o q eles queriam fazer, eram eles q tomavam as decisões qd tomavam conta, mas nas vezes q eles não se manifestavam por completo em seu corpo, simplesmente davam parte d seu poder pra q ele realiza-se algumas das proezas mais fáceis q não exigiam deles tomar conta do seu corpo. Os dois espíritos então começaram a ter uma batalha interna muito intensa dentro dele e isso estava o levando a loucura, um deles queria tomar conta do seu corpo, geralmente seus espíritos agiam sem q ele soubesse qd dormia. Isso explica os pesadelos q eu tinha com Rófeu e os sonhos bons q tinha com ele.

Part..3(A violação)

Já era o último dia q ia ficar na pensão, me despedi d Rófeu, lhe dei um abraço e saí chorando d lá d felicidade, antes d ir disse q mesmo não tendo com ele sexo, mesmo não sendo seu namorado, disse q graças a ele eu conheci o amor e amizade verdadeira. Foi então q eu ouvi essas palavras sábias: “Procuro amar a todos. E essa foi a forma d demonstrar meu amor por vc Lindomar.” Foi uma noite feliz q tive com ele, tive muito sonhos com ele em q estávamos juntos como marido e mulher. Passei a acreditar q um dia ficaríamos juntos assim q eu fizesse a operação, ele me prometeu q estaria comigo no dia q ela acontecesse e me daria o maior apoio. Nos encontramos d novo outras vezes, já ia fazer quase 1 mês e meio q nos conhecíamos. Mas foi num dia em q saímos pra ir num clube, q uma amiga minha se interessou por ele, logo eu a apresentei a ele, os dois se beijaram no clube.
Ele me agradeceu depois qd viu q eu tinha lhe apresentado minha amiga, pela primeira vez fiz isso a ele sem esperar algo em troca. Foi qd disse a ele, q já q ele não se sentiria bem me beijando, eu preferiria o ver feliz com beijando outras pessoas q fossem do sexo oposto ao dele, já q isso o faria feliz. Ele se sencibilizou tanto q disse essas palavras q me marcaram pra sempre: “Isso sim é uma prova de um verdadeiro amor. Querer a felicidade do outro antes da sua” Nesse mesmo dia ele me prometeu um q me daria um beijo assim q ele pedisse. Pensei a tarde toda a respeito, a noite saímos, jogamos sinuca, qd voltamos pra pensão a noite, lhe perguntei mesmo se queria cumprir o q me prometeu, ele disse q assim q eu quisesse. E foi assim q se sucedeu, eu pedi o beijo, ele me deu. Esse foi o melhor beijo da minha, vida, senti um sentimento bom naquilo.
Foi um sentimento q me deu tantas forças q eu aproveitei pra rançar dele aquele espírito maligno. Nessa noite lhe disse q o amava tanto, q daria minha vida pela dele. Foi o q fiz, uma semana depois começamos a namorar, ele ainda pretendia contar a seus pais, q no começo não me viam com bons olhos mas agora já passavam a me ver como uma boa pessoa, a boa pessoa q ele me transformou. Eu estava amando alguém d verdade e sendo correspondido, me sentia feliz por isso, não fazíamos sexo, mas comecei a ficar estranho, aquela coisa q tomei dele começou a tomar conta d mim. E me falava pra q eu tirasse a pureza q ainda lhe restava do seu corpo, apesar dele não ser virgem, nunca fez sexo com outro homem. Eu tentava controlá-la, mas já não conseguia, com ela passei a ter poderes extraordinários e os meus antigos poderes ficavam mais fortes, logo Rófeu notou q algo estava faltando nele, eu acabei lhe dizendo o q tinha tirado dele.
Ele ficou desesperado, pois aquilo não era responsabilidade minha e somente ele conseguia domina-lo, ele o queria de volta. Eu disse pra ele q não havia como devolver, mas eu sabia como eu podia devolver, mas não seria bom eu fazer isso, só ele profanando seu corpo q o teria d volta. Ele insistiu pra q procurássemos uma forma. No dia seguinte o procurei em sua casa, só q dessa vez não fui bem recebido, seus pais haviam descoberto o q havia entre nós pela boca d outras pessoas q pra piorar mancharam minha imagem pra eles falando d erros q cometi no passado. Seu pai estava muito bravo, me expulsou d lá me humilhando, fui pra, casa chegando lá, pensava em me suicidar, essa seria a única maneira d impedir q esse espírito maligno tomasse conta de mim e corrompesse o corpo d meu amado.
Pensei o q poderia acontecer se o espírito saísse de mim e possuísse outra pessoa pra depois corromper Rófeu, preferiria isso ao vê-lo ser corrompido, sabia q o espírito dentro d mim tinha se fortalecido e q se ele voltasse pra Rófeu o dominaria. Mas o pior acabou acontecendo, Rófeu me encontrou em casa, ele sabia onde era pois já tinha me visitado várias vezes e almoçado lá com minha família, q depois q começamos a namorar comecei a me dar muito bem com eles. Qd chegou em casa, eu estava sósinho, foi então q conversamos, nos beijamos e ele sentiu uma forte atração por mim, foi então q aconteceu o q não devia acontecer. No sexo ele se mostrou tão insaciável como no sonhos, foram vária ejaculações, fiz tudo q um passivo podia fazer e ele tudo q um ativo poderia fazer, nunca tinha tranzado com tanta selvageria, ninguém tinha sido tão vigoroso qt ele, mas eu já não tinha mais aquele espírito maligno comigo, mas agora já podia esperar as conseqüências, q seriam as piores.
Fiquei, sabendo uma semana depois q nos encontramos q ele tinha brigado com os pai, mas mesmo assim eles ainda continuavam o aceitando em casa e aceitavam nosso relacionamento, apesar d não aprová-lo. Continuamos a nos encontrar, mas eu não ia em sua casa, na maioria das vezes q tranzamos, era na minha casa e raramente na pensão, qd os pais não estavam em casa, eu não o impedia, pois eu e ele gostávamos, tínhamos muito prazer nessas seções d sexo. Aparentemente Rófeu estava bem, eu nem queria pensar sobre o espírito q estava com ele, quando eu perguntava sobre isso, ele dizia q tudo estava sobre controle. Mas algo me dizia q tinha alguma coisa errada, eu estava certo.
Rófeu começou a ficar depressivo, ele não me contava pq motivo estava assim. Queria terminar comigo, mas antes d terminarmos, eu o chamei a minha casa, foi lá q eu fiz um ritual d proteção pra ele, peguei o óleo sagrado q Paulo Coelho me deu, passei nos meus lábios, dei um selim em sua boca e depois passei o resto do olho na sua testa e em seguida despejei o resto do conteúdo do frasquinho na sua cabeça, assim teria certeza d q o espírito maligno não lhe faria mal e q ele estaria bem e protegido dos perigos. Ele terminou comigo no meu aniversário, tentava ligar pra ele, mas ele não atendia nunca o telefone ou o celular e não falava nem com seus amigos e eu não tinha coragem d ir na sua casa, depois nós perdemos o contato. Mais tarde vim a saber por conhecidos dele q ele tinha tentado suicídio e já q não conseguia se suicidar se envolvia em confusões no objetivo d morrer nelas. Seus pais acabaram o levando pra um psiquiatra, depois ele mudou d cidade, ele foi pra outra cidade no final d ano, foi pra o norte do país.
Eu me sentia culpado com tudo q estava acontecendo. Queria saber como ele estava, mas não tinha mais nenhum contato com ele, a não ser seu e-mail, toda vez q mandava pra ele, não recebia resposta e mesmo depois q eu continuei mandando, ele tinha abandonado sua conta q já tinha espirrado. Eu comecei a ficar depressivo tb com tudo aquilo, achei q ele tinha me esquecido, até cheguei a arranjar um namorado novo, mas não adiantava, a falta q Rófeu me fazia deixava um enorme vazio, logo terminei esse namoro. Até q chegou um dia, q eu olhando no meu e-mail, tinha na caixa d entrada uma mensagem dele. Fiquei ansioso pra saber o q tinha lá! Foi então q li a seguinte mensagem: “Nicolau, deixo aqui todos os meus sentimentos q não tive coragem d expressar a vc. O motivo deu ter ficado depressivo, foi uma série d fatos q me atormentavam. Estava feliz com vc, mas era uma felicidade incompleta, era um amor incompleto, era o amor q faltava no sexo. Não tinha nenhum sentimento, depois q tive minha primeira experiência com vc, experimentei outros homens, mas em nenhum senti sentimento no sexo, pois isso não é possível entre homossexuais. Eles podem se amar d verdade, mas nunca terão prazer e amor no sexo ao mesmo tempo, pois não é o natural.
Pelo menos nos beijos q tivemos, alguns, o nosso primeiro em especial, eu podia sentir um sentimento d amor, ele me apaziguava a alma e me fazia sentir amado. Nunca fiz sexo com amor, nem com outras mulheres. O q mais me arrependo, é d ter feito sexo apenas por prazer com quem eu amava, d todas as mulheres q me amaram, vc mesmo sendo homem, me amou mais do q todas elas. Vc tinha tudo q procurava numa mulher, exceto o corpo. Por isso q nunca deveria ter acontecido sexo entre a gente até o dia q vc se tornasse mulher. Tentei me suicidar tb pelo fato daquele ser estar me atormentando e quase me dominando, queria morrer pra evitar q isso acontecesse, mas ele não deixava eu me matar e nem os outros me matarem, todos q tentavam, sentiam um medo indescritível qd pretendiam virar meus algozes e iam embora. Eu sofri uma grave doença e tive d ser operado, fiquei 3 meses me recuperando, eu renasci d novo, não penso mais em me matar, agora já tenho o domínio sobre o espírito maligno. Ainda um dia pretendo t encontrar, espero t encontrar renascido d novo, se não nessa vida, q seja numa próxima.
Se vc querer... Nessa vida ainda” Sabia o q ele queria dizer com renascer nessa vida, era a operação q tinha d fazer, mas não sei se chegaria a faze-la. Pois já tinha desistido disso, eu tinha parado d tomar os hormônios, pois eles estavam me fazendo mal e mesmo se quisesse, não tinha dinheiro pra isso agora. Havia muita burocracia pra isso, não era simplesmente vc chegar numa clínica e eles fazerem a operação, vc tinha q tomar hormônios por no mínimo 3 anos em q vc teria de se consultar com um psiquiatra pelo menos uma vez por semana pra vc fazer a cirurgia depois, a cirurgia era o mais barato, hoje a medicina evoluiu tanto q poderia se fazer uma vagina perfeita no corpo d um homem, por apenas 7mil reais, sem falar q o SUS fazia d graça tb. Mas o tratamento psiquiátrico e todo resto da burocracia, já t arrancava3 vezes mais q o preço da cirurgia, achar um psiquiatra pelo SUS?
Isso sim era difícil, tinha tb a opção d buscar uma universidade em q poderia entrar como voluntário pra cirurgia, muitos faziam assim, isso se eu tivesse a sorte d ser escolhido, pois as vagas eram muito disputadas e nem todos concluíam até o final. Achei isso um absurdo, um travesti pode colocar silicone nos seus seios sem precisar dessa burocracia toda. Acabava q o destino da maioria dos transexuais no Brasil, era desistir, assim como eu. Pra ele era essa a única forma d podermos nos amar por completo. Pior q ele tinha razão, mas eu não sei se seria bom voltarmos d novo, mesmo q um dia pudéssemos nos amar por completo. Mas se ele me amasse d verdade não se importaria com meu corpo, me aceitaria do jeito q eu era. Isso q me fazia se perguntar se valia a pena fazer isso por ele. Por um lado ele tinha razão, só eu sendo mulher poderíamos nos amar por completo.
Amor foi algo q nunca senti numa relação sexual e nem ninguém sentiu por mim. Eu amo muito, mas não posso ficar com ele, me sentia culpada pelo q aconteceu, poderia ter evitado o q aconteceu e esperado o dia em q teria renascido, mas não esperei, era eu q não o amava d verdade, fui egoísta e escrava do prazer. Isso acabou o fazendo passar pelo q ele não devia, ele não precisava mais d mim, um dia arranjaria alguém q o amaria mais do q eu e q realmente merecesse ser correspondido pelo seu amor.

Part.4 A Ordem dos Guardiões e Guardiãs do Universo

A ultima notícia q eu tive d vc foi, sobre a Nova ordem q vc criou. Chamada Ordem dos Guardiões e Guardiãs do Uno, tb conhecida como OGGU. A ordem foi criada em Paragominas e seus ensinamentos se espalharam em todo Brasil antes do plesbicito sobre a proibição do desarmamento. Eis o q ensinava no papel q continha tudo sobre os Guardiões. Meus caros amigos do Brasil. Vcs já devem ter percebido q esse plesbicito sobre a comercialização d armas não vai resolver nada, nem votando sim e nem votando não. Pq? Vc se pergunta. Isso é óbvio. Pq pra se usar uma arma tem d se estar preparado psicológicamente pra usá-la nas horas d necessidade. Mas nem todos sabem qd é necessário usá-la. Mas como saber q vc está pronto pra usar uma arma pra se defender. Por nível. Se vc sabe se defender diálogando, vc está pronto pra se defender usando seu corpo,(ex:artes marciais) se sabe se defender usando o corpo, sabe se defender usando armas brancas(ex: bastão de madeira a espadas), se vc sabe se defender com armas brancas, vc está preparado pra usar armas d fogo. E se vc está sabe lidar com todas, vc deve se tornar um guardião, viver uma vida monástica desapegado dos bens materiais e ter como dever trazer a paz pra sociedade em q vive.
O q quero dizer em ser guardião? Só estou querendo ressuscitar os antigos templários nessa cidade. A ordem dos Guardiões. Uma entidade sem fins lucrativos em q trabalharemos pra proteger a sociedade e limpar toda sujeira nela. Uma entidade q aceitará pessoas d qualquer religião e etnia, tanto homens e mulheres. Lutaremos contra o crime, digamos q isso é uma forma d trazer a nova Santa Inquisição no Brasil. Vamos ferrar com ladrões d verdade q são os nossos líderes q elegemos e q colocamos pra nos governar. Por isso meus caros. Eu voto sim, pois votarmos não, vamos abrir as portas pra os EUA venderem armas pra gente e o Brasil vai virar a bosta dos EUA, já estamos virando cópias deles, pois estamos destruindo nosso bem mais precioso, q é a natureza. Digo a todos q pra fazer parte da OGGU, é só seguir o q está na Bíblia, Mat5,6,7. E lembrar do q diz no Timóteo. Os Versículos são os meus caros amigos do Brasil. Vcs já devem ter percebido q esse plesbicito sobre a comercialização d armas não vai resolver nada, nem votando sim e nem votando não.
Pq? Vc se pergunta. Isso é óbvio. Pq pra se usar uma arma tem d se estar preparado psicológicamente pra usá-la nas horas d necessidade. Mas nem todos sabem qd é necessário usá-la. Mas como saber q vc está pronto pra usar uma arma pra se defender. Por nível. Se vc sabe se defender diálogando, vc está pronto pra se defender usando seu corpo,(ex:artes marciais) se sabe se defender usando o corpo, sabe se defender usando armas brancas(ex: bastão de madeira a espadas), se vc sabe se defender com armas brancas, vc está preparado pra usar armas d fogo. E se vc está sabe lidar com todas, vc deve se tornar um guardião, viver uma vida monástica desapegado dos bens materiais e ter como dever trazer a paz pra sociedade em q vive. O q quero dizer em ser guardião? Só estou querendo ressuscitar os antigos templários nessa cidade. A OGGU. Uma entidade sem fins lucrativos em q trabalharemos pra proteger a sociedade e limpar toda sujeira nela.
Uma entidade q aceitará pessoas d qualquer religião e etnia, tanto homens e mulheres. Lutaremos contra o crime, digamos q isso é uma forma d trazer a nova Santa Inquisição no Brasil. Vamos ferrar com ladrões d verdade q são os nossos líderes q elegemos e q colocamos pra nos governar. Por isso meus caros. Eu voto sim, pois votarmos não, vamos abrir as portas pra os EUA venderem armas pra gente e o Brasil vai virar a bosta dos EUA, já estamos virando cópias deles, pois estamos destruindo nosso bem mais precioso, q é a natureza. Digo a todos q pra fazer parte da OGGU, é só seguir o q está na Bíblia, Mat5,6,7.
E lembrar do q diz no Timóteo. Outra cosia importante pra quem quer ser um Guardião ou Guardiã. Devem-se fazer bom uso das 4 rergas d ouro da libertação. É por elas q toda nossa conduta moral e toda lei dos homens devem se basear. Eu as descobri. Sou o Guardião regente desse mundo. Só quem se compromete em fazer bom usoi das 4 regras d ouro é responsável o suficienete pra poder usar armas d fogo ou qualquer arma q seja. As regras são: 1. Liebrte-se d si mesmo. 2.Liberte-se dos próximos. 3.Liberte os próximos d vc. Liberdade e livre-arbítrio, caminham d mãos juntas. Lembrem-se disso. E como ia dizendo, está no Timóteo 1, Cap.2, versículo 3 ao 4, lá está escrito tipo assim: Isso é bom e agradável diante d Deus pai, q quer q todos sejam salvos. Conclusão, se Deus quer vc salvo, vc vai ser, ou pela dor ou por amor ou pelos dois. Agora como? A reposta vc vai achar com os espíritas e também com nós da OGGU. Maranata pra todos.

O original agora se vc tiver paciência pra ler mais ainda...

Cumprindo uma promessa
Part.1(A vida GLS)
Meu nome é Nicole – dizia a mulher – esse é meu nome já faz 5anos, antes era Lindomar Borja Nicolau, mas isso era antes deu fazer a operação de mudança de sexo, como vc pode ver, hoje tenho o corpo de mulher, sou considerado pela sociedade um transexual, mas isso não importa. Vou começar a dizer aqui a minha história, um resumo da minha vida q deixei pra vc ver. Desde criança, sempre fui diferente, não intendia pq eu brincava com os brinquedos das meninas e deixava d lado as coisas dos meninos. Meus pais sempre me davam uma surra qd viam eu fazendo isso. O tempo foi passando e fui descobrindo q tinha algo de errado comigo, não me interessava por meninas, como qualquer adolescente de 13 anos, mas sentia desejo por homens e não gostava de ter o corpo de homem, achava q minha alma estava no corpo errado, pq eu não nasci menina? Pq Deus fez isso comigo? Tinha algo de muito errado comigo, guardava uma tristeza dentro de mim. A pergunta era pq tinha de ser assim? Bem, vou começar dizendo pra vc sobre minha primeira experiência sexual, melhor dizendo... homosexual. Estava numa festa em João Molevage, cidade do interior de Minas Gerais, uma amiga minha de 16 anos, me convidou pra ir nessa festa q acontecia num apartamento, ela era única pessoa q sabia d todos meus segredos. Eu estava triste naquele dia, havia discutido com meus pais, queria lhes dizer o q eu sentia, mas acabou dando errado, não consegui dizer uma palavra pq peguei os dois discutindo, minha mãe tinha traído meu pai e ele tinha descobrido, discutiram na minha frente. Meu pai agrediu minha mãe e ele ainda disse q aceitaria ela d volta, mas q tudo seria diferente dentro d casa, qd vi aquilo, sai correndo de casa e fui pra casa da minha amiga Laura, essa q me levou pra festa. Foi nessa festa q eu conheci Roger, ele me pareceu muito gente boa, converssava comigo e se mostrava interessado em mim, ele tinha uns 18 anos, muito lindo e sentia bem atraído por mim, eu tinha 1.68cm, corpo andrógino e uma beleza exótica pra um menino, ele era uns 20cm mais alto q eu. Foi então q naquela noite, nós entramos no seu carro, fomos pra um hotel e... Bem essa parte não preciso descrever pra vcs o q aconteceu, pois ela não tem importância. Mas só uma observação, eu fui o passivo como sempre fui. Ficamos 3 dias no hotel, nesses dias não queria aparecer em casa, por causa dos meus pais. Qd voltei pra casa, decidi pra eles q iria dizer o q estava acontecendo comigo, pois já não suportava mais esconder deles o q sentia, não importava por qual situação estavam passando. Pensei q provavelmente meu pai me expulsaria de casa, mas minha mãe não deixaria. Contei pra eles, acabou saindo tudo errado, meu pai disse, disse não, gritou comigo! Falou q naquela casa ele não me queria mais e não iria ter mais seu respeito qd morasse com ele, pois se quisesse teria de agir como ele queria q eu agisse. Isso eu poderia suportar, mas o q não suportei foi minha mãe ter dito q eu deveria ter morrido em sua barriga. Nesse dia eu me senti tão infeliz, fui chorando pro banheiro, mas antes disso tinha pego uma tesoura q estava na estante da sala, qd entrei no banheiro, não pensei duas vezes e enfiei a tesoura no meu pescoço, cai no chão e minha visão começou a escurecer. Qd eu acordei, estava numa cama dentro d um pronto socorro. Minha mãe me visitava todos os dias, chegou a pedir desculpas pelo q disse. Sabia, q no fundo, era isso mesmo q ela desejava, eu me recuperei, fui pra, casa e lá era tratado com secura, meus pai me mandaram pra psicólogos, psiquiatras, mas isso não resolvia nada. Meus pai estavam sempre brigando, foi numa sexta feira de outubro, faltando 13 dias pro meu aniverssário, q resolvi fugir de casa, peguei escondido dos meus pais, 300 reais q eles guardavam no caixa da loja deles de concertos de eletrodomésticos. Foi naquela madrugada, q fui pra rodoviária e peguei o primeiro ônibus q ia sair, q era um q ia pra Brasília. Eu só tinha 13 anos, não agüentava aquele ambiente de discriminação em q ficava, naquele ambiente q não me aceitavam e tinha sido muito duro ter ouvido da própria mãe q ela queria q vc morrese em sua barriga. Foi em Brasília q aprendi a viver da pior maneira, usar os outros como escada eram sempre o meu objetivo. Qd cheguei em Brasília, procurei um hotel, q ficava na zona d Basília, procurei emprego sem sucesso, meu destino acabou sendo o destino d muitos q ficavam na zona, se prostituir, odiava isso desde o primeiro dia em q um vellho na casa dos ciquenta me levou pra um hotel. Ganhei 100 reais, mas qd cheguei no hotel, fui logo pro banheiro e tomei um banho e sentia nojo de mim, foi assim pra mim durante 8 meses q estive naquele lugar, todo dia alguém diferente pra se prostituir, tinha de enfrentar o perigo dos travestis q queriam me matar, pq sempre roubava seus clientes, ganhava cerca de 100, e até 300 por dia, qt mais ganhava dinheiro menos me prostituía, me mudei daquele hotel e comecei a morar na casa de uma amiga q tinha conhecido por lá, seu nome era Lívia, morávamos juntos numa casa q ficava em Taguatinga, dividíamos as despesas com mais 8 garotas, eram todas estudantes fazendo curso pro vestibular ou q já estavam na faculdade. Fazíamos festas direto lá, vivíamos com bastante conforto. Nessas festas passei por situações d bastante orgia, tive contato com drogas pois comecei a frequentar boates e raves, êxtase rolava solto, foi nessa época tb q comecei a desenvolver dons sobrenaturais, conseguia saber o q os outros pensavam, conseguia entra nas suas mentes qd eles dormiam e fazer com q eles fizessem o q eu queria e mais outras coisinhas menos importantes. Aconteceu tb coisas engraçadas nessas orgias q fazíamos lá, como eu tinha um beleza exótica e andrógina, tanto héteros como homosexuais se facinavam por mim, já estava um pouco mais alto e meu cabelos batiam nos ombros, isso me dava uma aparência mais andrógina ainda. Uma vez tive de correr 4 mulheres louca e nuas atrás de mim, todas querendo me dar. Não é por mal não, Deus me fez nascer gay pois se fosse homem, nenhuma mulher ia sobrar pra os homens! Se eu fosse bisexual então! Eu já era bastante conhecido no mundo GLS, sabia de tudo sobre homossexuais. Tinham os homossexuais normais, q geralmente eram ativos e passivos, tinham as barbies, q eram homens fortes q gostavam na maioria das vezes de bancar o passivo, os ursos homossexuais fortes com pintas de machões e com muito pêlos pelos corpos, tinham aqueles q eram drag queens de final de semana tb, tinham os travestis e entre os travestis tinham os travestis os travestis q bancavam só ativos, q eram chamados de um nome q eu esqueci, tinha as lésbicas tb e suas exentricidades, sem falar nos mais estranhos q começavam a aumentar, q eram os bisexuais e transexuais, no caso eu me encaixava nesse ultimo, a dos transexuais, só q ainda era um sonho pra mim ser operado um dia, no qual ainda queria realizar. Bem... Foi numa dessas festas q fazíamos e de boates em q íamos q eu conheci Rafael, começamos a ficar mais íntimos, a ter mais relações sexuais com mais freqüência e começamos a namorar. Era minha primeira paixão, ele era modelo conhecido pela mídia, acabei virando modelo também, nessa época já tinha 1.76cm, já tinha pouco mais 14anos e posava pra algumas revistas. No começo foi maravilhoso, fizemos muitas coisas juntos, pulamos de para-quédas, eu achava q ele era o amor da minha vida, nós nos mudamos pra São Paulo, lá tb comecei a fazer shows como drag queem, ganhava bastante, vivia gastando meu dinheiro com festas e drogas. Mas Rafael começou a mudar comigo, começamos a discutir muito, ele me agredia bastante. Foi então q o larguei e fui morar sózinho. Conheci, outra drag queem com quem comecei a ter um caso, terminamos qd ele quis q eu virasse o ativo. A minha vida sem Rafael não tinha mais tanto conforto, moráva na São Paulo capital, não andava mais de carro, as ruas eram perigosas, principalmente pra nós homossexuais, ainda mais agora q eu já não podia andar mais na segurança do carro de Rafael. Tinha de pegar os metros e andar a pé sempre em bandos d 5, 7, dez travestis quando saíamos da boate em q fazia apresentações como drag. Já apanhei de skeenrads e já bati em muitos tb, nesse tempo, acabei entrando nas aulas de kung fu artístico, lá tb eu aprendi a me defender. Tinha muitos relacionamentos q duravam menos d semanas, já bati em mulheres por puro ciúme tb só delas olharem pra o homem q pretendia ter. Eu não era uma boa pessoa. Tudo estava indo bem, mas de repente entrei num confusão por causa de drogas, poderia ser preso e pra minha infelicidade estava nas mãos de quem mais detestava, Rafael, meu primeiro namorado. Ele tinha filmado eu distrinuindo êxtase numa rave e tinha fita q pretendia mostrar a polícia se caso eu não ficasse com ele. Foi nesse tempo q estive com ele q eu tive de usar meus dons pra sair de suas mãos, acabei conseguindo a fita, junto com um comparsa roubei e vendi o carro dele pra um traficante, q me rendeu bastante dinheiro, 40mil reais q dividi meio a meio com meu comparsa, o carro devia valer uns 80 mil, mas precisava de dinheiro rápido. Na mesma noite eu me mandei de lá, fui pra Brasília, pra mim lá seria o ultimo lugar q ele me procuraria, pois sabia q eu não seria burro pra voltar pro luar onde nos conhecemos, pelo menos foi isso q coloquei na mente dele. Mas não pretendia ficar lá muito tempo, mas um dia eu me vingaria daquele desgraçado q me humilhou tanto. Lá em Brasília fui morar com Carlota, um travesti dono d prostíbulo. Fazia muito tempo q eu não conversava com minha mãe, nessa época já ia completar 15 anos, ainda tinha o telefone de casa, liguei pra lá e por minha surpresa, minha mãe q atendeu. Disse q eu devia voltar, pq sentia saudades de mim e q meu pai se arrependia muito do q fez e q queria me ver, pois estava com câncer de próstota. Falei pra ela q iria no ano seguinte, nisso já era véspera de final de ano. Foi antes de ir q me aconteceu uma coisa muito extraordinária, conheci um homem q me chamou pra entrar num seita secreta, q tinha o nome de A Despertação, eu seria iniciado e conheceria uma personalidade famosa q era quem cordenava a seita, Paulo Coelho, isso mesmo. Paulo Coelho, ele me deu algumas instruções. Foi nessa iniciação onde tive uma grande revelação. Foi nesse encontro com Paulo Coelho q eu tive minha primeira visão do futuro, como foi q aconteceu? Éramos 8 reunidos em volta de um circulo, estávamos metade com túnicas brancas e outra metade com túnicas pretas, e no centro estava Paulo Coelho com uma túnica cinza. Paulo Coelho começou a citar umas palavras numa língua estranha, falou pra q nós fechássemos os olhos e repetíssemos o q ele falava tb, disse q teríamos visões do nosso passado e do nosso futuro e q nós não estávamos ali por acaso. Tínhamos sido escolhido pra uma grande missão q poderia afetar drásticamente o mundo se falhássemos. As visões q eu tive pareciam bem reais, entrei numa espécie de tranze e voltei no passado, era o ano de 1675, Alemanha, no passado eu era uma mulher, pertencia a uma seita secreta de assacinos e tínhamos um mestre q já tinha mais de 100 anos, o nosso mestre era homossexual, mas era lindo, uma beleza q o deixava com uma aparência de 20 anos, nós não sabíamos como conseguia ficar tão jovem. Nosso mestre nos ensinava as artes da magia negra e da magia branca, nos ensinava também a arte de matar, tinha aprendido muitas técnicas d luta com sábios do oriente. Seu rosto era andrógino, seus cabelos batiam no pescoço e eram lisos. Seu corpo era magro, mas rígido e tinha 1.80cm. Nós lutávamos contra o cristianismo, contra o islamismo e contra o judaísmo, nossa seita já existia a séculos, foram por causa de nós q essas 3 religiões entravam em guerra, nós tínhamos como objetivo fazer com q os lideres dessas 3 religiões guerreassem entre si pra se acabarem até o dia em q seus fiéis não os seguissem mais. Pois nosso mestre tinha recebido a revelação d q os futuros líderes dessas religiões trariam o mal pra humanidade no futuro, tínhamos de conter q essas religiões ganhassem fiéis, era isso q fazíamos, intriga entre essas religiões, nós assacinávamos 0s seus líderes e os fazíamos pensar q eram eles mesmos q estavam matando seus líderes. Nossa seita tinha cada vez mais adeptos, estávamos espalhados pela Europa, pelo oriente médio e por parte da África. Comecei então a me apaixonar pelo meu mestre, eu era uma linda loira nessa vida e tinha os olhos azuis, de naturalidade franceza. Acabei tendo um caso com esse meu mestre, q também começou a se apaixonar por mim, começamos então a ter um caso. Mas um dia nossa seita foi descoberta pela Igreja Católica, eles começaram a nos eliminar um por um, nossa seita foi sendo destruída. E o pior, meu mestre achava q a culpa era minha, ele tinha razão, pois eu acabei entregando pra Igreja a nossa seita por causa de um descuido. Foi numa noite numa floresta iluminada pela lua cheia onde começava a nevar q nos encontramos pra uma batalha em q apenas um de nós iria sair vivo. Empunhamos nossas espadas, fazia 10 anos q não via meu mestre, a seita tinha se dividido pra sobreviver. Qd o encontrei estava com a aparência diferente, parecia agora ter uns 40 anos, ainda era bonito, mas agora usava com seus cabelos grandes uma barba e seu corpo era forte e musculoso, tinha um aparência máscula, revelou pra mim, q só permanecera jovem por mais de 300 anos pq era homosexual, mas q no dia em q se envolvesse com uma mulher, a desgraça caíria sobre ele e q cada dez anos de sua vida seria como se 20 anos tivesse se passado e q perderia todos seus poderes mágicos, só me matando q ele poderia se livrar de parte da maldição, no caso ele poderia recuperar seus poderes mágicos, mas não sua imortalidade. Começamos então uma batalha mortal, nós mostrávamos um pra o outro todas nossas habilidades, nas artes da luta, mesmo eu estando com a vantagem de poder usar a magia contra ele conseguiu me vencer com suas habilidade de guerreiro. Mesmo estando muito ferido, ele conseguiu arremessar sua espada contra meu peito, foi certeiro no coração, já estava muito feria pra poder lutar tb, caí no chão e vi meu mestre olhando arrependido pra mim tb. Foi então q disse suas ultimas palavras. “Não devia ter feito isso, pois a amo. Daria minha vida por vc pra q possamos nos encontrar nos mundo dos mortos e nas próxima vidas.” Ele chorando, olhou pra mim, pegou uma adaga q tinha consigo, enfiou-a debaixo de sua costela e em seguida a moveu dentro de seu corpo pra chegar ao seu coração. Morreu lentamente e com muita, dor, eu antes de morrer, o vi morrendo mas ostentando um sorriso em sua boca, logo eu tb morri, sorrindo. Depois tive outras visões d todas as vidas q viveria com ele, a ultima visão era minha vida hoje. Eu me encontrava novamente com ele, mas ele me rejeitava. Mas nessa mesma visão, algum tempo depois ele estava comigo e nessa visão nós tranzávamos e tudo entre nós terminava. E quando isso acontecia, eu o via se transformando num homem q era o contrário daquele q conhecia, se tornava frio, sanguinário e malévolo. Era ele q tornava a vida das pessoas um inferno se caso não agissem como ele queria. Ouvi a vós d Paulo Coelho, q falou pra nós abrirmos os olhos e nos disse pra não nos espantarmos com o nevoeiro q estaria em volta d nós, eu nem tinha acreditado nisso quando ouvi, mas quando abri os olhos... Em volta do circulo havia um nevoeiro branco, nele brilhavam fagulhas de energia d cor azul e vermelha! Mas como isso surgiu? Estávamos dentro de um lugar fechado? Qd olhei pra Paulo Coelho, seus olhos tinham um brilho de uma luz, ofuscante. O nevoeiro foi desaparescendo. Logo depois da seção, Paulo Coelho me procuro no salão pra conversarmos. Ele então começou a me dizer toda a visão q eu tive durante o tranze e ainda me disse coisas sobre minha vida, detalhes q poucas pessoas sabiam a meu respeito. Fiquei espantado, mas o q mais me espantou, foi o q ele disse sobre o homem q apareceu nas minhas visões, era minha alma gêmea e era meu protegido. Era ele tb q poderia causar um grande mal a humanidade, se caso seu corpo conhecesse o homossexualismo, disse q se caso acontecesse uma relação entre nós dois despertaria dentro dele uma mal inominável q iria tomar conta de sua alma generosa e boa aos poucos até torna-lo o algoz da humanidade, seria o anti-cristo q todos cristãos esperavam um dia chegar e destruir a humanidade! Era o grande amor de minha vida, com ele passaria por um teste. Veja, mas não toque, toque, mais não prove, prove, mas não engula! Essas foram as palavras q ele me disse, logo ele me entregou um frasco q continha um olho sagrado q vinha de Jerusalém, me ensinou um ritual d proteção, no qual eu deveria fazer com ele. Sai de lá um pouco cético, não acreditava em amor, nunca senti amor nem nos sexo e nem sem ele, nunca tive uma demonstração de carinho e nunca amei alguém de verdade, muitos homens passaram pela minha vida, pq alguém q eu não encontrei seria minha alma gêmea? Não acreditava nisso. Tive outros encontro com Paulo Coelho, cerca de mais 4, 5 no total desde o primeiro ritual. Ele me ensinou muitas coisas e me dizia muitas palavras sábias. Bem... Chegou o dia q voltaria pra minha casa. Mas antes deu ir, no meu ultimo encontro com Paulo Coelho, ele me disse q eu iria ter revelações q me eram escondidas e q meu grande amor me ensinaria muitas coisas q precisava aprender e seria a chave pra meu auto-conhecimento. Já era janeiro d 2002 qd cheguei na minha cidade natal, voltei de Brasília com muito dinheiro q acabei acumulando em minha conta com minhas trapaças e com meu esforço no trabalho, um dia pretendia usar esse dinheiro pra alguma coisa especial. Mas uma da intenções q tinha com ele, primeiramente era usar pra minha operção de mudança de sexo.

Part.2(O encontro com a alma gêmea)

Qd cheguei na rodoviária fui recebido pela minha mãe, q me levou pra casa, me falou do meu pai, ele já estava de alta, ainda espantou com minha aparência q estava mais andrógina do antes, pois comecei a tomar hormônios femininos no começo do ano, tomava hormônios sem receita médica, mas eram hormônios fracos pelo q ouvi dizer, ostentava um cabelo q batia na metade das minhas costas, q tinha reflexos e era pintado com mexas cor de rosa, eu tinha me tornado adepto do movimento Clubber fazia um ano e meio já, minhas roupas eram espalhafatosas e faziam q todos olhassem pra mim. Recomecei minha vida de novo, voltei a estudar, fui pra uma escola particular em q faria os dois anos q perdi em um, seria 4 nos q pretendia fazer em 2. Na escola eu era muito conhecido por todos, homens e mulheres me temiam, pq eu era muito brigão, não havia um q topasse me enfrentar, pois sabiam q iriam sair bem machucados, no começo tive de dar uma surra em 5 otários preconceituosos, foi interessante mostrar isso pra metade da escola q me via surrando sem dó 5 idiotas aparentemente mais fortes do q eu. Acabei ficando rodeado de falsos amigos, amizade, essa palavra não existia pra mim, classificava as pessoas como as q vc não pode confiar, como as q vc podia confiar um poço e como as menos confiáveis. Ia nas boates, arranjava muitos namorados, usava muitas drogas ainda, não seguia aquilo q Paulo Coelho me disse. Acabou q meu pai se recuperou bem, me tratava secamente mais me tolerava em sua casa. Estive uma surpresa indesejada qd teve uma festa de amigos, encontrei com Roger, aliás, com seu irmão gêmeo, Everson. Acabamos tranzando naquela noite. Mas a outra surpresa q tive foi depois, foi numa festa de família semana seguinte. E quem poderia estar lá q eu menos desejaria, Roger e Éversom, minha mãe chegou perto de mim e me apresentou os dois e mais outros dois q estavam com eles. Eram meus meio irmãos! Ambos ficamos espantados, os 4 eram filhos d meu pai num casamento anterior ao da minha mãe. Depois da festa contei pra minha mãe como eu tinha conhecido meus meio irmãos, ela riu muito e me disse q eles moravam juntos numa casa, tinham se mudado pra lá um dia antes deu ter tentado suicídio. Outra coisa q descobri sobre eles, uma curiosidade da minha família, além d Roger e Éversom serem homossexuais, meus outros meio irmãos, Paulo e Ricardo eram bissexuais. É... Parece q isso era de família, estava nos genes, será q meu pai tb já passou por uma faze de homossexualismo? Será q ele era um homossexual reprimido? Bem... Não sei... Mas mudando de assunto, minha outra família era bem diversificada, parece q depois q eu assumi pros meus pais e fugi de casa, meus irmão tb assumiram e alguma primas tb assumiram ser homossexuais, tínhamos muitos homossexuais e bissexuais na minha família. D quem será q herdamos esses genes q a sociedade tanto odiava? Não tenho a menor idéia, conheci outros irmão da minha outra família, eram seis no total, Além de Roger, Everson,Paulo e Ricardo, tinha tb o Rodrigo e o Marcelo, esses não eram homossexuais, Rodrigo era um metaleiro q odiava seus irmãos e os odiava principalmente por serem homossexuais. Marcelo não morava em Brasília e era newnazista pelo q eu ouvi dizer. Não me dava bem com Éverson e nem com Rodrigo, não podia ver nenhum dos dois na rua q acabávamos brigando. Era assim a maioria dos nossos encontros e geralmente eu apanhava, pois eles brigavam muito bem! Eu tinha outro irmão tb, só q esse era irmão por parte de pai e d mãe. Era o Murilo, ele era muito legal, mais novo q eu 2 anos, mas era muito inteligente e muito maduro, não era preconceituoso, curtia muito as coisas q homossexuais curtiam, as músicas eletrônicas, as festas a forma d pensarem, tinha tudo d gay, só não tinha o gosto por homens, esse era mais um q se safou do nosso gene defeituoso. O ano foi passando, acabei não tulerando mais ficar em casa, pq meu pai me tratava mal e minha família tb, q na sua maioria eram parentes evangélicos q nos desrespeitavam e nos odiavam e odiavam principalmente a mim! Pois era o gay mais afeminado da família. Fui pra Uberlândia, lá comecei a trabalhar como cabeleiro e fazia shows como drag na Révam, uma boate GLS. Não foi muito diferente de Brasília, homens q passavam por minha vida e iam, brigas em q eu geralmente surrava idiotas, drogas e é claro, muito dinheiro sujo. Chegou 2004, ainda mantinha contato com minha mãe, foi aí q ela me implorou pra voltar e q ela tinha uma coisa pra me contar q queria cantar já fazia muito tempo. Voltei pra minha cidade, lá fui recebido por uma festa de amigos gays, q me embebedaram e raparam todo meu cabelo até me deixarem careca, esse trote q eles me aplicaram lhes renderam algumas costelas e dentes quebrados no dia seguinte em q eu os encontrei e eu tive d usar um cabelo curto por muito tempo, mas ainda assim era bastante andrógino, meu corpo era d homem, mas ainda assim meu rosto era de uma mulher. Mas voltando ao assunto, qd me encontrei com minha mãe ela me disse a verdade sobre minha vida, uma coisa q não queria ouvir. No meu nascimento, eu tinha nascido hemafrodíta. Os médicos indentificaram em mim falta de hormônios masculinos e femininos, eu cresceria como um adrógino, não seria mulher, pois meus hormônios eram insuficientes pra me dar seios e nem seria homem, pq meus hormônios não me dariam pêlos pelo corpo. Desde criança eles me davam um remédio q eu não sabia pra era, esse remédio eram hormônios masculinos, q aos poucos me tornavam menos andrógino e mais homem. Não surtiam muito efeito, mas nessa idade minha voz pelo menos não era afeminada. Um outro detalhe importante, é q eles poderiam escolher se eu poderia crescer como mulher ou como homem, meu pai impo a minha mãe q eu virasse homem. Logo eles arrancaram o meu útero e fecharam meu canal vaginal. Foi assim q passei a entender pq eu tinha uma cicatriz estranha de baixo do meu saco e pq meu pênis era pequeno... Bem q eu nunca gostei de meu pênis, minha mãe me fez jurar pra nunca contasse isso pro meu pai. Fiquei muito triste ao saber disso. Em 2004 fiquei metade do ano estudando e morando com meus pais, fiz um ano na metade desse ano. Acabei não gostando d conviver com meus pais e fui morar sósinho numa penção, arranjei um namorado bissexual q geralmente acabava batendo em suas parceiras ocasionais, só não tocava na sua namorada, ele usava duas máscaras, pra família e pra alguns amigos ele era hétero, pra outros ele era homossexual e pra os mais confiáveis ele era bissexual. Numa noite em q eu dormia tranqüilo no meu quarto, tive um sonho esquisito, mas muito bom, um espírito de luz e andrógino chegava nos meus sonho e me chamava. Esse espírito era nu, seus cabelos passavam dos seus pés e ele levitava no ar, seus cabelos eram formados por um fogo azul q não tocavam o chão, seus olhos brilhavam e ele tinha um rosto lindo e angelical. E se assemelhava muito com o rosto do meu mestre q eu tive nas minhas visões, não tinha sexo e nem seios, mas seu corpo era branco como a neve, era magro, com os músculos pouco definidos mais rígidos q emitia uma luz intenssa, seus olhos tinham o brilho do ouro, era a figura mais linda q eu tinha visto. Ele me chamava com suas mãos, no sonho eu era uma mulher andrógina como ele, só q rinha seios e ia a seu encontro. Qd tocamos nossas mãos no sonho, eu acordei, nisso vi em volta de mim muitas fagulhas d energia da cor azul. Olhei no meu celular já era quase 6 da manhã, logo tomei meu café e s 7 e 30 fui pro salão trabalhar. Mas foi voltando do salão q eu tive uma surpresa, já era final d julho d 2004. Foi qd passando pelo Banco do Brasil q eu vi aquele jovem belo, aquele q esteve nas minhas visões e cujo rosto se assemelhava muito com o rosto do espírito do meu sonho na noite anterior. Só q ele ostentava apenas no queixo um cavanhaque q lhe dava um certo charme e masculinidade a seu rosto andrógino, andava desleixado, seus cabelos batiam no pescoço e estavam despenteados, usava calças desbotadas, camisa de escola e sandalhas d coro. Eu o segui, vi q ele entrava numa pensão q ficava no centro. No outro dia já fui procurar aquela pensão com a intenssão d morar lá. Fui atendido pro um homem velho. Combinamos um preço, no outro dia já me mudei pra, lhe andiantei 50 reais, peguei minhas coisas e as levei pra lá num sábado, chegando na pensão, eu vi aquele homem belo dos meus sonhos. Comecei a puxar conversa, perguntei seu nome, ele disse se chamar Rófeu(Pseudônimo meu nessa história.), era filho do velho da pensão, tinha 19 anos. Conheci sua família toda, uma mãe católica praticante, um pai católico não praticante, um irmão mais novo q ele um ano q fazia engenharia na UFU, um outro d 13 anos q tinha problemas mentais, mais tarde vim a descobrir q ninguém daquela família era normal. Lewd, o irmão do meio era muito alto e magro, ostentava uma barba no rosto q lhe dava a impressão d psicopata, Ângelo tinha 13 anos mas agia como uma criança d 7 anos e Rófeu, era misterioso pra mim, sério e sereno, conversava pouco comigo, nunca puxava converssa comigo, mas sempre era gentil, seu outroi irmão do meio mal me respondia. Rófeu já tinha se formado no segundo grau, mas não pretendia prestar vestibular. O pai dele Orfeu, tinha 54 anos, era bem humorado mas as vezes muito seco e severo com seus filhos, sua mãe, Mara, era muito carinhosa com seus filhos e tinha 38 anos. Na primeira noite q durmi lá tive um sonho estranho, Rófeu entrava no meu quarto e me possuía, nesse sonho homoerótico ele se mostrava inssaciável e me desjava muito, parecia um demônio q baforava no meu pescoço qd me penetrava por trás. Qd acordei fui vê-lo na portaria, ficava escondido dele, o vendo d costas mexendo no computador da portaria no qual passava madrugadas inteiras na frente da internet, eu passei a observa-lo escondido todas as madrugadas q acordava. Comecei a dar em ciam dele, mas ele sempre me negava. Rófeu e eu começamos a fazer troca de favores uns pra os outros não confiávamos um no outro, ele sabia qual era minhas intenções com ele mas retribuía bem as mulheres q arranjava pra ele, saía comigo as vezes sem compromisso nenhum pra ir no cinema ou em casa de amigos meu gays e d parentes q gostava d visitar e principalmente, me ouvia, era um homem perfeito me ensinava muitas coisas. Mas não tinha dele o q mais queria, q era seu corpo, passei a entrar em sua mente enquanto ele dormia, tentava incutir nela q ele me desejase, mas sem resultado, ele sempre me dispensava e não se mostrava nenhum pouco interessado por mim, mas me repugnava cada vez mais qd tentava me aproximar mais intimamente. Não intendia isso, pq nos sonhos q começava a ter com ele, ele se mostrava cada vez mais desejando meu corpo? Sua mente era uma coisa espantosa, era aterrorizante e ao mesmo tempo tinha uma paz utópica. Ele vivia um conflito interno muito estranho, mas o q mais me impressionou foi um casulo cinza dentro de sua mente q descobri numa dessas seções q entrava em sua mente tentando incutir coisas nela. Uma vez, fazendo quase 1mês q morava na pensão da família dele, qd começamos a discutir por causa das minhas investidas em cima dele, cheguei a lhe dizer q ele estava quase ficando na palma d minha mão, ele fechou a cara pra mim e só disse pra mim tomar cuidado. Não sei pq, mas depois q disse isso, comecei a ter pesadelos com ele, nos pesadelos ele sempre me fazia sofrer d alguma forma e minha vida real começou a ficar d cabeça pra baixo, perdi meu emprego e as pessoas q me bajulavam, começaram a me hostilizar sem mais nem menos, tudo dava errado, até uma gripe eu peguei. E a enorme quantia q eu tinha no banco foi desaparescendo, mas isso era algo q eu podia evitar, não sei pq, derrepente apareceu um monte de gente pedindo minha ajuda e eu não conseguia negar-lhes, foi assim, até eu gastar praticamente todo meu dinheiro com pessoas q eu conheci nas minhas jornadas q agora precisavam da minha ajuda deseperadamente, q comecei a melhorar, não entendia como eles conseguiam me achar, mas achavam. Teve um dia q ele chegou pra mim e me disse pra não entrar mais na sua mente, pois eu poderia descobrir algo q poderia destruí-lo. Me perguntei como ele sabia q estava entrando na mente dele? Até aí não sabia q ele era envolvido tb com as artes da magia como deduzi nesse dia, pois só assim ele poderia saber q eu entrava em sua mente qd dormia, disse pra mim q não adiantaria eu tentar incutir coisas em sua cabeça pq ele tinha sua proteção Lhe contei sobre o casulo q ele tinha dentro de si, no mesmo instante ele me advertiu seriamente pra q nem sonhasse ver o q tinha lá dentro e estava furioso comigo, não conversou comigo dia inteiro. O casulo q descobri, era do tamanho d um prédio d 3 andares, tentei várias vezes chegar peto dele em outras seções anteriores pra ver o q tinha dentro dele, mas tinha medo, qd cheguei perto desse casulo e tentei ver o q tinha dentro dele, saiu de lá um demônio negro, com olhos vermelhos, o q mais me espantou era q esse demônio tinha o rosto d Rófeu, nisso imediatamente o casulo ficou quase tão branco como a neve. E reparando no demônio, seu rosto q me espantou, era um rosto negro e seus olhos vermelhos brilhavam soltando uma névoa estranha em sua volta, tinha mais d dois metros, estava nu, seu corpo era musculoso e tinha não um só pênis, mas 9 tentáculos penianos como naqueles filmes de monstros em desenhos japoneses. Seus pés davam lugar a garras de morcego, seus ante-braços tinham espadas de oço grudadas q eram do tamanho d 1metro, tinha asas de morcego e cabelos grandes q tb passavam d seus pés, mas pra seu cabelo não tocar no chão, fazia um formato de “V” e as pontas dele ficavam pra cima soltando um fogo vermelho escuro, essa era a cor de seus cabelos. Sem falar q tinha 3 chifres no rosto, um no meio da testa e outros dois, um d cada lado da testa, q tinham mais d 30cm e faziam uma curva pra cima. Era algo aterrorizante! Outra peculiaridade, é q ele estava em volto de uma aura negra q mantinha um cordão de energia negra com qual se conectava ao casulo. Aqueles tentáculos aumentaram seu tamanho e vieram em minha direção e já começando a se enrrolar no meu corpo, mas nesse mesmo momento, apareceu aquele espírito d luz andrógino q tinha visto no meu sonho, q tb era conectado no casulo por um cordão de energia da cor de uma luz branca. Qd saiu do casulo, o casulo ficou meio transparente. O espírito d luz fez espadas d luz surgirem de suas mãos e atacou desprevinido o demônio, imediatamente o demônio me soltou! Logo ele pegou o demônio e o puxou pra dentro do casulo, q voltou a ter a cor cinza de novo. Nunca mais eu entrei na mente dele de novo. No outro dia em q converssamos, ele me procurou e disse as seguintes palavras: “Espero q vc tenha aprendido a não enfiar o nariz onde não deve” Me lembro dessas palavras como se fossem ontem. Já tinha terminado o mês e eu disse pra ele q iria me mudar d lá ia voltar pra casa dos meus pais, algo q ele me aconselhava muito e q eu estava pensando em fazer, nós já tínhamos voltado a converssar e sair normalmente, ficamos muito amigos nessa ultima semana q estive lá, amigos d verdade, algo q eu nunca tive, prometi a ele q pagaria primeiro a seu pai antes d ir. E eu lhe perguntei d brincadeira, qual seria o dia em q ficaríamos juntos, foi qd ele me disse q só ficaria comigo qd me tornasse uma Roberta Close da vida, ou seja, qd eu me livrasse de meu pênis, contei a ele q já tinha essa pretensão, ele me disse q poderia procura-lo. Logo mudou d assunto e ele me perguntou: “Está com falta de dinheiro na conta? Não se preucupe, pelo menos vc ajudou muitas pessoas.” Mas como ele sabia disso!? Nesse dia eu descobri q ele estava envolvido com aquilo q estava acontecendo comigo, ele nem precisou d me falar, pois já tinha sentido essa verdade nele, seu olhar me dizia tudo. Antes de ir, faltando 5 dias pra voltar pra casa d meus pais, resolvi chamar alguns amigos gays meus pra fazermos um bota fora na pensão, q tinha uma área de lazer com piscina e estacionamento e antes d começar a festa. Nesse dia aconteceu algo espantoso... Foi qd o chamei pra ir participar da festa, ele foi contra vontade, pois estava deprimido no dia. Ele dizia:”Não, não quero ir...” ele estava bêbado, eu e ele tínhamos tomado muito vinho enquanto converssavámos. Foi pro quarto e começou a durmir, não conseguuia fiucar sem o Rófeu na festa, passou-se meia hora e o acordei, insisti q isisti e ele por cauasa de sua generosidade foi pra lá. Ficou sentado num canto, tomando cerveja e convessando poço com a gente, até q se deitou na rede e desmaiou, pois já tinha bebido muito dessa vez. Mas qd acordou e se levantou rapidamente, o ambiente ficou pesado no lugar, olhou pra um amigo meu e pediu a revista q ele lia. Só q tinha um porém, seu pedido souou como uma ordem, meu amigo lhe deu logo, mas não era isso q o espantava, mas sim seus olhos q estavam completamentes vermelhos como o sangue e com a pupila toda dilatada e negra como o carvão q emitiam um brilho sinistro. Mas tinha algo mais aterrorizante q isso, eu via em volta dele uma áurea negra q tomava conta d todo lugar, todos tb viam, mas não sabiam dizer o q era aquilo, estavam todos com muito medo e se afastaram dele, não queriam ficar sentado perto de jeito nenhum, nem eu mesmo me atrevi chegar perto. O mais estranho é q ele parecia ler a revista normalmente e ria sósinho. Os seus riso! Seus risos q pareciam mais grunhidos d uma fera demoníaca, qd o ouvíamos rir, um arrepio subia pelas nossas espinhas. Ele falava uma língua estranha olhando pra nós, uma língua demoníaca com uma voz demoníaca, parecia estar possuído, todos estavam tremendo d medo. O medo tomou conta mesmo qd ele se levantou da rede, todo mundo se borrou d medo e entrou em pânico, inclusive eu ao ver aquela figura sinistra de um homem com os olhos vermelhos q emitiam um brilho sinistro no lugar q já estava com a luz fraca. Pensamos q ele ia começar a nos atacar, foi qd ele sorrindo... Era um sorriso sinistro, deu uma risadinha macabra e disse as palavras q soaram sínicas pra gente: “Bem pessoal... Vou dormir agora, boa noite e boa festa. Não façam muito barulho por causa dos hospedes e dos vizinhos. Até mais.” Todos disseram até mais tb e ele depois q disse isso saiu da área de lazer andando numa velocidade incrível q parecia mais estar correndo como um guepardo e atrás dele ficava áurea negra e uma sombra demoníaca sinistra. Todos se aliviaram, pois pensavam estar correndo perigo perto d um pisicopata.
No outro dia era sábado, ele acordou as duas da tarde, mesmo tendo ido dormir as 11 da noite. Sua ressaca era forte, perguntei a ele pq ele agia estranho, aúnica coisa q ele me disse q fez foi q bebeu, deitou na rede e depois pediu uma revista pra ler e ficou rindo das matérias fez um comentário em voz alta pra todos ouvirem, q nem se lembrava mais o q era, se sentiu intediado e foi durmir. Contei pra ele o q tinha acontecido, ele ficou espantado! Não tinha consciência do q fazia, mas me revelou o q acontecia com ele. Ele disse q a anos tentava conter dentro d si seu lado negro, q era sua segunda personalidade e nas raras vezes q ele não conseguiu conter sua personalidade má, ele fez muito estrago q inclusive lhe atrapalhou sua vida, me contou tb sobre sua personalidade boa, q qd era despertada fazia milagres q eram difíceis d acreditar, coisas como desde uma oração pra curar pessoas, ler mentes, ,prever o futuro, falar com animais e outros mais simples e outros, até os mais espantosos, como correr mais q um carro a 70 km/h, pular uma altura q era o dobro da sua e até d ressucitar pássaros e outras proezas mentais e físicas, coisas q tb eram possíveis pra sua personalidade má q geralmente fazia usando o mal. Assim como sua personalidade má, foram raras vezes q despertou sua personalidade boa por completo tb. Na maior parte das vezes elas viam, eram dois espíritos a mais no seu corpo q tomavam conta dele qd era necessário ou qd ele estava com muita raiva ou triste. Qd um desses espíritos tomava conta por completo d seu corpo ele não perdia a consciência, mas não era ele q comandava mais suas ações sim os espíritos, mesmo q na sua mente ele tentasse constestar o q eles queriam fazer, eram eles q tomavam as decisões qd tomavam conta, mas nas vezes q eles não se manifestavam por completo em seu corpo, simplesmente davam parte d seu poder pra q ele realiza-se algumas das proezas mais fáceis q não exigiam deles tomar conta do seu corpo. Os dois espíritos então começaram a ter uma batalha interna muito intenssa dentro dele e isso estava o levando a loucura, um deles queria tomar conta do seu corpo, getralmente seus espíritos agiam sem q ele soubesse qd dormia. Isso explica os pesadelos q eu tinha com Rófeu e os sonhos bons q tinha com ele.

Part..3(A violação)

Já era o último dia q ia ficar na penssão, me despedi d Rófeu, lhe dei um abraço e saí chorando d lá d felicidade, antes d ir disse q mesmo não tendo com ele sexo, mesmo não sendo seu namorado, disse q graças a ele eu conheci o amor e amizade verdadeira. Foi então q eu ouvi essas palavras sábias: “Procuro amar a todos. E essa foi a forma d demosntrar meu amor por vc Lindomar.” Foi uma noite feliz q tive com ele, tive muito sonhos com ele em q estavamos juntos como marido e mulher. Passei a acreditar q um dia ficaríamos juntos assim q eu fizesse a operação, ele me prometeu q estaria comigo no dia q ela acontecesse e me daria o maior apoio. Nos encontramos d novo outras vezes, já ia fazer quas 1 mês e meio q nos conhecíamos. Mas foi num dia em q saímos pra ir num clube, q uma amiga minha se interessou por ele, logo eu a apresentei a ele, os dois se beijaram no clube. Ele me agradeceu depois qd viu q eu tinha lhe apresentado minha amiga, pela primeira vez fiz isso a ele sem esperar algo em troca. Foi qd disse a ele, q já q ele não se sentiria bem me beijando, eu preferiria o ver feliz com beijando outras pessoas q fossem do sexo oposto ao dele, já q isso o faria feliz. Ele se sencibilizou tanto q disse essas palavras q me marcaram pra sempre: “Isso sim é uma prova de um verdadeiro amor. Querer a felicidade do outro antes da sua” Nesse mesmo dia ele me prometeu um q me daria um beijo assim q ele pedisse. Pensei a tarde toda a respeito, a noite saímos, jogamos sinuca, qd voltamos pra pensão a noite, lhe perguntei mesmo se queria comprir o q me prometeu, ele disse q assim q eu quisesse. E foi assim q se sucedeu, eu pedi o beijo, ele me deu. Esse foi o melhor beijo da minha, vida, senti um sentimento bom naquilo. Foi um sentimento q me deu tantas forças q eu aproveitei pra rançar dele aquele espírito maligno. Nessa noite lhe disse q o amava tanto, q daria minha vida pela dele. Foi o q fiz, uma semana depois começamos a namorar, ele ainda pretendia contar a seus pais, q no começo não me viam com bons olhos mas agora já passavam a me ver como uma boa pessoa, a boa pessoa q ele me transformou. Eu estava amando alguém d verdade e sendo correspondido, me sentia feliz por isso, não fazíamos sexo, mas comecei a ficar estranho, aquela coisa q tomei dele começou a tomar conta d mim. E me falava pra q eu tirasse a pureza q ainda lhe restava do seu corpo, apesar dele não ser virgem, nunca fez sexo com outro homem. Eu tentava controlá-la, mas já não conseguia, com ela passei a ter poderes extraodinários e os meus antigos poderes ficavam mais fortes, logo Rófeu notou q algo estava falatando nele, eu acabei lhe dizendo o q tinha tirado dele. Ele ficou deseperado, pois aquilos não era responsabilidade minha e somente ele conseguia domina-lo, ele o queria de volta. Eu disse pra ele q não havia como devolver, mas eu sabia como eu podia devolver, mas não seria bom eu fazer isso, só ele profanando seu corpo q o teria d volta. Ele insistiu pra q procurássemos uma forma. No dia seguinte o procurei em sua casa, só q dessa vez não fui bem recebido, seus pais haviam descoberto o q havia entre nós pela boca d outras pessoas q pra piorar mancharam minha imagem pra eles falando d erros q cometi no passado. Seu pai estava muito bravo, me expulsou d lá me humilhando, fui pra, casa chegando lá, pensava em me suicidar, essa seria a única maneira d impedir q esse espírito maligno tomasse conta de mim e corrompesse o corpo d meu amado. Pensei o q poderia acontecer se o espírito saísse de mim e possuísse outra pessoa pra depois corromper Rófeu, preferiria isso ao vê-lo ser conrrompido, sabia q o espírito dentro d mim tinha se fortalecido e q se ele voltasse pra Rófeu o dominaria. Mas o pior acabou acontecendo, Rófeu me encontrou em casa, ele sabia onde era pois já tinha me vistado várias vezes e almoçado lá com minha família, q depois q começamos a namorar comecei a me dar muito bem com eles. Qd chegou em casa, eu estava sósinho, foi então q converssamos, nos beijamos e ele sentiu uma forte atração por mim, foi então q aconteceu o q não devia acontecer. No sexo ele se mostrou tão inssaciavel como no sonhos, foram vária ejaculações, fiz tudo q um passivo podia fazer e ele tudo q um ativo poderia fazer, nunca tinha tranzado com tanta selvageria, ninguém tinha sido tão vigoroso qt ele, mas eu já não tinha mais aquele espírito maligno comigo, mas agora já podia esperar as conseqüências, q seriam as piores . Fiquei, sabendo uma semana depois q nos encontramos q ele tinha brigado com os pai, mas mesmo assim eles ainda continuavam o aceitando em casa e aceitavam nosso relacionamento, apesar d não aprová-lo. Continuamos a nos encontrar, mas eu não ia em sua casa, na maioria das vezes q tranzamos, era na minha casa e raramente na pensão, qd os pais não estavam em casa, eu não o impedia, pois eu e ele gostávamos, tínhamos muito prazer nessas seções d sexo. Aparentemente Rófeu estava bem, eu nem queria pensar sobre o espírito q estava com ele, quando eu perguntava sobre isso, ele dizia q tudo estava sobre controle. Mas algo me dizia q tinha alguma coisa errada, eu estava certo. Rófeu começou a ficar depressivo, ele não me contava pq motivo estava assim. Queria terminar comigo, mas antes d terminarmos, eu o chamei a minha casa, foi lá q eu fiz um ritual d proteção pra ele, peguei o óleo sagrado q Paulo Coelho me deu, passei nos meus lábios, dei um selim em sua boca e depois passei o resto do olho na sua testa e em seguida despejei o resto do conteúdo do frasquinho na sua cabeça, assim teria certeza d q o espírito maligno não lhe faria mal e q ele estaria bem e protegido dos perigos. Ele terminou comigo no meu aniverssário, tentava ligar pra ele, mas ele não atendia nunca o telefone ou o celular e não falava nem com seus amigos e eu não tinha coragem d ir na sua casa, depois nós perdemos o contato. Mais tarde vim a saber por conhecidos dele q ele tinha tentado suicídio e já q não conseguia se suicidar se envolvia em confusões no objetivo d morrer nelas. Seus pais acabaram o levando pra um pisiquiatra, depois ele mudou d cidade, ele foi pra outra cidade no final d ano, foi pra o norte do país. Eu me sentia culpado com tudo q estava acontecendo. Queria saber como ele estava, mas não tinha mais nenhum contato com ele, a não ser seu e-mail, toda vez q mandava pra ele, não recebia resposta e mesmo depois q eu continuei mandando, ele tinha abandonado sua conta q já tinha espirrado. Eu comecei a ficar depressivo tb com tudo aquilo, achei q ele tinha me esquecido, até cheguei a arranjar um namorado novo, mas não adiantava, a falta q Rófeu me fazia deixava um enorme vazio, logo terminei esse namoro. Até q chegou um dia, q eu olhando no meu e-mail, tinha na caixa d entrada uma mensagem dele. Fiquei ansioso pra saber o q tinha lá! Foi então q li a seguinte mensagem: “Nicolau, deixo aqui todos os meus sentimentos q não tive coragem d expressar a vc. O motivo deu ter ficado depressivo, foi uma série d fatos q me atormentavam. Estava feliz com vc, mas era uma felicidade incompleta, era um amor incompleto, era o amor q faltava no sexo. Não tinha nenhum sentimento, depois q tive minha primeira experiência com vc, experimentei outros homens, mas em nenhum senti sentimento no sexo, pois isso não é possível entre homosexuais. Eles podem se amar d verdade, mas nunca terão prazer e amor no sexo ao mesmo tempo, pois não é o natural. Pelo menos nos beijos q tivemos, alguns, o nosso primeiro em especial, eu podia sentir um sentimento d amor, ele me apaziguava a alma e me fazia sentir amado. Nunca fiz sexo com amor, nem com outras mulheres. O q mais me arrependo, é d ter feito sexo apenas por prazer com quem eu amava, d todas as mulheres q me amaram, vc mesmo sendo homem, me amou mais do q todas elas. Vc tinha tudo q procurava numa mulher, esxeto o corpo. Por isso q nunca deveria ter acontecido sexo entre a gente até o dia q vc se tornasse mulher. Tentei me suicidar tb pelo fato daquele ser estar me atormentando e quase me dominando, queria morrer pra evitar q isso acontecesse, mas ele não deixava eu me matar e nem os outros me matarem, todos q tentavam, sentiam um medo indescritível qd pretendiam virar meus algozes e iam embora. Eu sofri uma grave doença e tive d ser operado, fiquei 3 meses me recuperando, eu renasci d novo, não penso mais em me matar, agora já tenho o domínio sobre o espírito maligno. Ainda um dia pretendo t encontrar, espero t encontrar renascido d novo, se não nessa vida, q seja numa próxima. Se vc querer... Nessa vida ainda” Sabia o q ele queria dizer com renascer nessa vida, era a operação q tinha d fazer, mas não sei se chegaria a faze-la. Pois já tinha desistido disso, eu tinha parado d tomar os hormônios, pois eles estavam me fazendo mal e mesmo se quisesse, não tinha dineheiro pra isso agora. Havia muita burocracia pra isso, não era simplesmente vc chegar numa clínica e eles fazerem a operação, vc tinha q tomar hormônios por no mínimo 3 anos em q vc teria de se consultar com um pisiquiatra pelo meno uma vez por semana pra vc fazer a cirurgia depois, a cirurgia era o mais barato, hoje a medicina evoluiu tanto q poderia se fazer uma vagina perfeita no corpo d um homem, por apenas 7mil reais, sem falar q o SUS fazia d graça tb. Mas o tratamento pisiquiátrico e todo resto da burocracia, já t arrancava3 vezes mais q o preço da cirurgia, achar um pisiquiatra pelo SUS? Isso sim era difícil, tinha tb a opção d buscar uma universidade em q poderia entrar como voluntário pra cirurgia, muitos faziam assim, isso se eu tivesse a sorte d ser escolhido, pois as vagas eram muito disputadas e nem todos concluíam até o final. Achei isso um absurdo, um travesti pode colocar silicone nos seus seios sem precisar dessa burocracia toda. Acabava q o destino da maioria dos transexuais no Brasil, era desistir, assim como eu. Pra ele era essa a única forma d podermos nos amar por completo. Pior q ele tinha razão, mas eu não sei se seria bom voltarmos d novo, mesmo q um dia pudéssemos nos amar por completo. Mas se ele me amasse d verdade não se importaria com meu corpo, me aceitaria do jeito q eu era. Isso q me fazia se perguntar se valia a pena fazer isso por ele. Por um lado ele tinha razão, só eu sendo mulher poderíamos nos amar por completo. Amor foi algo q nunca senti numa relação sexual e nem ninguém sentiu por mim. Eu amo muito, mas não posso ficar com ele, me sentia culpada pelo q aconteceu, poderia ter evitado o q aconteceu e esperado o dia em q teria renascido, mas não esperei, era eu q não o amava d verdade, fui egoísta e escrava do prazer. Isso acabou o fazendo passar pelo q ele não devia, ele não precisava mais d mim, um dia arranjaria alguém q o amaria mais do q eu e q realmente merecesse ser correspondido pelo seu amor.

Part.4 A Ordem dos Guardiões

A ultima notícia q eu tive d vc foi, sobre a Nova ordem q vc criou. Chamada Ordem dos Guardiões. A ordem foi criada em Paragominas e seus ensinamentos se espalharam em todo Brasil antes do plesbicito sobre a proibição do desarmamento. Eis o q ensinava no papel q continha tudo sobre os Guardiões. Meus caros amigos do Brasil. Vcs já devem ter percebido q esse plesbicito sobre a comercialização d armas não vai resolver nada, nem votando sim e nem votando não. Pq? Vc se pergunta. Isso é óbvio. Pq pra se usar uma arma tem d se estar preparado pisicológicament pra usá-la nas horas d necessidad. Mas nem todos sabem qd é necessário usá-la. Mas como saber q vc está pronto pra usar uma arma pra se defender. Por nível. Se vc sabe se defender diálogando, vc está pronto pra se defender usando seu corpo,(ex:artes marciais) se sabe se defender usando o corpo, sabe se defender usando armas brancas(ex: bastão de madeira a espadas), se vc sabe se defender com armas brancas, vc está preparado pra usar armas d fogo. E se vc está sabe lidar com todas, vc deve se tornar um guardião, viver uma vida monástica desapegado dos bens materiais e ter como dever trazer a paz pra sociedade em q vive. O q quero dizer em ser guardião? Só estou querendo ressucitar os antigos templários nessa cidade. A ordem dos Guardiões. Uma entidade sem fins lucrativos em q trabalharemos pra proteger a sociedade e limpar toda sujeira nela. Uma entidade q aceitará pessoas d qualquer religião e etnia, tanto homens e mulheres. Lutaremos contra o crime, digamos q isso é uma forma d trazer a nova Santa Inquisição no Brasil. Vamos ferrar com ladrões d verdade q são os nossos líderes q elegemos e q colocamos pra nos governar. Por isso meus caros. Eu voto sim, pois votarmos não, vamos abrir as portas pra os EUA venderem armas pra gente e o Brasil vai virar a bosta dos EUA, já estamos virando cópias deles, pois estamos destruindo nosso bem mais precioso, q é a natureza. Digo a todos q pra fazer parte da Ordem dos Guardiões, é só seguir o q está na Bíblia, Mat5,6,7. E lembrar do q diz no Timóteo. Os Versículos são o Meus caros amigos do Brasil. Vcs já devem ter percebido q esse plesbicito sobre a comercialização d armas não vai resolver nada, nem votando sim e nem votando não. Pq? Vc se pergunta. Isso é óbvio. Pq pra se usar uma arma tem d se estar preparado pisicológicament pra usá-la nas horas d necessidad. Mas nem todos sabem qd é necessário usá-la. Mas como saber q vc está pronto pra usar uma arma pra se defender. Por nível. Se vc sabe se defender diálogando, vc está pronto pra se defender usando seu corpo,(ex:artes marciais) se sabe se defender usando o corpo, sabe se defender usando armas brancas(ex: bastão de madeira a espadas), se vc sabe se defender com armas brancas, vc está preparado pra usar armas d fogo. E se vc está sabe lidar com todas, vc deve se tornar um guardião, viver uma vida monástica desapegado dos bens materiais e ter como dever trazer a paz pra sociedade em q vive. O q quero dizer em ser guardião? Só estou querendo ressucitar os antigos templários nessa cidade. A ordem dos Guardiões. Uma entidade sem fins lucrativos em q trabalharemos pra proteger a sociedade e limpar toda sujeira nela. Uma entidade q aceitará pessoas d qualquer religião e etnia, tanto homens e mulheres. Lutaremos contra o crime, digamos q isso é uma forma d trazer a nova Santa Inquisição no Brasil. Vamos ferrar com ladrões d verdade q são os nossos líderes q elegemos e q colocamos pra nos governar. Por isso meus caros. Eu voto sim, pois votarmos não, vamos abrir as portas pra os EUA venderem armas pra gente e o Brasil vai virar a bosta dos EUA, já estamos virando cópias deles, pois estamos destruindo nosso bem mais precioso, q é a natureza. Digo a todos q pra fazer parte da Ordem dos Guardiões, é só seguir o q está na Bíblia, Mat5,6,7. E lembrar do q diz no Timóteo. Os Versículos são o 3 e 4, lá está escrito tipo assim: Isso é bom e agradável diante d Deus pai, q quer q todos sejam salvos. Conclusão, se Deus quer vc salvo, vc vai ser, ou pela dor ou por amor ou pelos dois. Agora como? A reposta vc vai achar com os espíritas. Maranata pra todos.

P.S: Eu viajei legal pra criar também esse conto. Hehehe...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO! LEIA ISTO: Resolvi tirar a moderação dos comentários. Agora até você troll pode vir aqui me infernizar. Mas tudo tem seu preço! Quando você vir encher d lixo meu blog, no fim do mês vou limpar este lixo daqui e quando fizer isto. Vou estar limpando você q é um lixo no mundo. Vai doer muito em ti! Quer apostar q esta praga vai pegar? Quando sua vida depois virar do avesso, não diga q não avisei... Maktub!((Aquele q quiser se manifestar contra o q penso sinta-se a vontade, mas faça isso sem trollar, pois essa praga só inclui os trolls imbecis.) Agora você deve estar se perguntando porque estou fazendo isto? Só pra treinar minha ação com quietude mesmo.

Pesquisar este blog

Milton: O Jesus d Preto

Milton: O Jesus d Preto
Isso é porque muita gente me chama d Jesus, mas sou só o Milton mesmo porque Jesus é todo mundo.

Deseja fazer um Pacto com OGGU?

O q você acredita q vem depois da morte?

Você a favor da legalização das drogas?

Qual sistema d governo você acha ideal pra o mundo?

Todo poder Executivo e Legislativo devia viver num regime comunista ou socialista?

Daily Calendar

Capa do meu livro

Capa do meu livro
Essa foto é do meu amigo Alberto q fez esse blog pra mim e me ensinou a mexer nele.

Your IP and Google Map location