quinta-feira, 1 de maio de 2008

Contos q já escrevi


Casamento amaldiçoado: A lenda de Fernandes

Era ainda a época em q os coronéis mandavam nas cidades pequenas q faziam divisas com suas terras. No caso essa cidade se chama Vazante hoje, quando ainda era apenas um vilarejo. Um coronel muito rico e com uma filha muito bonita de 16 anos, ela se chamava Ana Maria dos Reis Cortes, em q o pai queria q ela se casasse com o filho de um político muito conhecido em Minas Gerais. Nessa época era comum esses casamentos arranjados, mas q sempre tinham por trás alianças políticas e interesses extremamente financeiros. Mas tinha um problema nesse casamento, a filha era apaixonada por um jovem capanga de seu pai (Isso lembra uma novela da globo... Mas essas novelas de época sempre retratam mesmo como era as coisas antigamente.) O capanga se chamava Antônio Fernandes. O jovem era trabalhador, honesto, boa pessoa, tranqüilo, não esquentava a cabeça fácil e tinha garra, era corajoso e ainda todas mulheres do vilarejo o cobiçavam. Pela sua coragem ele chegou a pedir com toda franqueza ao coronel a mão de sua filha em casamento e se revelou estar apaixonado por ela. O seu coronel se irritou e o despediu. A moça descobriu tudo, depois disso o seu pai começou a fazer de tudo para impedir q sua filha se encontrasse com ele. O coronel resolveu proibí-la de sair de casa. Mas ainda assim não impedia os dois de se encontrarem. Faltando apenas uma semana para o casamento da moça, o seu pai tinha viajado a negócios. Os dois aproveitaram e se encontraram numa casa abandonada e lá dormiram juntos. Não demorou muito tempo, quando o coronel chegou de viajem, acabou descobrindo a história. Enraivecido foi com seus capangas para o sítio dos pais do jovem q lhe servia. Como não acharam o moço, o coronel mandou q expulsasse toda a sua família de lá. Quando seus pais iam embora de lá e voltavam com a carroça e sua coisas q puderam pegar com suas coisas q puderam pegar de casa. Toparam com o filho q descobriu toda a história. O moço irritado foi para sua casa q tinha sido tomada, desobedecendo os pais q não queriam q ele fosse, pois ele corria risco de vida. Ele foi de cavalo até lá. Com a carabina na mão e o facão na cintura. Chegando perto, avistou de longe os capangas, adentrou nas moitas e as escondidas analisou q tinha cerca de 9 capangas q começavam a atear fogo em sua casa. De longe e escondido na mata, se posicionou no meio da mata e começou a atirar, matando um a um os capangas. Quando 3 deles q sobraram perceberam de onde vinha os tiros, foram em sua direção. Mas logo dois deles foram mortos na bala. Sobrou um q era um dos melhores capangas do coronel e inclusive era seu amigo, os dois tiveram uma luta sangrenta no facão. Antônio Fernandes sobreviveu. Logo em seguida, mesmo ferido foi acertar as contas com o coronel. Chegando na fazenda do coronel, enfrentou mais de seus capangas num tiroteio, entrou na casa do coronel. Chegando lá viu Ana Maria, ele a abraçou e a beijou. Logo perguntou a ela: "Onde está seu pai!? Irei matá-lo pelo q fez!" "Não Antônio não faça isso!" Mas quando menos percebe Antônio recebe um tiro fatal nas costas, quando cai ensangüentado nos braços de sua amada. Os dois olham para o homem q atira pelas costas, era o coronel. Q olhava com toda frieza o casal. "Larga o homem Ana Maria!" "Não pai! Ele precisa de um médico." Larga o desgraçado Ana Maria!!!"Maria obedece, o coronel olha para os olhos de seu antigo capanga. "Nunca pensei q um dia eu iria precisar de matar alguém q mataria por mim..." "Ainda bem q eu nunca precisei de usar uma bala pra matar alguém por vc..."" "Sua vida chega ao fim agora Antônio..." "Não... Minha vida vai se perpetuar pela sua filha, pois em seu corpo ela agora carrega uma parte de mim... Eu t juro q se ela casar com aquele desgraçado q vc sabe muito bem q não presta, sua vida vai ser um desastre e vc ainda estará fazendo a vida de sua filha também uma desgraça!" O coronel enraivecido matou Antônio. O dia do casamento chegou, no dia com muita tristeza, houve muitos sinais de q aquele casamento não devia acontecer, pessoas convidadas sofreram acidentes, um outro coronel q não gostava de Antônio teve um ataque do coração e até mesmo uma criança se machucou. Mas nem por isso o casamento foi impedido de acontecer. A filha do coronel se casou com quem não amava. Logo após o casamento seu pai começou a entrou em falência em pouco tempo e se suicidou. Ana Maria teve um casal de irmãos gêmeos, o padrasto das crianças não tratava bem Ana Maria e nem seu seus filhos q tinham já 5 anos cada. Logo ele começou a ter pesadelos e sua casa começou a acontecer coisas estranhas tipo objetos caindo do nada, aparições do fantasma de Antônio, essas coisas de casa mal-assobrada. Mas chegou um dia q Ricardo viu q as coisas não estavam mais dando certo, suas riquezas estavam se esgotando. Logo começou a mudar e seu ódio por Antônio começou a sumir. Logo fizeram então uma missa pela alma de Antônio, nisso sua casa nunca mais teve problemas, logo as coisas voltaram a dar certo e as crianças q eram filhos de Antônio começaram a viver bem com seu padrasto e sua mãe. Os dois conseguiram viver felizes até o fim de suas vidas. E sua família veio a gerar muita prosperidade. Essa meu caro leitor é apenas mais uma história de muitas q acontecem nessas épocas dos coronéis, em q raramente duas pessoas sem interesses, mas mesmo assim isso não indica q elas não venham a se amar um dia. Mas o caminho para o amor entre elas se torna bem mais complicado. Mas nada q um pouco de vontade e fé para superar esses deslizes. Deus sempre ajuda aqueles q querem sua ajuda. É só querer.

O santo e a sodomia

Essa é a história é uma lenda muito antiga, mas as vezes se repete nos dias de hoje. Havia um homem santo, chamado Ravernel era sábio e conhecedor das artes místicas. Sua riqueza material e espiritual eram grandes. Mas teve um dia q uma mulher aprisionada no corpo de um homem o conheceu e se apaixonou por ele, seu nome era Ílissis. Ílissis foi amaldiçoada no ventre de sua mãe a nascer com a alma de uma mulher presa no corpo de um homem. Era uma punição q tinha sido dada a seus pais por destratarem as pessoas q eram diferentes. A filha do casal só se tornaria mulher se vivesse por sete anos com sua alma gêmea sem se tocarem. Como 'ela' queria Ravernel de qualquer forma, mas o corpo do santo rejeitava seu físico masculino, eles se tornaram inimigos mortais. Acabou q nessa batalha Ílissis perdeu. Mesmo assim os dois se conciliaram e acabaram se tornando bons amigos. Mesmo assim Ílissis não se sentia satifeita apenas com a amizade de Ravernel, pois apesar dele a amá-la, eles não mantinham nenhuma relação intíma pra evitarem o pecado da carne. Ravernel havia prometido a Ílissis q só teriam sua noite de núpicias no dia q 'ela' se tornasse mulher de verdade. Mas Ílissis tinha um terrível defeito, não tinha paciência para esperar e era completamente luxurosa. Com seu corpo andrógino tinha atraído muitos homens e com seus encantos mágicos tinha feito todos eles praticar a sodomia. Ravernel, tinha sido o único q não tinha caído em seus encantos. Nisso, apareceu para Ílissis Arnomom, uma entidade q lhe prôpos transformar seu corpo em um corpo de mulher pra q pudesse ter uma noite com Ravernel. Ílissis não resistiu a tentação e procurou pela entidade malígna q era o pior inimigo de Ravernel. Arnomom, era uma entidade q invejava Ravernel e fazia de tudo pra lhe destruir. Ílissis pediu para q Arnomom q lhe realizasse o desejo de ter uma noite com Ravernel. Queria q ele transformasse seu corpo no corpo de mulher antes q a maldição acabasse. O seu desejo foi realizado, Ílissis se tornou uma linda mulher, mas era uma mulher apenas pra seus olhos e para os olhos de Ravernel. Como Ravernel não resistiu a beleza de Ílissis, eles tiveram a sua noite. Mas quando Ravernel acordou ao lado de Ílissis, se encheu de ira! Logo depois os dois tiveram uma batalha sangrenta, Ravernel matou Ílissis e logo depois se matou. Os dois então receberam uma maldição de Deus. Reencarnariam durante 777 vidas até o dia em q poderiam ficar completamente juntos. Durante essas 777 vidas os dois se reencarnaram e nunca puderam realizar o seu sonho de poderem estar juntos. Sempre passavam pelo mesmo teste, mas nem sempre eles conseguiam vence-lo. E isso só os atrasava mais pra ficarem juntos. Mas chegou a ultima vida em q eles teriam q passar pelo ultimo teste, outra vez Armanom realizou o pedido de Ílissis. Outra vez houve a sodomia entre os dois. Mas Ravernel então já tinha se cansado dessa maldição e lançou uma maldição e uma benção ao mesmo tempo sobre Ílissis. Ílissis teria de ficar em abstinência sexual, por um período de tempo, só assim poderia se tornar mulher. Mas se caso ousáse quebrar sua abstinência, desgraças lhe aconteceriam e lhe arruinariam a vida a impedindo de ter seu corpo de mulher. Ílissis sempre ficava em abstinência, mas toda vez q tinha uma caída, todas as riquezas materiais e espirituais q ganhava desapareciam quando ela cometia o ato de sodomia. Chegou o dia em q conseguiu ficar o tempo suficiente pra poder ter a benção de poder se tornar mulher. Logo se uniram na ultima vida, se tornaram homem e mulher de verdade os dois. Nisso eles finalmente viveram felizes até o resto de suas vidas. A maldição foi quebrada e os dois puderam nascer em suas próximas vidas como homem e mulher até o dia q se reuniram no mundo espiritual depois de cumprirem sua missão na Terra de trazerem a paz aos corações dos homens e lhes ensinarem a serem procuradores da paz e tolerantes com os seus semelhantes diferentes. Essa é uma história para q nós saibamos respeitar, mesmo não entendo o nosso próximo.

Mãos limpas ou mãos armadas?

Ele está andando pelo showmício da cidade, época de eleição e uma banda conhecida tocando no palco. Lá está ela, uma garota bonita q olha pra ele. O olhar é correspondido, logo surge a aproximação. Quando se tem o: “Oi como vai...” E os três beijinhos em seguida, ele é interrompido por um outro homem q se aproxima violentamente. O elemento puxa seu cabelo grande pra evitar q ele conheça a garota ainda na apresentação, logo ele olha pra o lado pensando q está tomando um puxão de brincadeira de um amigo. Mas se espanta q quando v se tratar de um namorado ou talvez ex-namorado ciumento.
Uma pequena discussão, empurrões, ameaças do tipo: “Eu sei onde você mora rapaz! Eu t pego se você der em cima dela!” Pra se evitar confusões, a discussão não dura muito, logo o rapaz q só tinha tentado conhecer a moça vai embora do local. Depois se encontra com a garota. “Seu ex-namorado?” diz ele “É”, responde ela afirmando. Ele se afasta, desiste da moça bonita pra evitar futuras confusões. Andando mais um pouco pelo showmício e com raiva do homem q lhe atrapalhou, derrepente resolve fazer algo diferente nessa noite, caçar uma briga. Olhou com desprezo para o elemento, não demorou muito e o elemento chegou perto empurrando. “Qualé a tua! Q q é!” Outra discussão começa, mas logo surge a pergunta. “Pq eu estou fazendo isso?” Eis a pergunta q ele se fazia no momento, pq nunca caçou confusões e geralmente quando entrava em uma sempre resolvia com suas palavras ou simplesmente ia embora e deixava de lado algo q sempre considerou perda de tempo.
Também lhe vinha os seguintes pensamentos em sua cabeça: “Ele está com dois capacetes em suas mãos, nada o impediria de acerta-los em sua cabeça de uma vez. Será q compensa essa discussão boba?” Logo palavras saem de sua boca: “Qué sabe cara, não vou discutir com você. Porque você é um Mane cara.” “Mané!” O homem q é mais alto q ele o empurra e fala: “ Quem você está chamando de Mane!” Um outro empurrão é dado de volta, o jovem já espera no momento receber a capacetada logo em seguida. Mas em vez de reagir, deixa o homem lhe dar a capacetada sem nenhuma fazer nada. Os capacetes lhe pegam no lado esquerdo da cabeça lhe dando um corte profundo no couro cabeludo, o seu lado esquerdo fica com o olho inchado e o nariz sangrando por causa da pancada.
O jovem simplesmente não sente dor e continua olhando para o homem q lhe deu a capacetada. Não demora muito o homem q lhe acertou com o capacete já lhe agarra dando-lhe uma chave na cabeça. Mesmo com sua força aparentemente maior, o agressor não consegue segurar sua vítima. O jovem sai da chave e tenta lhe pegar na garganta com uma mão pra lhe apertar a garganta. O agressor afasta seu pescoço sentindo um puxão na garganta, saindo com alguns arranhões nela. Logo o jovem tenta lhe pegar o braço, assim q o pega e o torce vai direto com os dentes morde-lo. Na mordida, dá uma puxada e sente gosto de sangue na boca. O agressor já se afasta com medo, de repente olha pra aquele q lhe agrediu q agora parece um possuído e está com a boca suja com seu sangue. Lhe espanta alguém menor e aparentemente mais fraco ter recebido duas capacetadas na cabeça ao mesmo tempo e ainda ter continuado de pé pra lutar com ele.
O jovem vai para seu rumo com os olhos fixados em seu rosto, ele anda calmamente e olhando pra seu oponente e em sua cabeça vem o pensamento de rasgar o pescoço de seu oponente com uma mordida. O agressor olha meio aflito mas não deixa de ter coragem, logo q chega perto o jovem, o agressor vem e lhe puxa o cabelo grande, mas toma um empurrão e lhe solta. As pessoas começam a observar aquela cena. Um tumulto começa, o agressor começa a se afastar do jovem de cabelo grande. Toda hora q o jovem chega perto e tenta agarra-lo, ele tenta de todas maneiras o evita-lo, dessa vez não tem nada nas mãos pra poder acerta-lo. O agressor mesmo assim, também enfurecido decide levar adiante o q começou. No meio dos agarrões q o jovem lhe tenta fazer, ele toma um soco no rosto. Depois de tomar o soco, empurra seu oponente. O jovem cai a alguns metros do seu agressor q logo recupera a confiança em si mesmo. Com a raiva lhe fazendo ferver a cabeça, o jovem ainda assim se levanta e sai andando para o lado do homem q lhe empurrou. De repente os seguranças chegam e seguram os dois, do nada o jovem volta a sua consciência. Resolve deixar de lado a briga, a pedido dos seguranças.
O tumulto então acaba, depois q o jovem se escora no carro, toca seu rosto, ele sente um inchado em seu olho, uma galo muito grande está onde tomou a pancada e seu nariz sangra muito. Encosta na sua cabeça, olha sua mão e ela está suja de sangue. E isso lhe foi só o começo d um trauma q superaria com muita dor e muito custo, mas q o ajudaria a se encontrar futuramente pra ser um grande Guerreiro q é hoje.

P.S: Esse fato ae narrado, é verídico e aconteceu comigo! Pra minha alegria o FILHO DA PUTA COVARDE Q ME FEZ ISSO! Acabou futuramente colhendo o caos e sua vida virou tremenda merda. Seu nome é Marconi. Um otário ignornate. Espero q ele tenah tomado tipo. Pois se não tomou... Hoje está fudido. Pois é isso q semrpe acontecem com meus inimigos! Ação e reação. Depois ainda vou contar mais detalhes d como terminou essa história toda. E garnato q não foi bem pra mim! Pois o desgraçado ficou impune... Mas felizmente ele se fudeu bonito depois tendo um terrível acidente d moto em q quase morreu. Serpa q depois ele virou crente e se converteu? Ainda tenho minhas dúvidas... Talvez o infelíz precisa d um empurrãosinho meu pra isso... Hehehe...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO! LEIA ISTO: Resolvi tirar a moderação dos comentários. Agora até você troll pode vir aqui me infernizar. Mas tudo tem seu preço! Quando você vir encher d lixo meu blog, no fim do mês vou limpar este lixo daqui e quando fizer isto. Vou estar limpando você q é um lixo no mundo. Vai doer muito em ti! Quer apostar q esta praga vai pegar? Quando sua vida depois virar do avesso, não diga q não avisei... Maktub!((Aquele q quiser se manifestar contra o q penso sinta-se a vontade, mas faça isso sem trollar, pois essa praga só inclui os trolls imbecis.) Agora você deve estar se perguntando porque estou fazendo isto? Só pra treinar minha ação com quietude mesmo.

Pesquisar este blog

Milton: O Jesus d Preto

Milton: O Jesus d Preto
Isso é porque muita gente me chama d Jesus, mas sou só o Milton mesmo porque Jesus é todo mundo.

Deseja fazer um Pacto com OGGU?

O q você acredita q vem depois da morte?

Você a favor da legalização das drogas?

Qual sistema d governo você acha ideal pra o mundo?

Todo poder Executivo e Legislativo devia viver num regime comunista ou socialista?

Daily Calendar

Capa do meu livro

Capa do meu livro
Essa foto é do meu amigo Alberto q fez esse blog pra mim e me ensinou a mexer nele.

Your IP and Google Map location